domingo, 9 de novembro de 2008

RESSONÂNCIA SCHUMANN

Frequentemente ouve-se dizer – o tempo voa!; o tempo não chega para tudo!; não tenho tempo para nada!...

Será que o tempo se escoa por entre os nossos dedos, ou trata-se apenas de uma impressão, causada pela vida agitada dos dias de hoje?

São os nossos muitos afazeres que nos provocam essa sensação, ou o tempo é mesmo mais curto?

Vejamos o que, a esse respeito, nos diz Leonardo Boff.

Não apenas as pessoas mais idosas mas também jovens têm a sensação de que tudo está se acelerando excessivamente. Ontem foi Carnaval, dentro de pouco será Páscoa, mais um pouco, Natal. Esse sentimento é ilusório ou tem base real?

Pela ressonância Schumann se procura dar uma explicação.

O físico alemão W.O. Schumann constatou, em 1952, que a Terra é cercada por um campo eletromagnético poderoso que se forma entre o solo e a parte inferior da ionosfera, cerca de 100km acima de nós.

Esse campo possui uma ressonância (daí chamar-se ressonância Schumann), mais ou menos constante, da ordem de 7,83 pulsações por segundo. Funciona como uma espécie de marca-passo, responsável pelo equilíbrio da biosfera, condição comum de todas as formas de vida.

Verificou-se também que todos os vertebrados e o nosso cérebro são dotados da mesma frequência de 7,83 hertz.

Empiricamente fez-se a constatação de que não podemos ser saudáveis fora dessa frequência biológica natural.
Sempre que os astronautas, em razão das viagens espaciais, ficavam fora da ressonância Schumann, adoeciam. Mas submetidos à ação de um simulador Schumann recuperavam o equilíbrio e a saúde.

Por milhares de anos as batidas do coração da Terra tinham essa freqüência de pulsações, e a vida se desenrolava em relativo equilíbrio ecológico.
Ocorre que, a partir dos anos 80, e de forma mais acentuada a partir dos anos 90, a freqüência passou de 7,83 para 11 e para 13 hertz.
O coração da Terra disparou.

Coincidentemente, desequilíbrios ecológicos se fizeram sentir: perturbações climáticas, maior atividade dos vulcões, crescimento de tensões e conflitos no mundo e aumento geral de comportamentos desviantes nas pessoas, entre outros.

Devido à aceleração geral, a jornada de 24 horas, na verdade, é somente de 16 horas. Portanto, a percepção de que tudo está passando rápido demais não é ilusória,mas teria base real nesse transtorno da ressonância Schumann.

Gaia, esse superorganismo vivo que é a Mãe Terra, deverá estar buscando formas de retornar a seu equilíbrio natural. E vai consegui-lo, mas não sabemos a que preço, a ser pago pela biosfera e pelos seres humanos.

Aqui abre-se o espaço para grupos esotéricos e outros futuristas projetarem cenários, ora dramáticos, com catástrofes terríveis, ora esperançosos, como a irrupção da quarta dimensão, pela qual todos seremos mais intuitivos, mais espirituais e mais sintonizados com o biorritmo da Terra.

Não pretendo reforçar esse tipo de leitura. Apenas enfatizo a tese recorrente entre grandes cosmólogos e biólogos de que a Terra é, efetivamente, um superorganismo vivo, de que Terra e humanidade formamos uma única entidade, como os astronautas testemunham de suas naves espaciais.

Nós, seres humanos, somos Terra que sente, pensa, ama e venera. Porque somos isso, possuímos a mesma natureza bioelétrica e estamos envoltos pelas mesmas ondas ressonantes Schumann.


Leonardo Boff nasceu em Concórdia, Santa Catarina, Brasil, a 14 de Dezembro de 1938.
Doutorou-se em Teologia e Filosofia na Universidade de Munique - Alemanha, em 1970.
Esteve presente no início da reflexão da conhecida Teologia da Libertação. Foi sempre um ardoroso defensor da causa dos Direitos Humanos, tendo ajudado a formular uma nova perspectiva dos Direitos Humanos a partir da América Latina, com "Direitos à Vida e aos meios de mantê-la com dignidade".
É doutor honoris causa em Política pela universidade de Turim (Itália) e em Teologia pela universidade de Lund (Suécia), tendo ainda sido agraciado com vários prémios no Brasil e no exterior, por causa de sua luta em favor dos fracos, dos oprimidos e marginalizados e dos Direitos Humanos
Em 1984, motivado pelas suas teses ligadas à Teologia da Libertação, apresentadas no livro "Igreja: Carisma e Poder", foi submetido a um processo pela Sagrada Congregação para a Defesa da Fé, ex Santo Ofício, no Vaticano.
Em 1985, foi condenado a um ano de "silêncio obsequioso" e deposto de todas as suas funções editoriais e de magistério no campo religioso. Dada a pressão mundial sobre o Vaticano, a pena foi suspensa em 1986, podendo retomar algumas das suas actividades.
Em 1992, sendo de novo ameaçado com uma segunda punição pelas autoridades de Roma, renunciou às suas actividades de padre e se auto-promoveu ao estado leigo. "Mudou de trincheira para continuar a mesma luta"
Em 8 de Dezembro de 2001 foi agraciado com o prémio Nobel alternativo em Estocolmo (Right Livelihood Award).
É autor de mais de 60 livros nas áreas de Teologia, Espiritualidade, Filosofia, Antropologia e Mística. A maioria de sua obra está traduzida nos principais idiomas modernos.

