segunda-feira, 1 de outubro de 2018

LIVRO EM CONSTRUÇÃO - SEGREDOS IV

SEGREDOS – CAPÍTULO IV

"... - Estava a abrir a porta da rua quando o telemóvel tocou. Viu que era o Luís e resolveu não atender. Logo de seguida ouviu uma mensagem em alta voz:
- Mãe! Porque não atendes o telefone? Já te liguei hoje não sei quantas vezes! Preciso falar contigo com a máxima urgência! Liga-me, por favor!
A voz do filho denotava urgência e ansiedade..."

SEGREDOS – CAPÍTULO IV

Depois de ouvir a mensagem de Luis, Nanda ficou uns momentos indecisa, sem saber bem o que havia de fazer. Por um lado, Bela já devia estar no local de encontro; por outro lado o tom de voz do filho “dizia-lhe” que devia ligar-lhe sem demora. E coração de mãe não se engana.
Saindo de casa ao encontro de Bela foi ligando para o filho.
- Até que enfim, mãe! Estou farto de te ligar e tu não me respondes…
- Tens razão, filho, mas pensei que querias saber novidades da conversa com o teu pai, e só há muito pouco tempo é que consegui falar com ele… - desculpou-se Nanda. E acrescentou rapidamente:
- Mas tenho boas notícias para te dar…
- Já dás, mãe – interrompeu-a Luis. Deixa-me primeiro falar…
- Diz lá então o que se passa.
- Tenho uma notícia muito boa para te dar, que penso que te vai deixar muito feliz – informou Luis, alegremente.
- Diz, filho, diz! – Nanda agora estava ansiosa por ouvir.
- Pois então prepara-te: - já és avó!
- O quê? A voz de Nanda denotava enorme espanto. Mas não é ainda muito cedo?
- A isso não te sei responder, mãe. Sabes como é, com o pouco dinheiro que temos a Catarina não ia ao médico e deve ter feito mal as contas…
Ao mesmo tempo que ia falando com o filho Nanda ia caminhando e em breve estava junto de Bela. Fez-lhe sinal para aguardar e continuou conversando.
- Mas diz-me, como está o bebé? E a Catarina? Como correu o parto? Onde é que eles estão agora? – Nanda estava excitadíssima, fazendo perguntas uma atrás da outra, sem esperar resposta.
- Acalma-te, mãe, até pareces eu quando soube que o bebé estava a nascer – riu-se Luis. E respondeu:
- Sim, estão bem…
- Espera! Nem perguntei se é menino ou menina. Afinal, tenho um neto ou uma neta? – interrompeu Nanda, que continuava agitadíssima, querendo saber tudo ao mesmo tempo.
- E se eu te dissesse que eram dois? – Luis denotava na voz uma alegria fora do comum.
- O quê? Tu não me digas que sou bisavó – riu Nanda, com um leve acento de preocupação.
Luis deu uma forte gargalhada.
- Não, mãe, és só avó. E do menino mais lindo do mundo!
-Ah! Assim é melhor… - Nanda respirou aliviada - Dois ao mesmo tempo são mais difíceis de criar, não só pelo trabalho como também pela despesa… E acrescentou:
- Que seja o menino mais lindo do mundo não duvido… não nega as suas origens. Afinal, o pai é um bonito rapaz, e a avó, apesar de velhota, ainda não é de deitar fora – riu alegremente.
Continuaram conversando neste tom até que Nanda olhou para Bela e vendo-lhe um ar resignado, resolveu pôr termo à conversa.
- Olha, meu filho, vamos falar de coisas práticas. O melhor será eu ir para aí amanhã, para ajudar no que for preciso. Hoje já é um bocado tarde e não tenho nada preparado…
- Não penses nisso, mãe, não é preciso. A mãe da Catarina levou-a lá para casa, vai dormir no quarto de solteira dela. Eu fico a dormir no nosso palácio (deu uma curta risada) mas vou lá vê-la todos os dias, depois da jorna. Ao trabalho não posso faltar, sabes como é, quem não trabalha não recebe… e não estamos em condições de dispensar nem um cêntimo…
- Se sei, meu filho, se sei… Desempregada há tanto tempo preciso de contar os tostões… Mas não te dei uma notícia muito importante. Já falei com o teu pai…
- Ah sim? E o que foi que ele disse? – perguntou Luís, ansiosamente.
