domingo, 10 de agosto de 2008

MANTA DE RETALHOS

Quando se escreve “ao correr da pena”, como se de uma amena conversa se tratasse, corre-se o risco de usar expressões que podem ser mal interpretadas por algum leitor mais atento.

Vem isto a propósito do comentário que um gentil visitante e comentador fez ao post anterior, Sei que a sua intenção não foi dizer "todos nós"
pelo facto de eu ter escrito “todos nós”.
Daí que eu tenha alterado este início de conversa, que começava assim:

- Todos nós sabemos que uma manta de retalhos é feita de…

A verdade é que nem TODOS sabem como se faz ; apenas alguns, mais provavelmente algumas… que uma manta de retalhos é confeccionada com pequenos bocados de tecido, unidos aleatoriamente…

Mas deixemos isso para a próxima aula de corte e costura!
Vamos ver o que tem a dizer-nos esta simpática velhinha.

SOU UMA VELHINHA GAITEIRA











Sou uma velhinha gaiteira. E daí?
Isso incomoda-vos? Lamento!
Preferia que vos agradasse. Mas não posso deixar de dizer que “é para o lado que durmo melhor”.
Esta é uma expressão que usam os meus bisnetos - que, aqui para nós, também me chamam, com ternura, “velhotinha gaiteira” – quando querem significar que não se importam com qualquer coisa..

Gosto de vestir roupas de cores claras, alegres. E daí?
A claridade faz bem aos ossos, ajuda a combater a osteoporose. O ideal mesmo é a luz do sol, pelo menos quinze minutos por dia. Mas nos dias sem sol, ou para quem não pode expor-se aos raios solares, a claridade é um bom substituto.
A alegria é indispensável à vida. É a ela que devo a minha longevidade.
Não sabem que existem “clínicas do riso” onde as pessoas com uma certa idade vão, apenas rir, quinze minutos todos os dias? Vejam como elas são felizes!
“A alegria é um raio de luz, que deve permanecer sempre aceso, iluminando todos os nossos actos, servindo de guia a todos que nos rodeiam”
A vida é muito importante para ser levada a sério – dizia Óscar Wilde.

Gosto de passear no parque, ouvir o chilrear dos passarinhos. E daí?
Quem disse que os parques só podem ser usados pelos meninos que jogam à bola ou brincam ao pião?
Ou pelas meninas, carregando as sua bonecas, brincando às mamãs?
Ou pelas criadas, impecáveis nas suas fardas acabadas de engomar, aventalzinho branco bordado, empurrando os carrinhos dos bebés, que vêm tomar ar fresco?
Esperem! Estou a fazer uma grande confusão…isto acontecia há muitos anos! Deixei-me embalar pelas recordações…
Estou aqui sentada há tanto tempo e ainda não ouvi o cantar de um pássaro! Ouço, sim, as buzinas dos carros, que fazem um barulho infernal.
E o ar fresco e perfumado? Não se sente…Há, isso sim, um cheiro horrível do gás que sai dos tubos de escape.
E as crianças, as poucas que por aqui se vêem, estão agarradas àquelas maquinetas que lhes entortam os olhos. Mexem constantemente os dedinhos, mordem os lábios nervosamente, e não se apercebem de nada à sua volta…

Preocupo-me com a saúde. E daí?
Vou ao médico regularmente. Tomo os medicamentos que ele me receita. Faço os exames que prescreve. Sigo, direitinho, todos os seus conselhos.
• Dizem-me os mais jovens:
• Eu vendo saúde! Sou forte! Para quê perder tempo com médicos?
• Eu também já fui jovem, mas não pensava assim. Sempre me cuidei. Continuem com essa filosofia, e em 2028 cá estaremos, e então conversamos. Bom, EU sei que vou cá estar. Vocês…não sei! Arrisco-me a falar com os vossos ossos, talvez já feitos em pó.
A juventude de agora não pensa! “Esta juventude um espanto!”

Sou vaidosa. E daí?
Olho-me no espelho e vejo um rosto sorridente. As rugazinhas que o enfeitam sorriem comigo. Foi uma oferta do tempo, por tanto que eu soube sorrir.
Os olhos reflectem ternura. E amor. Muito amor. Todo o amor que dei e recebi ao longo de tantos anos.
O peito não é altivo como antigamente…Foi a amamentar os filhos que ele perdeu a altivez. Como os meus filhos gostavam do leitinho da mamã! Era vê-los crescer, fortes, saudáveis, risonhos!
Não há nada como o leite materno para alimentar os bebés.
Hoje há muitas mulheres que não querem amamentar. Dizem que não querem “estragar” o corpo! Como se um filho pudesse estragar a sua mãe!
São jovens, ainda não sabem que, depois de carregarem um filho no ventre durante nove meses, ele ficará para toda a vida no coração.
E esse, o coração, é que é importante não deixar estragar.

