domingo, 1 de agosto de 2021

MOMENTO DE POESIA - VÊ-LO PARTIR

 

MOMENTO DE POESIA

VÊ-LO PARTIR

Hoje vou partilhar convosco um poema que escrevi em Junho de 2012, e que tem por título – VÊ-LO PARTIR.

Podem, também, ouvi-lo, através da minha voz.


VÊ-LO PARTIR

                                                                   VÊ-LO PARTIR

Vê-lo partir

Não foi assim tão triste, não.

Foi muito mais triste depois,

Ao recordar, sozinha,

O caminho antes percorrido

Com ele ao lado, para mim sorrindo…

Segurando a minha mão…

 

Como era alegre o seu sorriso

E festivo e risonho o meu abrigo!

 

Ele partiu,

levando consigo

Toda a ternura que existia em mim,

Deixando, para sempre

Um vazio sem fim…

 

Os dias, monótonos,

Perderam toda a graça.

Sem saber o que fazer,

À deriva,

Penso na minha desgraça.

 

As horas vão passando,

O sol, em surdina, declinando.

Um arrepio percorrendo-me,

Recorda-me que estou viva,

E que ele partiu…

 

E quando à tarde, sozinha,

Debruço

O olhar sobre o caminho percorrido,

Lembro-me dele

E, sem querer, soluço.

 

Maria Caiano Azevedo

 Junho 2012

45 comentários:

Roselia Bezerra disse...

Bom domingo, querida amiga Mariazita Meu Deus!
Que poema assim tão "meu"!
Você sentiu, escreveu antes o que sinto exatamente igual no hoje.
É de emocionar!

"Os dias, monótonos,
Perderam toda a graça."

É, de fato, o mais doloroso:
Ao recordar, sozinha,
O caminho antes percorrido
Com ele ao lado, para mim sorrindo…
Segurando a minha mão…

O barco ou o piloto quando se vai deixa um rastro no coração de destruição dos sentimentos.

"Deixando, para sempre
Um vazio sem fim…"

Vamos viver o barco da vida doravante.
Parabéns por conseguir traduzir a saudade em poesia!
Tenha um final de semana abençoado!
Beijinhos com carinho e gratidão

Tais Luso de Carvalho disse...

Amiga querida, que triste! Tanta dor, tanta saudade, tanta dúvida do tempo que passou, mas que viria. Jamais se esquece.
A poesia tem seus momentos de felicidade, de saudades, e de dor. É emoção pura, verdades ditas e sentidas. Belíssimo poema, exatamente porque é pura emoção, nada de razão, impossível misturar.
Beijinho, um bom domingo, querida amiga.

chica disse...

Que tocante poema que expressa toda a tristeza pelo acontecido. Uma dor grande demais, não? O coração fica mesmo faltando um pedaço e essa saudade fica pra sempre, mesclada de boas lembranças. Lindo AGOSTO pra ti,beijos, chica

" R y k @ r d o " disse...

Deslumbrante...maravilhoso de ler e ouvir uma voz cálida, meiga, timbrada, fascinante numa leitura magistral.
.
Um domingo feliz
.
Pensamentos e Devaneios Poéticos
.

Daniel Costa disse...

Querida amiga Mariazita o poema, porque conheço a ambiência da sua criação, é assim como uma oração, na sua indesmentível beleza. Beijos de amizade.

Ana Tapadas disse...

Querida amiga,
a partida de que se amou é de uma tristeza que tão bem aqui descreve...uma partida que fica.

Beijinho

A.S. disse...

Muito belo!
As partidas são sempre dolorosas.
Nota-se na tua linda voz uma saudade que permanece incólume.
Gostei muito!

Uma boa semana. Um abraço!

Gracita disse...

Oi Mariazita
As partidas são sempre dolorosas e tristas
Gostei de ouvi-lo na sua bela voz
Gostei imenso minha querida
Beijinhos

Lúcia disse...

Um poema pleno de Amor, repleto de Saudade! Lembro-me bem que meio ano antes meu marido havia feito a sua última viagem e estive solidária à amiga Mariazita, aqui mesmo n'A Casa da Mariquinhas, eu que vinha costumeiramente a esta casa, vindo Da Cadeirinha de Arruara. Assim se passaram quase Dez Anos ! Belo Poema, amiga! Parabéns!

Tais Luso de Carvalho disse...

Esqueci de dizer-lhe, ouvi sua narração, também,
mais emoção!
Beijinho, amiga!