- Começou com as tretas do costume, mas quando lhe disse que ia ser avô mudou como da água para o vinho. Ficou todo excitado, a querer saber mais do que eu… e acabou dizendo que “para o neto nem que tivesse que ficar ele sem comer”.
- Muito me contas, minha mãe. Então o velhote ficou contente com a ideia de ter um neto? Antes assim; sabes que eu gosto do pai, embora não concorde com a maioria das cenas dele… Mas… concretamente, o que é que ele está disposto a fazer?
- Prometeu arranjar um sítio para vocês morarem, o que é óptimo, e depois ajudar em tudo o que puder, como seja arranjar-te trabalho e coisas assim… E ficou ansioso para vocês virem para cima.
Dando o assunto por terminado despediram-se com as recomendações habituais de “beijos para a Catarina e mil beijos para ti”, agora acrescentados dos carinhos para o netinho.
Desligado o telemóvel voltou-se finalmente para Bela, que aguardava pacientemente. Explicou-lhe tudo o que estava acontecendo, que Bela tinha mais ou menos depreendido pelo que ouvira.
Concordaram que já era um pouco tarde para a caminhada que tinham combinado, para além de que Nanda teria ainda que fazer alguns telefonemas para avisar que já era avó. Bela riu-se do ar “babado” com que ela pronunciava “avó”. Como boa amiga que era – aliás, as melhores amigas desde que eram quase crianças – congratulou-se com a alegria da recente vovó, dizendo-lhe que combinariam a caminhada para outro dia.
- Amanhã, talvez… - concordaram ambas. E despediram-se.
Encaminhando-se para casa Nanda resolveu parar no café para beber uma água e tentar acalmar-se antes de fazer os telefonemas a dar a boa nova.
Rememorando a conversa com o filho pôs-se a imaginar a felicidade que ele estaria a sentir por ser pai. Provavelmente a mesma que ela própria sentira quando nascera o seu primeiro filho, Miguel. O pensamento recuou quase trinta anos. E reviveu a cena…
***
“Caminhava distraidamente pela rua, com a descontracção própria dos seus 17 anos, muito próximo dos 18.
Ia encontrar-se com a sua melhor amiga, Bela, que fora à universidade colher informações acerca dos cursos que ambas pensavam ir frequentar no próximo ano, agora que estavam prestes a terminar o 12º. Ano. Depois iriam almoçar juntas para combinar os pormenores da festa de anos de Nanda, que completaria os 18 anos dentro de 3 meses.
Numa rua muito próxima da cidade universitária, ao dobrar a esquina, Nanda sentiu um forte encontrão que a fez voltar-se, furiosa, pronta a interpelar severamente a pessoa que assim a tinha “abalroado”.
À sua frente estava um jovem aparentando vinte e poucos anos que, com um ar compungido, murmurava numa voz doce e ao mesmo tempo lastimosa:
- “Scusa! Mi dispiace! …”
Nanda levantou a cabeça para ver o rosto de quem pronunciava tais palavras que, apesar de serem em italiano, ela percebeu perfeitamente.
O jovem era bastante mais alto do que ela e, logicamente, deveria ser italiano. A sua fúria inicial quase desaparecera ao ouvir aquela voz tão doce, desvanecendo-se por completo ao observar aqueles olhos de um azul tão profundo como ela nunca tinha visto.
O estranho parara no passeio observando-a atentamente.
- Poderásperdonarmi”? – perguntou.  E, continuando com um forte sotaque italiano:
- A culpa foi toda minha, eu sei, e a única justificação que tenho é a grande preocupação que ocupa ‘la mia mente’. Eu vinha completamente distraído com tantas dúvidas ‘nella mia testaque nem sabia por onde vinha…
Tudo isto foi dito com palavras portuguesas e italianas à mistura. Nanda estava emudecida. Ela, que habitualmente tinha a resposta na ponta da língua, não conseguia articular uma só palavra. Nada lhe ocorria…”
***
- Desculpe, senhora, mas deseja mais alguma coisa? Era a voz do empregado, trazendo-a à realidade.
- Não, muito obrigada, não preciso de mais nada. Quero apenas pagar.