Estou a ficar desmemoriada. E daí?
A semana passada fui ao cinema ver um filme qualquer. Já nem me lembro do nome…dos artistas muito menos. Sei que são muito conhecidos, famosos, mas não me recordo dos nomes. Mas isso que importa? Daqui por algum tempo ninguém se lembrará, também! Eu apenas me antecipo a esquecê-los.
Sei é que havia um cheiro forte, enjoativo, no ar. Pipocas, era isso!
E aquele ruído de fundo – crr, crr, crr…Imaginem o som de duzentas ou trezentas pessoas – não sei quantas comporta uma sala de cinema - a mastigar pipocas!
E o ronco do vizinho do lado que não apreciava o género de filmes de…
Acção? Suspense? Policial? Sei lá!...
Não me lembro. E daí?

OBS. – Para que não me interpretem mal… entenda-se “gaiteira” por – alegre, foliona, brincalhona (adjectivo) e não «tocadora de gaita» (substantivo).

42 comentários:

Meg disse...

Mariazita,
Vejo que temos muiiiiiitas coisas em comum! É assim mesmo.
Adorei, adorei, adorei.
E apetece-me acabar com o O'Neil...
"E depois?"
Uma boa semana e um abraço

A. João Soares disse...

Querida super-avó,
Já que começou com a queixa de um comentador, aqui vai a queixa de outro: Não posso tolerar a frase
"A juventude de agora não pensa!" “Esta juventude um espanto!”
Assim não merece o adjectivo, ou lá o que é, de «gaiteira»! Se não nos procura compreender, então...
Mas, apesar dessa falta de respeito por nós, os jovens, quero confessar-lhe que gostei dessa descrição comparada dos velhos e dos novos tempos. Bem sabe que dos velhos tempos nada sei, mas a minha bisavó vai-me contando coisas muito curiosas da vida pura e saudável de então!
Beijos
João

canduxa disse...

Querida Mariazita,
Os tempos são outros e temos de nos adaptar a todas as mudanças.
És um bom exemplo disso: está moderna, linda, divertida...
Resumindo: estás de bem com a vida!
Tudo isso só é possível quando temos o coração aberto e amamos muito.
Continua assim, manita querida.
Uma semana cheia de luz.
Beijinhos
Canduxa

Mariazita disse...

Querida Meg
As suas palavras fizeram-me muito feliz.
É tão bom ver que o nosso trabalho agrada, mesmo tratando-se de um texto tão despretencioso como este.
Obrigada!
Feliz semana para si, também.
Beijinhos
Mariazita

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Mariazita:
O que vc escreveu é a mais pura verdade. Quantas vezes não fui mal interpretada pelo que escrevi. E para algumas pessoas não adianta explicar, o mal está feito.
Fiz um post, querida, que considero lindo, vc não vai prestigiá-lo?
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
Um beijo,
Renata

Mariazita disse...

Querido super neto João,
Já me "limpei" (pelo menos tentei...) com o queixoso anterir, com a resposta que lhe dei.
Agora nós:
Ontem, para fazer jus à "gaiteira", andei de rabo alçado toda a tarde; cheguei a casa cerca das 11 da noite.
Fui almoçar a casa da minha filha, a mãe dos gémeos de 6 anos, e lá passei a tarde e parte da noite.
Não resisto a contar-lhe isto:
Estávamos as duas conversando, um dos gémeos aproximou-se e pôs-se a olhar. E perguntou: avó, tu és mais velha do que a minha mãe?
Respondi-lhe: olha bem para nós as duas, e diz-me o que achas.
Ele olhou para uma...para a outra...e respondeu: acho que não.

Bom, não sei se a minha filha gostou da resposta, mas a "gaiteira" ficou toda inchada!!!

Isto vem a propósito da sua difamação de que "eu não respeito os jovens".
Então não respeitei a opinião do meu neto de 6 anos???

Faz favor de prestar atenção aos ensinamentos da sua bisavó e não refilar. E meta nessa sua cabecinha (que não sei se é loira...) que os velhotes é que sabem!!!
Porte-se bem.
Beijinhos da
Vovó

Mariazita disse...

