quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

ANITA

ANITA – EPISÓDIO X

(Ficção baseada em factos reais)

Passar nove meses em banho-maria até lhe podia subir alguma coisa à cabeça e fazer-lhe mal.
E lá se iam os excelentes negócios que ele faz…e que tanto jeito me dão!

FIM DO.EPISÓDIO IX
EPISÓDIO X

- Pois, eu sei, os negócios é que te preocupam. Sempre foi assim e sempre assim será. Não pensas na nossa filha, como ela se vai sentir quando souber. Sim, porque não penses que não lhe vão contar tudo…
-Ó mulher, tu parece que não regulas bem da cabeça! Não penso na nossa filha? Então e o dinheiro que eu ganho nos negócios vai para quem, quando nós morrermos? Não vai para ela? Olha que tu!...
- A nossa filha não precisa do nosso dinheiro para nada. O marido é muitas vezes mais rico do que nós!
-Nisso tens razão, ele é muito mais rico do que nós. Mas não te esqueças que tem filhos, que também vão herdar, um dia que ele morra. E a nossa filha não tem irmãos para dividir a herança…
- Está certo, nisso tens tu razão. Mas ainda assim tenho pena da nossa filha…
- Deixa-te disso. Quem tem penas são as galinhas. Trata mas é do enxoval do nosso netinho, e deixa o resto com os homens, que é assunto de machos.
E agora vamos mas é dormir, que já é tarde, e amanhã é dia de trabalho.

Deram as boas-noites e adormeceram.

Indiferente a todos os comentários e mexericos, Anita vivia em pleno a sua gravidez, contemplando o ventre a avolumar-se, sentindo crescer igualmente o amor pelo filho que esperava.

Humberto observava-a em silêncio, maravilhado com a luz que irradiava de Anita.

Por vezes ela surpreendia-o examinando-a, e sentia-se incomodada. Parecia-lhe notar no enteado mais do que simples admiração, e receava que isso viesse a provocar constrangimento entra ambos. Acabara por se afeiçoar a Humberto, e apreciava bastante a sua companhia às refeições, sem a qual estaria sozinha a maior parte das vezes.

Reparou que Humberto mostrava um semblante aborrecido sempre que o pai gaguejava qualquer desculpa para justificar as suas saídas nocturnas; nessas ocasiões esboçava sempre um sorriso, olhando para Humberto, pensando assim fazê-lo desenrugar a testa.

Um dia em que estavam conversando amenamente depois do jantar, sentiu como que um estreitar da amizade entre ambos, e teve a certeza de que o enteado sentia por ela um amor muito grande, mas completamente despido de ilusões.

Ambos se sentiam muito próximos. Foi quando Humberto falou:
- Anita, posso abrir-te o meu coração? E sem esperar resposta, acrescentou:
Tenho te observado desde que vieste para esta casa. Ao princípio a ideia não me agradou nada. Tens que compreender, nesta casa eu vivi com a minha mãe, e tu representavas uma intrusa que vinha ocupar o seu lugar. Mas depressa me apercebi de que estava errado.
Tu não eras uma intrusa, nem nesta casa nem no coração do meu pai. Percebi que tu não o amavas. Senti como se estivesses de passagem, como se fosses apenas uma visita.
E a partir daí comecei a sentir por ti uma admiração muito grande e um amor muito puro.
Sabes, o meu relacionamento com o meu pai nunca foi muito bom. Agora eu posso contar-te tudo.
Quando a minha mãe era viva ele já tinha outras mulheres. Eu sabia, mas fazia tudo para que a minha mãe não descobrisse. O meu pai sentia-se como se estivesse nas minhas mãos, por isso começou a detestar-me. Sempre me deu todo o dinheiro que eu lhe pedia, mas eu não lhe pedia muito, apenas o necessário para jantar com os amigos e uma ou outra ida ao cinema. Era uma forma de me manter afastado.
Anita ouvia-o em silêncio, admirada com estas revelações, sentindo crescer dentro de si um sentimento misto de amizade e compreensão para com a dor sofrida em silêncio e por tanto tempo recalcada.

Agora que ia ser mãe tinha como que um sexto sentido para os sentimentos que até aí eram instintivos, tão naturais como respirar, sem qualquer significado especial – o amor filial e materno-paternal.
Imaginou quanto Humberto deveria ter sofrido com a rejeição do pai. E entendeu, então, porque Vicente não gostava que Humberto estivesse presente nos jantares que ofereciam em casa.

FIM DO EPISÓDIO X

35 comentários:

Sei que existes disse...

Que situação...
Beijo grande

Giselle disse...