Beatriz Pin disse...

Ve-lo partir não é fázil. Eu também la pasei uma esperencia asim quando meu único filho pertiu ca sua esposa brasileira para o Brasil.
Era para não mais voltar...pero o destino fiz que voltara.
Gosto da sua poesía. Escribe muito bem. Chega à alma.
Beijinho

Carla Ceres disse...

Comovente, Mariazita! Atualmente, após ter perdido minha mãe, esse poema faz mais sentido para mim do que teria feito antes. Agora compreendo que a dor maior vem depois e permanece a despeito de a pessoa querida ter-se tornado parte de nós. Lindo poema! Beijinhos!

Os olhares da Gracinha! disse...

Partir causa sempre algum desconforto na alma!!! Boa semana!!! 👏👏👏

lis disse...

Oi Mariazinha
Não sei a razão o seu link não mais aparecia e fiquei ausente dos seus contos, seus poemas , sua luz . Bom que te vejo, novamente.
Triste as separações definitivas_ um vazio sem palavras que as definam.
E, temos perdido tanto! Seu poema traduz bem esse sentimento,
Todo meu carinho e que nos vejamos mais, através das palavras.
Abraços

vieira calado disse...


A saudade sempre nos assalta
nos momentos da solidão maior.
Mas é preciso viver com ela.

Saudações poéticas!

Emília Pinto disse...

Não conhecia essa dor, Mariazita, mas imaginava-a e o coração apertava. Agora já a vivi e sei como dói, dói muito mais porque a dor é minha. As partidas definitavas são inevitáveis, sabemos disso, mas mesmo assim, não hora em que acontecem, " perdemos o chão " e pensamos jamais voltar a encontrá-lo; com o tempo vamos recuperando da dor, mas o vazio fica lá para sempre; só a saudade e as boas recordações conseguem preencher parte dele. Lembro bem, dessa perda a que te referes, Amiga! Afinal andamos juntas há doze anos, trocando experiências e fazendo os nossos desabafos, muito obrigada, querida Amiga, por teres escutado os meus e também por saber que continuas aí, sempre disponivel para os amigos. Espero que estejam todos bem de saúde e que assim continuem . Um abraça carregadinho de amizade e parabéns pelo belo poema
Emilia

Toninho disse...

O que fazer com esta louca saudade amiga?
Só nos resta lembrar e poetizar o triste e fazê-lo belo assim
Beijo e feliz semana mais leve.
Cuide-se bem.

Pedro Coimbra disse...

Detesto partidas e despedidas.
Bjs, boa semana

José Carlos Sant Anna disse...

Embora dê conta de uma tristeza infinda, o poema é, esteticamente, bela composição porque nos traz uma história de amor, ainda viva.
Abraços, minha amiga!

Dalva Rodrigues disse...

Que belo poema, Mariazita, a versão narrada está linda, a oralidade da língua portuguesa de Portugal é muito poética.
O momento da despedida é sempre carregado de emoção para os que têm afeto e deixa sim um vazio, para mim não é tristeza, é uma incompletude que não tem nada que reponha aquele pedacinho que falta, por mais que existam as boas lembranças.
Parabéns, me emocionei, amiga, este é o mês da partida de meu pai, dia dos pais...
Abraço!

A Paixão da Isa disse...

waounh waounh que bonito gostei dasduas bresoes bjs saude feliz semana

Portugalredecouvertes disse...

como as palavras simples tão sentidas
falam da dor da partida, da saudade sem fim
ficou muito bem Mariazita,
o caminho percorrido depois do adeus é muito doloroso

Rajani Rehana disse...

Awesome post

Olinda Melo disse...

Querida Mariazita
Acompanhámos-te virtualmente nessa despedida e com palavras de amizade tentámos minorar um pouco a tua dor.
Por isso este teu belo Poema sentimo-lo um pouco nosso, penhor da tua saudosa entrega e dedicação.
Muita saúde te desejo ao lados dos teus.
Beijinhos
Olinda

O Árabe disse...

Optei por uma terceira escolha, amiga: ler o poema, ao som da tua declamação. Confesso: emocionei-me; escreves muito bem, e a tua voz traduz todo o sentimento que te vai no peito! Meu abraço, bom resto de semana.

Smareis disse...

Boa noite Mariazita!
Um poema muito bonito!
Sua narrativa ficou perfeita. A partida sempre é muito doída.
Desejo um ótimo mês de agosto.
Um beijo!

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e outros textos literários. disse...