Canduxinha
Amorosa, como sempre!
Tento fazer da vida uma festa, é verdade.
É o maior bem que nos foi dado; temos o dever de o cuidar o melhor possível, respeitando-NOS, acima de tudo, e respeitando, de igual modo, o nosso semelhante.
E isso pode ser feito com alegria e boa disposição.
Muito amor e muita Luz para ti, manita do coração.
Beijinhos
Mariazita

Mariazita disse...

Renata
Uns compreendem-nos, outros não.
Uns apoiam, outros vaiam.
Temos que conviver com isso, minha querida. Faz parte da vida.
Mais logo irei "prestigiar" o seu novo post.
Beijinhos
Mariazita

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Eu também sou uma velhinha pra lá de gaiteira e entendi tudo, amiga! Só não entendo por que sumiste da nossa página...Te espero por lá?

Sophiamar disse...

Mariazita

Gosto muito da ternura que os teus posts irradiam. Sempre defendi uma blogosfera de afectos, não se entenda lamechas, cordial, alegre,onde se sinta o prazer de estar pelo prazer no bem receber. Tudo isto encontro no teu blog. Obrigada!
Esta super-avozinha fez as minhas delícias.Gaiteira? Olha assim o sejam todas.As que queiram e possam sê-lo!
Que tenhas umas boas férias! As minhas estão a decorrer neste Algarve do Barrocal onde usufruo do mar e da serra.
Mil beijinhos.

Bem hajas!

Ana Maria disse...

Amiga, amei sua postagem, tenho muito dessa velhinha gaiteira.
Tenho 58 anos, como disse no meu poste; adoro dançar, vou umas 3 vezes nos forrós da terceira idade. Me sinto bem fisicamente, minha cabeça, nem se fala, é de jovem; tenho 6 netinhos; mas vivo como se eu fosse uma jovem de 25 anos, tenho muito vigor.
Como você disse, as vezes as palavras são mal interpretadas.
Nosso palavreado aqui no Brasil, é bem confuso; uma palavra pode significar outras mais.
Obrigada pela visita, vou sempre estar te visitando.
Muitos beijinhos.

Laura disse...

Oi. Por acaso costumo deixar-me ir no correr da pena e por vezes interpretam-me de lado ehhhhhh, mas, é assim que escrevo. Beijinhos e boas férias..laura..

Mariazita disse...

Querida Vanuza
Que bom que me entendeste!
Logo, logo, vou-te visitar...
Beijinhos
Mariazita

Mariazita disse...

Isabel
Obrigada pelas tuas palavras lindas!
É reconfortante saber que alguém gosta do que fazemos, e que o manifesta.
Como se costuma dizer: não basta amar, é preciso dizer - amo-te!
Que continues apreciando esse mar maravilhoso e a não menos atraente serra.
Voltarei a postar na próxima 5ª.feira, e depois só em Setembro.
Beijinhos mil
Mariazita

Mariazita disse...

Olá, Ana Maria
Do que precisamos é mesmo de "velhinhas gaiteiras". As mais jovens não precisam ser gaiteiras, têm a juventude a seu favor -:)))
Gostei muito de te ver. Aparece sempre.
Beijinhos
Mariazita

Mariazita disse...

Querida Laura
Quem escreve o que quer está sempre sujeito a ser mal interpretado...
Deixa p'ra lá! Há sempre quem goste, e isso é que importa.
Dos outros não reza a história... (estou a ser mazinha...); na verdade eu acho que todos os comentários são válidos, ainda que contrários à nossa maneira de pensar.
Beijinhos
Mariazita

Rafeiro Perfumado disse...

Não acho que sejas uma velha gaiteira, tenho é a certeza que és alguém que curte a vida. E para fazer isso, a idade é uma variável secundária...

Beijo e boas férias!

com senso disse...

Mariazita
Este é um daqueles textos que se lêem de um fôlego e, paradoxalmente, com uma sofreguidão que não nos faz querer que haja um fim.
Um texto que respira saúde, energia e que é, sem dúvida, inspirador…
Votos de umas excelentes férias.
Um beijinho de amizade.

mundo azul disse...

...sim! E daí?
Você me parece, sim, uma pessoa muito especial!
Também detesto o cheiro enjoado de pipoca que permanece sempre nas salas de cinema...

Adorei ler o seu texto! Pessoas como você é que tornam esse mundo mais bonito...

Beijos de luz e o meu carinho!

espirra canivetes disse...

Muito bem!

Boas férias... bora lá curtir a vida!

E deixe as constipações para os vizinhos---


Aaaatchiiim

Zé do Cão disse...