E terminou o pensamento em que estivera embrenhada:
“Ai, Alessandro Adari!”

Ao chegar ao prédio onde morava Nanda meteu a chave à porta e, no patamar, encontrou o seu vizinho do andar de cima, Jorge, que a cumprimentou com aquele ar respeitoso que usa para com todas as pessoas, especialmente as senhoras.
- Boa tarde, Dona Nanda, como vai a senhora?
- Eu estou muito bem, obrigada, Jorge. E muito feliz, porque soube há pouco que já sou avó.
- Avó? Mas não é possível! A senhora tão jovem já tem netos? Foi mãe aos 10 anos… é isso? – Jorge adoptara um ar brincalhão mas ao mesmo tempo admirado.
- Não, não foi aos 10 anos – riu Nanda. Fui mãe aos 18 anos… uma criança, diga-se em abono da verdade.
- Seja como for, a senhora não tem aspecto de avó. Parece irmã dos seus filhos… - Jorge falava com sinceridade.
- São os seus lindos olhos, Jorge, sempre gentil…
Depois de mais uma pequena troca de piropos, despediram-se. Jorge ia passar pelo coro, onde cantava como tenor, para saber quando seria o próximo ensaio. De lá seguiria para o bar onde trabalhava.
Nanda subiu os degraus até ao primeiro andar onde morava, abriu a porta de casa e entrou. Lá dentro, sozinha, esboçou um sorriso e murmurou:
“Ai este Jorge, sempre tão gentil e simpático! E depois… aqueles olhos azuis… dão-me volta à cabeça! Como diz a Bela, parafraseando não sei quem… - Que pedaço de mau caminho!
Mas…para o que lhe havia de dar… Se não fosse aquele ‘pequeno defeito’ eu até era capaz de dar umas voltinhas com ele no carrocel! Noutras circunstâncias não me escapava – continuou o seu raciocínio, bem-humorada.
Que desperdício, santo Deus!” – e riu baixinho. 

Maria Caiano Azevedo

48 comentários:

A Nossa Travessa disse...

Minha querida Mariazitamiga

Um pedaço de mau caminho + um carrossel - estão deitados os ingredientes para um cozinhado de alto lá com o charuto como diria o Vasco Santana. Este LIVRO EM CONSTRUÇÃO - SEGREDOS IV caminha a bom caminhar e pelo seu andar vai dar muito que e para falar. Continuas em grande forma e ninguém diria que tiveras uns achaques. Oxalá eles estejam ultrapassados.

E mais não digo pois fico atento ao desenvolvimento do escrito. Como em tempos se via na RTP aguardo as cenas dos próximos episódios... :-)

Muitos qjs deste teu amigo, admirador e ex-fadista
Henrique, o Leãozão

Já está publicado na Nossa Travessa mais um episódio da saga VIVER COM UM IRMÃO PORTADOR DA SÍNDROME DE DOWN que desta feita leva o título de O Super Frederico, Nele o nosso herói desdobra-se em actividades diversas face a mais uma situação muito difícil: a irmão dele Leonor caiu na teia demoníaca da droga, E ele, sozinho, vai resolvendo a par e passo os múltiplos problemas que tem pela frente!

Elvira Carvalho disse...

Cada vez mais interessante esta história da Nanda.
Fico aguardando o próximo.
Um abraço e uma boa semana

Graça Pires disse...

A história continua cheia de interesse. Muito bem contada, a fazer-me desejar ler a continuação.
Uma boa semana.
Um beijo.

Mary - Strawberrycandy disse...

Boa semana,
Beijinhos,
Espero por ti em:
strawberrycandymoreira.blogspot.pt
http://www.facebook.com/omeurefugioculinario
https://www.instagram.com/marysolianimoreira/

Rejane Tazza disse...

Estou adorando acompanhar e o bom humor aliado ao enredo, nos prende! beijos, chica e feliz OUTUBRO!