38 comentários:

Táxi Pluvioso disse...

A noção de tempo psicológico tem variações ao longo da vida. Começa com o tempo parado na infância, lentidão na adolescência, até velocidade na velhice. Dizem que está ligado com a temperatura do corpo.

Vou reler o post.

Rafeiro Perfumado disse...

Conseguir tanta coisa com um nome desses "boff", é obra...

Beijoca!

TINTA PERMANENTE disse...

Se me é permitido... o tempo, esse, nem todo voa; só voa, acho eu, o tempo que já passou!...

Cumprimentos.

Giselle disse...

Mariazita,
minha querida , para mim, o tempo VOAAAAAAAA ...
Não ceita desaforo, rs...
Qdo olho para trás vi o qto vivi, e não percebi o qto tudo passou depressa demais ...
Menina parece que foi ontem que tinha meu filho entre os meus braços, hj, me dá uma saudades dele nenê ...
E não é só isso, uau, já tenho 31 anos e por dentro me considero uma menina frágil .. mas não, já sou uma mulher ...
Como o tempo voa né?
Linda, tenha uma bela semana,
beijo grande,
com carinho,
Gi

A. João Soares disse...

Já tinha lido esta teoria. O ritmo biológico, cósmico, influencia toda a existência no planeta, indo do homem até aos próprios minerais.
Agora os criminosos que criaram a actual crise financeira global procurarão desculpar-se com as influências da ressonância!!! Eles são capazes de tudo.
Beijos
João

daniel disse...

Mariazinha

Achei curioso, o estudo de Lenardo Boff! De facto conheço as suas ideias, que deram corpo à teoria da libertação, mas estaria longe dele se ter ocupado de assuntos, como o que apresentas. Resolvo, porque o assunto me entusisma, estuda-lo melhor.
De facto, haverá algo nesse sentido, que se manterá: o efeito temporal, consoante se seja mais ou menos jovem.
Beijos,
Daniel

ANA DINIZ disse...

Minha linda Maria!

Eu sou completamente apaixonada por Leonardo Boff.

Este tema é interessantíssimo, muito intuitivamente percebido, mas pouco racionalizadamente discutido e esclarecido.

Creio eu nisto tudo. E creio que, infelizmente, desequilíbrios piores virão. A Terra deve passar por um processo de "limpeza", devastação, triste dizer. A atitude coletiva concorre para isso. E como é tudo tão integrado, o revés, à minha intuição, será cósmico.

Já estamos sentindo o ensaio pelo início.

Façamos a nossa parte. Vamos harmonizar o meio ambiente a que nos cabe. Vamos preservar o nosso entorno, vamos orar e ensinar aos pequenos o Amor e o respeito pelos irmãos e pelos mais velhos, e por nossa casa, o planeta Terra.

Beijos, linda.

Ótimos texto e tema.

Ana

Mariazita disse...

Olá, Táxi
Interessante, essa ideia da temperatura. Nunca tinha ouvido.
A minha temperatura corporal raramente chega aos 36º.
Estarei na infância ou na 3ª.idade? :)))
Obrigada pela sua opinião.
Um abraço
Mariazita

Mariazita disse...

Olá, Rafeiro
É para veres que "o hábito não faz o monge".
Beijocas
Mariazita

Mariazita disse...

Tinta permanente
Claro que é permitido :)
O tempo que já passou , voa??? Na minha opinião...voou! :)
Mas nem todo voa, de facto. Há historietas engraçadas a esse respeito, que não vou aqui reproduzir para não abusar da vossa paciência... Outro dia, talvez.
Obrigada.
Um abraço
Mariazita

Mariazita disse...

Querida Gi
O tempo passa...e quando temos coisas boas a recordar, e a querer que tivessem continuado como estavam - o baby nos braços - parece que passou rápidos demais.
A vida não pára, os filhos vão crescendo, nós vamos amadurecendo...é o ritmo normal.
Muitas coisas boas vão ainda acontecer na sua vida, viu?
Beijinhos com muito carinho
Mariazita

Mariazita disse...