É sempre triste a partida,
Querida Mariazita!
Nossa alma fica aflita,
Sentimos perder a vida
De quem faz a despedida.
Porém o retorno é belo.
Viramos polichinelo
Ou ridículo palhaço
Quando estreitamos o laço
Do reencontro singelo.

Saudades deste espaço. Há muito tempo que aqui não passava, Escusas e meu abraço Laerte,


Maria Rodrigues disse...

Todas as partidas deixam marcas profundas no nosso coração.
Que as doces memórias consigam aliviar as saudades.
Sentido e belo poema.
Beijinhos

Duarte disse...

Amiga, que carga de nobres sentimentos expressas, que, recitados assim, comovem.
Dói e muito o silêncio da ausência, ainda que fiquem vivos em nós momentos que revividos atenuam essa dor.
Abraços de vida.

Amélia disse...

Querida Mariazita aplaudo de pé a declamação do maravilhoso poema.
PARABÉNS!! A partida de quem gostamos é sempre muito difícil.
Beijinhos

Porventura escrevo disse...

A trsteza sufoca nos mas por vezes leva a criação linda

Rajani Rehana disse...

Mind blowing blog

Isa Sá disse...

Seja qual for a partida nunca é fácil

Isabel Sá
Brilhos da Moda

rere disse...

Thanks for sharing

visit our website href="https://ittelkom-jkt.ac.id/"

Jaime Portela disse...

Há partidas que nos deixam assim...
Um poema belíssimo e muito bem dito (a tua voz é ótima para dizeres poesia).
Bom fim de semana, amiga Mariazita.
Beijo.

Alécio Souza disse...

Querida Mariazita,
A vida é uma eterna partida, todos os anos, todos os dias, todas as horas perdemos algo ou alguém. Ao longo dos anos perdemos a nossa juventude, perdemos entes queridos, perdemos amores que se vão. Em contra partida novos acontecimentos chegam e a vida segue o teu ciclo.
Achei belíssimo o seu poema, lindos versos com um toque de melancolia!
Beijos!

ValeriaC disse...

Bom dia, Mariazita!
Somos amigas no Facebook e acabei de entrar no seu Grupo, por lá também, fiquei encantada com suas publicações e fico a me lamentar que o algoritmo do FB, nos faz perder de ver as belas postagens que os amigos/as fazem e para poder estar mais perto de você, vim seguir seu Blog, pois confesso, é por onde tenho andado muito mais. Já sou blogueira de muitos anos, deixei tudo parado, retornei a pouco tempo, em junho deste ano, fico imensamente feliz porque vejo que temos muitos amigos/as em comum.
Seu poema, divino, onde se derrama um misto de sentimentos que se sentem ao perder alguém tão amado! Sentimentos, esses, que nenhum de nós quer sentir, por certo, a dor e o vazio são imensos.
Gostei muito de ouvir sua narração, penso e sempre me lamento, por nós aqui no Brasil, não falarmos exatamente igual a vocês, com a mesma pronúncia, que adoro, acho que não tinha que ter mudado.
Voltarei, com certeza, beijinhos
Valéria

Ana Freire disse...

Um maravilhoso e comovente poema! Nunca se está verdadeiramente preparado, para a partida dos nossos... restando-nos as recordações dos bons momentos, e do privilégio de os termos por perto, enquanto a vida assim o permitiu...
Adorei ouvi-la, Mariazita! Deixo um beijinho, estimando que se encontre bem, assim como todos os seus! Continuação de um feliz Agosto, e votos de uma excelente semana!
Ana

O Árabe disse...

Meu abraço, amiga. Aproveitei para ouvir de novo o poema... mas já tou "cobrando" o novo post, viu? ;) Boa semana!

Jaime Portela disse...

Gostei de reler e de te ouvir de novo neste magnífico poema.
Bom fim de semana, querida amiga Mariazita.
Beijo.

O Árabe disse...

Aguardando o próximo post, amiga! Meu abraço, boa semana!

Jaime Portela disse...

Continuação de boa semana, amiga Mariazita.
Beijo.

O Árabe disse...

Mau abraço, amiga! Boa semana... mas aguardo o novo post, viu? :)

Fá menor disse...

Gostei muito de ouvir a sua voz, amiga Mariazita, num poema cheio de sentimento, tão sofrido.

Beijinhos e tudo de bom!

Inês disse...

Um poema muito belo e cheio de sentimento! :) Beijinhos
--
O diário da Inês | Facebook | Instagram