SOL da Esteva disse...

Expectativas a deixar adivinhar um enredo de muitas voltas. Promete ser uma bela história. Incentivo-te a que mantenhas o ritmo.
Feliz te seja a imaginação.
Espero mais na continuação.


Beijo
SOL

Rejane Tazza disse...

Voltei pra dizer que depois fiquei pensando que todos avôs e avós ficam babando, mesmo sabendo que tudo ou MUITOI pra eles vai tocar,rs... Adorei tudo! bjs chica

Daniel Costa disse...

Querida Mariazita, vidas modernas que conduzes, literariamente, com mão de mestre, com grande experiência de vida vivida. Não basta ter ideias, e sempre preciso saber criar um retrato, daquilo que se quer focar, ou até recriar em ficção. Para isso, nada como o estatuto de adulto, na ponta dos dedos. Eles são os elos de ligação à condução literária. E tu o estás a fazer bem.
Beijos

Lúcia disse...

Dois capítulos de uma "tacada" só! Havia lido o terceiro mas tive que "recuperar". faço muito isso quando leio um livro "à prestação". A melhor notícia: Nanda é vovó! Que maravilha! Tão nova, vida boa livre e ainda Beijocom "olhos azuis"! Sou fã da Nanda, acredite!Beijo, Mariazitamiga! Ótima semana!

Emília Pinto disse...

A Nanda é avó e eu também fui no dia 29. Nasceu o 1o filho da minha filha, uma menina que daqui a pouco chega a casa. Imagina, veio com 4, 05 e 51 cm e, felizmente tudo correu bem para as duas. Como deves imaginar o meu tempo, durante uns dias vai ficar curto, mas darei um jeito de visitar os amigos. A história vai indo cada vez mais interessante e cá estarei para o próximo capitulo. Fica bem, querida amiga e deixo-te um abraço muito amigo
Emilia

Carla Ceres disse...

Ei, Mariazita, você já pensou em escrever para a televisão, ser roteirista (acho que vocês chamam de "guionista")? Seus diálogos e as situações que cria têm naturalidade e fluem lindamente. Eu gostaria de assistir a uma telenovela de sua autoria. Mas, antes, termina o livro da Nanda, tá? É muito cruel com os leitores abandonar uma obra em andamento só porque a fama e a fortuna bateram à porta. :) Beijinhos!

O Árabe disse...

É... avós ou não, os nossos sentimentos não somem, não é? :) Valeu a pena esperar, Mariazita; mais um belo capítulo! E agora, quando vem o próximo? Boa semana, amiga; aguardo!

Ruthia disse...

Só agora percebi que o ex-marido é italiano. Porquê que umas palavras nessa língua têm a capacidade de nos dar "volta ao miolo"? Sigo com grande interesse, com pena por ter que esperar um mês pelo próximo episódio.
Beijinho
RUthia d'O Berço do Mundo

Lucia Silva disse...

Amei esse episódio repleto de pureza com o florescer da vida. Imagino a alegria de Nanda, ser avó, é muita felicidade.
Beijos!

Mariazita disse...

De: Lidia Silva
Enviada: segunda-feira, 1 de outubro de 2018 09:59
Para: Maria Azevedo
Assunto: Re.: NOVA POSTAGEM
Olá Mariazinha desejo muito êxito com este trabalho, deixo um abraço e beijinho.
LÍDIA

Luis disse...

Mariazita,

Continue com a sua bela prosa.... Temos novo livro no prelo? Gostei deste pedaço!!!!

Beijinhos amigos,

Luís

Manuel Luis disse...

Na mesma altura, nasce o neto, os avós vão ajudar, e por aí fora.
Boa ferias, as melhoras.
Bjs

Pedro Coimbra disse...

E vamos acompanhando o crescimento de um projecto que muito promete.
Bjs

Beatriz Bragança disse...

Querida Mariazita
Isto promete: novas personagens vão aparecendo, a trama vai-se enlaçando e a curiosidade dos leitores vai aumentando.
Estou ansiosa pelo novo capitulo.
Um beijinho
Beatriz

esteban lob disse...