Querido amigo João
Este texto é bastante conhecido, mas pareceu-me interessante analisá-lo.
Converso muitas vezes com pessoas, familiares e não só, que se mostram apreensivas com o que se passa actualmente com a humanidade.
Até parece que há qualquer influência cósmica que está a afectar o procedimento dos humanos.
Frequentemente, se diz; anda tudo doido!
Parece que nunca houve conhecimento de tanta insanidade. Haverá alguma explicação especial para isto???
Os políticos...bem...esses parecem-me os mais afectados!!! São, com certeza, as maiores vítimas da ressonância.
Beijinhos
Mariazita

Mariazita disse...

Caro Daniel
Leonardo Boff, como qualquer outro filósofo (especialmente se voltado para o campo mais espiritualista) de vez em quando também se debruça sobre a ciência.
Vale a pena analisar mais atentamente a sua obra. Fazes bem.
Até amanhã.
Beijinhos
Mariazita

Mariazita disse...

Querida Ana
Não sabia que já tinhas regressado...
Gostei de ler o teu comentário.
É uma interessante visão sobre este assunto, que cada um interpretará a seu modo.
Obrigada, amiga.
Um beijo muito grande, com muito carinho
Mariazita

ANA DINIZ disse...

Breve mesmo vai ter "Crônicas". Estou terminando um episódio que promete chocar - será? Depende, né.

Eu te aviso, minha linda.

Mas o que foi, está mais quietinha? Introspectiva?
Aproveite estes momentos de tranqüilidade.


Bjos.

Ana

Mariazita disse...

Ana, minha linda, obrigada.
Ficarei aguardando.
Um beijo de boa noite ( ou tarde?)
Mariazita

Ana Martins disse...

Amiga Mariazita,
achei este tema muito interessante, de facto é verdade, os dias passam a correr e nunca se consegue fazer tudo o que tinhamos como objetivo, fica sempre algo para trás.

Beijinhos

Pelos caminhos da vida. disse...

Estou assustada com o tempo, ele está voando,hoje mesmo comentei aqui em casa sobre isso com meu filho.

Boa noite.

beijooo.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Tempo e espaço não existem, como já dizia Kant. São noções internas do ser humano para perceber o mundo. O tempo não passa, nós é que passamos por ele, pelo nosso tempo interior.
Querida:
Ontem foi a minha audiência do processo que movi contra o meu editor que me deve muito dinheiro, mas caí em contradição, estou péssima. Dormi até a 1 e meia de amanhã, levantei-me e tomei uma dose considerável de barbitúricos para dormir. Como não consegui, fiz um post. Gostaria que fosse apreciá-lo. É uma maneira de ter os amigos perto de mim.
Um beijo,
Renata

Meg disse...

Mariazita,

Voltarei com mais tempo para ler com mais atenção a segunda parte do teu post... mas que o tempo voa, isso voa, ou somos nós que andamos tão distraídos com os acontecimentos dos quotidiano que nos esquecemos dele e quando nos lembramos... já passou. Às vezes irreparavelmente. Portanto, a culpa é só nossa.

Um abraço

stériuéré disse...

O tempo passa a voar. A vida são dois dias, e um deles é passado a dormir. Quando damos por ela, irra, que já passou!
Passa tão rápido, que por vezes acabamos por perder bons momentos da vida, e que infelizmente já não nos é possível voltar atrás. Muito carinho por ti cara amiga, desculpa -me por este tempo de ausência. Fica bem!

Mariazita disse...

Querida Ana Martins
Gosto muito do nome Ana, e é engraçado que tenho várias amigas com este nome.
Aqui, entre os comentadores, estão três Anas... tenho que usar o sobrenome para as distinguir :)))
O tempo! Não vale a pena correr, porque ele anda sempre mais depressa! Não o conseguimos agarrar.
Olhe, o melhor...é deixá-lo passar!
Beijinhos, amiga, e uma noite feliz.
Mariazita

Mariazita disse...

Oi, Ana (Caminhos)
Sabe o que provoca essa sensação, em parte? É a vida agitada dos nossos dias.
Para aquelas pessoas que vivem nas aldeias, como uma vida muito simples e pacata, o tempo demora mais a passar.
Nós corremos de manhã até à noite...e depois queixamo-nos que o tempo voa.
É preciso desacelerar!
Beijinhos
Mariazita

Mariazita disse...

Querida Renata
Lamento que as coisas não estejam correndo tão bem como seria de desejar...
Hoje já é um pouco tarde, mas amanhã irei ver seu novo post.
Tenha uma noite descansada e repousante.
Beijinhos
Mariazita

Mariazita disse...