Má ...
ai ai essa história vai dar o que falar, vixi ...
Provavelmente, os dois se apaixonarão, rs...
Beijos linda, tenha um lindo dia, e aqui o calor deu uma trégua graças a Deus, hj está chovendo, que delícia, rs...

Paula Raposo disse...

Agora comovi-me...estou a gostar imenso! Obrigada. Beijinhos.

Táxi Pluvioso disse...

Felizmente o tempo dá razão aos filhos e os maus pais acabam despejados numa bomba de gasolina ou no corredor de um hospital.

elvira carvalho disse...

Continuo a acompanhar com muito interesse. E convencida de que essa amizade vai acabar de outro jeito.
Um abraço

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Aos poucos, as coisas se vão desvendando. Que suspense! Não vejo a hora da continuação.
Beijo, Mariazita,
Renata

Darwin disse...

Comovente história tendo como pano de fundo a sociedade machista dominante da altura. Embora me recordasse que se trata de uma história verídica, que lhe foi contada há uns anos, por alguém que a acompanhou de perto; noto que há aqui e ali, também a visão de mundo da autora, a imaginação - e a aguçada percepção das coisas do mundo. Estou a gostar!

Um abraço e um bom fim-de-semana.

Mariazita disse...

Querida Maria João
Obrigada por teres vindo e manifestado a tua opinião.

Beijinhos
Nariazita

Mariazita disse...

Gi, minha querida.
Quer chuva? Vem para junto de mim, que é o que não falta por cá!
Eta chuva demorada p'ra passar!

Pois é, benzinho, ponha os neurónios p'ra funcionar...a ver se descobre o fim da história rsrsrsssssssssssss

Um dia bom para vc, com mt chuva!!!

Beijinhos de sua

Mariazita disse...

Querida Paula
Que bom teres gostado!
Fico muito feliz com isso.
Obrigada.

Beijinhos
Mariazita

Mariazita disse...

Caro Táxi
Infelizmente isso acontece bastante, especialmente por alturas do Natal (no que respeita aos hospitais).

Por muito maus que os pais tenham sido, não concordo com tais atitudes.

Um abraço
Mariazita

Mariazita disse...

Querida Elvira.
Obrigada por teres vindo.
Com os problemas de saúde que tens, a nível familiar, enternece-me que arranjes um bocadinho para vir até cá.
Obrigada!

Beijinhos
Mariazita

Mariazita disse...

Querida Renata
Temos que ter calma e aguardar o desenrolar dos acontecimentos.
Ainda vai rolar um pouquinho de água por baiixo da ponte...mas não muita!

Beijinhos
Mariazita

Mariazita disse...

Meu caro Darwin
Conhece, por certo, aquele ditado:
"Quem conta 1 conto acrescenta-lhe 1 ponto".
Como sabe, cada um de nós vê e ouve uma mesma coisa de modo diferente - logo, dum mesmo facto surgem várias interpretações.
Neste caso concreto, embora baseada em factos reais, a história não é uma biografia.
Como tal, ainda que respeitando o "guião" e não alterando os pontos principais, foi necessários fazer certos "ajustes", até porque a história inicial tem um tamanho impensável para um blog.
Ainda que um pouco longo...é um resumo.

Muito obrigada por ter partilhado conosco a sua opinião.

beijinhos
Mariazita

Francisco Sobreira disse...

Querida Maria,
Neste episódio é revelado o amor que Humberto sente por Anita. Será que haverá correspondência dela ao sentimento do enteado? Aguardaremos, ansiosos, o que virá por aí. Um beijo carinhoso.

Gui disse...

Vim deixar um beijo e desejar um bom fim de semana. E ainda ler as novidades.

Mariazita disse...

"A curiosidade matou o gato", meu querido Francisco... :))))
Aguardemos o desenrolar dos acontecimentos.
O mundo dá tanta volta!

Até amanhã.

Beijinho carinhoso
Mariazita

Mariazita disse...

Meu caro Gui
Obrigda pela visita.

Um bom fim de semana.

Beijinhos
Mariazita

Ana Martins disse...

Muito bonita a amizade que já os une!
Será que não será o pricipio de um grande amor?

Temos que esperar pra ver!!!

Beijinhos,
Ana Martins

Mariazita disse...

Querida amiga Ana Martins
Tem todo o aspecto disso, não tem???
Aguardemos para ver.

Uma noite feliz. Até amanhã.

Beijinhos
Mariazita

Desnuda disse...

Vixi! Vou aguardar, Mariazinha... Ele se mostrou um bom observador dela e dos fatos. Talvez agora o olhar dele não a constranja mais.


Beijos, querida!