Logras crear, Mariazita, una atmósfera inmensa de complicidad con nosotros, tus lectores, al meterte en el alma de tus personajes.

Un beso.

Majo Dutra disse...

Mariazita, foi um enorme prazer ler este texto do seu futuro livro.
Vai ser um sucesso.

Agradeço muito as palavras simpaticíssimas que deixou pelo meu
aniversário... Disse que era minha gémea... faz anos no mesmo dia?
Agradecia a resposta.

Estimada Amiga tenha um Outubro pleno de saúde, alegrias e sucessos.
Abraços grandes.
~~~~

Jaime Portela disse...

Gosto muito da tua narrativa.
Contas muito bem uma história e não apetece parar de ler.
Mariazita, bom feriado e bom fim de semana.
Beijo.

Portugalredecouvertes disse...


que narrativa tão charmosa Mariazita !
foi um prazer percorrer com os olhos esse texto tão bem elaborado, e num português agradável e leve, que nos enche o sentimento!
até fui ver o texto anterior para relembrar que era o "desastrado" do avó do bébé !!!
enfim bonito de se ler !
beijinhos amiga
feliz feriado
Angela

Ana Tapadas disse...

Muito interessante a sequência narrativa!
Gosto de ler-te.
Beijinho

esteban lob disse...

Tienes, Mariazita, una imaginación frondosa que genera historias atrayentes. Me alegra poder leerte.

También "beijinhos" para ti.

O Árabe disse...

Aguardando o próximo capítulo, desejo-te uma boa semana! Fica bem, minha amiga.

Marina Fligueira disse...

¡Hola Mariazita!

De nuevo por aquí agradeciendo tu huella y leyendo este relato capitulo IV que lleva muy buen rumbo y me encanta, esperando el siguiente con ansia, para ver como se porta ese abuelo algo tacaño, la abuela sin duda tiene muy buena disposición.

Siempre es un inmenso placer pasar a leerte.
Te dejo mi abrazo fraterno y mi gran estima.

Tanka.

Brilla un lucero
En el Brasil hermana
Rompiendo cercos,

Abraza lo sencillo
La dicha y la nostalgia.

Franziska disse...

Estoy encantada siguiendo la historia que nos cuentas y aunque he pensado que me había perdido algún capítulo creo que no ha sido así porque a lo largo del capítulo de hoy he ido recordando todo lo que decías.

Tuve un error al querer quitar de mi listado de blogs aalgunos que ya no publican desde hace mucho tiempo o con los que no tengo relación porque nunca aparecen en mis blogs y el tuyo debió ser uno de ellos. Ahora mismo copio el link y ya no tendrás que echarme de menos sporque yo no quieroperderme el desarrollo de tu novela. Un abrazo.

Agostinho disse...

A narrativa segue em grande forma. Deixa ao leitor aquela sensação de ratinho no estômago, o que é muito bom.
Continuação de boa inspiração e saúde.
Bj.

esteban lob disse...

Fascinante lo de Nanda y toda la trama, Mariazita. Sigue siendo desbordante tu imaginación.
Seguiré viniendo.

Un beso austral.

Ghost e Bindi disse...

Olá Mariazita!
É muito prazeroso ler seu texto, fluente e leve. Mas sinto uma pontadinha de tristeza ao testemunhar esta família desunida pelas circunstâncias da vida...torço para que as coisas se ajeitem e possam usufruir com mais tranquilidade a notícia da criança que nasceu, ainda que seja de total liberdade do autor dar destino completamente diferente aos personagens :) Mas sou como os noveleiros de plantão, sempre torcendo por um final feliz :D
Um carinhoso abraço
Bíndi e Ghost

Jaime Portela disse...

Passei para ver as novidades.
Aproveito para te desejar um bom fim de semana.
Beijo.

Amélia disse...

Querida Mariazita. Mais uma vez tive um enorme prazer de ler a sua maravilhosa narrativa,muito bem contada.
Estou anciosa á espera da próxima.
Votos de um excelente fim de semana
Beijinhos

betonicou disse...