Querida Sté
Há quem diga: esta vida são dois dias e este já vai no meio...
Como refere a amiga Renata, o tempo não passa, nós é que passamos.
Sendo assim, quem é que passa depressa??? Nós, que vivemos a correr, sem nos lembrarmos que assim chegamos mais depressa ao fim da estrada!
Vamos lá a ter calma, a viver devagar, para apreciar as coisas boas da vida.
Beijinhos, querida.
Mariazita

Mariazita disse...

Olá, Meg
Não tenhas dúvida, a culpa é nossa.
Há uma expressão, que conheces, com certeza, assim "querer abarcar o céu com as mãos".
É isso, nós queremos fazer tudo, e para isso, aceleramos.
Resultado (citando Eugénio de Andrade): passamos pelas coisas sem as ver.
É urgente abrandar! "Ver" as coisas...
Beijos
Mariazita

Sininho disse...

Olá Querida Mariazita, andamos sempre a correr e cheios de stress para conseguirmos fazer tudo, principalmente nós mulheres, que temos trabalho a triplicar! Mas há que haver sempre tempo para as coisas boas!
E por isso aqui estou eu a visitá-la, sobrevoando a sua casa e espalhando muitas estrelinhas cintilantes para iluminarem o resto da sua semana com carinho, paz e alegria.

Gostei muito desta frase:
"Nós, seres humanos, somos Terra que sente, pensa, ama e venera."

Beijinhos carinhosos e abraço meiguinho.

Victor disse...

Querida Mariazita

Acabou de receber o prémio Dardos.

Agora é só cumprir as regras. Quem recebe o “Prémio Dardos” e o aceita deve:

1. - Exibir a distinta imagem;

2. - Linkar o blog pelo qual recebeu o prémio;

3. - Escolher quinze (15) outros blogs a que entregar o Prémio Dardos.

Bjinhos

JADY*ALVES disse...

"O tempo urge" Admitamos ou não passamos por ele desapercebidos e de repente passou... Passamos nós e com tanta coisa ainda a ser feita.

É como um olhar mais atento no espelho... Crescemos amadurecemos e não tem como aumentar a duração do tempo, ele passa, segue ser curso assim como o rio, assim como nós.

Beijos ternos minha querida.

Zé do Cão disse...

O tempo voa, sim e quanto mais velhos somos, mais sentimos bater as suas asas.
ás vezes o seu barulho são como asas de vampiros...

Beijocas

Mariazita disse...

Querida Sininho
É verdade que as tarefas do dia a dia nos absorvem e deixam pouco tempo livre.
Mas não podemos descurar o bem estar espiritual.
Muito obrigada pelas estrelinhas que lançou sobre esta minha/sua casa.
Veja como ficou mais bonita e alegre!
Recebê-la aqui é sempre um grande prazer.
Uma semana de paz e alegria.
Beijinhos doces
Mariazita

Gui disse...

O tempo voa à mesma velocidade com que sempre voou. Somos nás que apressamos o nosso ritmo e que queremos fazer cada vez mais coisas, mas o dia continua a ter 24 horas, e nóa que fazemos? Por norma roubamos horas ao sono, não é?

Mariazita disse...

Meu caro Víctor
Muito obrigada pelo prémio, que muito me honra.
Mais logo passo pelo seu espaço para o recolher.
Beijinhos
Mariazita

Mariazita disse...

Querida Jady
É verdade que não "vemos" o tempo passar.
Só nos apercebemos dele depois que passou. E aí, não há nada a fazer.
Como se diz em Portugal - já era!
Como não podemos alterar o ritmo do tempo, que tal alterarmos o NOSSO ritmo???
Beijinhos, querida. Até breve.
Mariazita

Mariazita disse...

Olá, Zé do cão
Já ouviste, com certeza, esta frase:
"Quando se é velho, o tempo voa, mas os dias demoram muito tempo a passar".
Tudo é relativo.

Quando ouvires as asas do tempo a bater...pensa em pombinhas brancas, e esquece os vampiros :)))
Beijocas
Mariazita

Mariazita disse...

Olá. Gui
Tem razão quando diz que o dia continua a ter 24 horas; e também que a vida apressada e os muitos afazeres nos fazem parecer os dias mais pequenos.
Como consequência "roubamos" tempo ao sono? Provavelmente muitas pessoas o fazem, e aí entra-se num ciclo vicioso de que é difíl sair.
Beijos
Mariazita

Paula Raposo disse...

Não tenho conhecimentos para avaliar. Mas que Schumann me parece lógico, parece. Muitos beijos e desculpa a minha ausência por aqui.

Mariazita disse...

Queria Paula
Não há de que pedir desculpa.
Nem sempre as coisas correm como desejamos...
Gosto muito de te ver por cá, claro, mas entendo que nem sempre é possível.
Obrigada!
Beijinhos
Mariazita