Maria João disse...

E cá estou eu!
Confesso que fiquei presa aos Lírios para ficar presa ás flores e à poesia. Mas já aqui estou. Hoje sem tempo para ler o tanto e bem que escreves,mas prometo prioridade, porque pelo que me apercebi, bem a mereces!
Um beijinho e obrigado por me visitares... vai sempre que puderes é bom receber visitas, não é?
Bom fim de semana.

Rafeiro Perfumado disse...

Nada que não se resolvesse com umas sessões de terapia familiar. Ou isso ou dar uma carga de porrada num deles...

Beijo!

Pena disse...

Maravilhosa Amiga:
Segui todo o seu texto com atenção e comoção.
Admirável.
A gravidez nas doces mulheres é o mais importante sentir das suas vidas.
Genial. Brilhante. Fabuloso.
Bem-Haja, amiga!
Beijinhos agrdecidos pela sua amizade e encanto.
Com um respeito incalculável, pela preciosa pessoa que é.
OBRIGADO pela simpatia e o convite efectuado.
Fascinado pela pela sua pureza...

pena

Adorei, amiguinha!

Mariazita disse...

Querida Sam
Quem sabe?
às vezes, um olhar que era, para nós, constrangedor, passa a ser...acariciador...
O mundo está em constante mutação!

Até amanhã.

Beijinhos
Mariazita

Mariazita disse...

Querida Maria João
São diferentes...eu avisei...
Obrigada pelas tuas lindas palavras.

Claro que te visitarei sempre - não pode ser todos os dias :)))- mas, sempre que tenha tempo, irei.

Bom fim de semana.

Beijinhos
Mariazita

Mariazita disse...

Caro Rafeiro
Com a terapia, concordo.
Com o resto...quem te ouvir até vai penasr que és muitaaaaaaa violento, quando não passas de um animal de estimação bem meigo e mansinho...

Até amahã.

Beijocas
Mariazita

Laura disse...

Mariazita, entre pelo blog do zé do cão, porque o que li abaixo despertou a minha curiosidade e assim, vim ver aqui mais detalhes, mas, pelos vistos só amanhã e sim, tão logo possa vou meditar e costumo levantar-me cedinho e assim essa das energias os astros e tudo isso deixou-me desperta... Beijinhos da laura, ávida de saber e aprender...

Mariazita disse...

Querido amigo Pena
As suas palavras são sempre gentis e encorajadoras.
Faz-me muito feliz saber que está a gostar da vida de Anita.
Bem haja!

Até amanhã

Beijinhos
Mariazita

Mariazita disse...

Olá, Laura
Podes vir cá amanhã, claro! Dar-me-ás muito prazer.
Mas se a ideia é ler a continuação do que ia escrito no convite...lamento desiludir-te, porque não é disso que se trata.

Seja como for, se vieres serás bem recebida.

Beijinhos
Mariazita

mundo azul disse...

________________________________

Estou adorando a sua história!

Sofrerão, com certeza...


Beijos de luz e carinho, minha amiga!!!

___________________________________

Mariazita disse...

Querida Zélia
O sofrimento tempera a alma...não é o que dizem???

Até amanhã

Beijinhos
Mariazita

Fenix disse...

Ainda bem que Anita tem um Amigo em Humberto. Bem falta lhe fazia!

Fico ansiosa pela continuação.
Pode ser que Anita ainda venha a ser feliz...

Beijinhos

Daniel Costa disse...

Mariazita

Está dar-se que já antevia. A história foi conduzindo à esta revelação. E agora há que esperar por novo episódio e com a chegada da cegonha, podem de seguir-se
rumos novos.
Beijinhos
Daniel

A. João Soares disse...

Querida Mariazita,
Acedendo ao convite, aqui estou para a meditação sobre este dia especial.
Hoje devemos todos aproveitar a data para alimentarmos a generosidade de afeições, não a concentrar apenas numa pessoa especial, que está sempre presente no pensamento, mas alargar o amor, o respeito pelo ser humano, a fim de darmos a nossa quota-parte a um amor humano universal, uma harmonia, uma convivência pacífica que torne o mundo mais pacífico e colaborante, evitando aqueles que, movidos pelo egoísmo, só pensam em si e nutrem ambições de poder à custa da exploração de inocentes e distraídos.
Já coloquei no Do Miradouro um post alusivo ao dia, não com lamechisse, mas com um tema para reflexão sobre o amor universal, a solidariedade, a dádiva de si em benefício dos que estão com necessidade vital de apoio e ajuda.
Amemos o ser vivo, contribuamos para um MUNDO MELHOR.
Beijos
João Soares