Oi Mariazita! Narrativa espetacular e escrita bem consistente, minha querida escritora. Como sou tambem escritor faço uma leitura bem atenta, a fim de estar bem entendido quanto ao contexto.Uma ótima experiencia, é ler-te. Estou a um capitulo de terminar meu livro, e ai já pode imaginar minha expectativa pelas inspirações. Apesar que tambem estou guardando esse momento de escrever, para um futuro mais calmo. Eleições aqui, e a tensão é bem percebida no ar. Quando sairá o próximo? Feliz fim de semana. Grande beijo.

O Árabe disse...

Meu abraço, amiga; boa semana. Mas... cadê o novo capítulo?! :)

O meu pensamento viaja disse...

Mariazita, muito bom o seu texto e agradável de ler. Gostei. Beijo

Quase Cinderela disse...

Acabei de descobrir o blogue, li este capítulo e gostei muito, vou ler do início.
Obrigada
Beijinho

Maria Glória disse...

A vida da nossa Nandinha é ampla de surpresas, até vovó ela já é!
E agora eu, aqui, do outro lado do Atlântico, curiosa, a saber da continuação da história.
Aguardarei por ti, minha amada amiguinha, mas deixo uma abada de beijinhos, abracinhos e muito carinho.
Um ótimo final de semana e até mais...

Jaime Portela disse...

Mariazita, vai ser uma parte por mês, a cada dia 1...?
Passei para ver as novidades, mas aproveito para te desejar uma boa semana.
Beijo.

O Árabe disse...

Boa semana, Mariazita; fico à espera do próximo capítulo.

Quase Cinderela disse...


Re: Agradeço imenso o seu comentário no meu blogue.
É verdade, adoro ler, escrever, entre outros, e a Escócia, que me marcou para sempre no coração.
Voltarei no primeiro dia de novembro :)
Obrigada
Beijinhos

Jaime Portela disse...

Mariazita, fiz um comentário ao teu comentário acerca das prostitutas (no meu blogue).
Um bom fim de semana.
Beijo.

Ontem é só Memória disse...

Muito interessante!

Bjxxx
Ontem é só Memória | Facebook | Instagram

O Árabe disse...

Acredito que o novo capítulo deve sair em breve... e, com certeza, aqui estarei para ler as novas aventuras da Nandinha! :) Meu abraço, Mariazita; boa semana.

Inês disse...

Vou voltar atrás para ler todos os capítulos, gosto muito de ler assim contos! :) Beijinhos e boa semana.
--
O diário da Inês | Facebook | Instagram

Quase Cinderela disse...

Ansiosa! So falta 1 dia :)
Beijinhos

Fedora Rigotti disse...

Hola,
Ofertas de préstamos entre particulares, rápidas y fiables.
Soy una persona seria y honesta que otorga préstamos de entre 3.000 y 500.000 euros a todas las personas que buscan un préstamo de dinero para cubrir una necesidad, pagar una deuda, llevar a cabo un proyecto, reactivar su negocio, otra preocupación. Te pido que te contacten directamente conmigo.

fedora.rigotti51@gmail.com

Whatsapp: 39 3891124366


Hola,
Ofertas de préstamos entre particulares, rápidas y fiables.
Soy una persona seria y honesta que otorga préstamos de entre 3.000 y 500.000 euros a todas las personas que buscan un préstamo de dinero para cubrir una necesidad, pagar una deuda, llevar a cabo un proyecto, reactivar su negocio, otra preocupación. Te pido que te contacten directamente conmigo.

fedora.rigotti51@gmail.com

Whatsapp: 39 3891124366

Ana Freire disse...

Estou a adorar inteirar-me melhor na história de Nanda... já que comecei pelo último capítulo... visto também eu ter estado alguns meses ausente da blogosfera...
Adorei o capítulo, muitíssimo bem construído e com uma história empolgante, que se acompanha com interesse crescente!...
Deixo um beijinho, estimando a continuação das melhoras da sua filha, Mariazita... e amanhã estarei de volta, por aqui, lendo os capítulos de Agosto e Setembro, que também se me escaparam, na minha ausência...
Desejo de que tudo esteja a correr por aí, o melhor possível!
Ana