Velhas gaiteiras? Velhos tontos? Mas existem velhas gaiteiras? Não, claro que não existem. Mas existem velhos tontos? Não, claro que não existem. O que existe é que há dos dois sexos pessoas que são mais divertidas, mais alegres com filosofia de vida a irradiar saúde e daí chamarem-lhes velhos/as gaiteiros/as. Li todos os comentários e achei alguns bem interessantes.
Por exemplo; Rafeiro Perfumado, que bem escreve o "cachorro" e com a "mona" arrumadinha. Pudera não é velho gaiteiro. (um abraço para ele)
A Vanuza e Ana Maria, que tem 58 e considera-se velha gaiteira. Que horror, meninas, então que serei eu
com os meus 77 a fazê-los no sábado próximo. "Múmia paralítica"?
Pois garanto-vos que o Zé, gasta meias sólas em tudo quanto se mete.
E não é pouco, garanto-vos.
Vóvó, Mariazita Beijocas.
Já esquecia, Mariazita, não sou avô, tenho dois filhos com 26/27 anos, ambos solteiros e malandrecos.
Tenho tido uma preocupação, que nem fazes ideia. A quem sairão eles?

Rufino Fino Filho disse...

Bom dia:

O que a minha amiga tem, é vida para dar e vender.
Abraço
Rufino

Paula Raposo disse...

Daqui a alguns anos gostaria de ser assim. Vou fazendo por isso. Beijos.

Táxi Pluvioso disse...

Sobretudo porque já não existem penas. Pelo menos de pato, não, mas de patos, que nós somos, exitem muitas.

Boas férias!

Anita disse...

Mariazita que seu dia seja realmente um óptimo dia...
Que suas horas sejam cheias de felicidade...
Que o seu entardecer seja o mais maravilhoso...
Que o seu anoitecer seja carinhosamente depositado por Deus...
Que seu dia, tarde e noite sejam mágicos e que muitas flores enfeitem o seu caminho...

Beijos.
Fique bem. Fique com Deus.
Anita (amor fraternal)

Mariazita disse...

Olá, Rafeiro
Acho que tens razão, a idade é secundária, desde que o espírito se mantenha "jove".
A coisa só se complica se o canastro reclama...rsrsrsrsssss
Beijocas
Mariazita

Mariazita disse...

Caro Com senso
A gaiteira estava inspirada naquele dia!!!
Talvez qualquer dia ela escreva mais umas "memórias"...
Falando sério, agradeço muito as suas palavras, sempre generosas.
Espero voltar a vê-lo antes de ir de férias, no próximo sábado.
Amanhã há novo post, mais sério...
Beijinhos amigos
Mariazita

Mariazita disse...

Querida Zélia
Muito obrigada por seu carinho.
Cada um de nós pode contribuir para que o mundo seja melhor, com as armas de que dispõe.
Penso que vc dá uma ajudinha...
Muita Luz para vc e beijinhos carinhosos
Mariazita

Mariazita disse...

Espirra canivetes
Bora lá agradecer a tua visita e os votos de boas férias.
Depois conto-te se curti à maneira!
Beijoca
Mariazita

Mariazita disse...

Olá, Zé
Claro que não há velhos tontos, e velhas muito menos!!!
O cachorro, perdão, o Rafeiro, sabe o que diz! Não admira, todos os refeiros são inteligentes.
O meu tem mais inteligência que muitos humanos.
Os teus filhos, Zé, lá sabem da vida deles! A quem eles saem??? Não sei, mas sei que não é ao pai, de certeza.
Não te preocupes, qualquer dia passa-lhes a solteirice, e depois é que vais ver com quantos paus se faz uma canoa!!!
Como não vou estar cá no sábado (mas já anotei a data para o próximo ano), deixo aqui um grande abraço de parabéns ao futuro vovô!
Até sempre
Beijinhos
Mariazita

Mariazita disse...

Olá, Rufino
Obrigada!
Faz-se o que se pode, enquanto se pode...
Um abraço
Mariazita

Mariazita disse...

Olá, Paula
Claro que vais ser assim, ou antes, melhor!
Vais-te esforçando... e daí?
O teu esforço vai ser recompensado, de certeza!
Beijinhos
Mariazita

Mariazita disse...

Táxi pluvioso
Penas de pato??? Não entendi!
A gaiteirinha tá velha demais para perceber criptografia..
Volte sempre, mas sem linguagem cifrada, por favor!!!
Um abraço
Mariazita

Mariazita disse...

Anita
Obrigada, muito obrigada, por tantos votos tão lindos.
E que Deus lhe retribua em dobro!
Até sempre
Beijinhos
Mariazita

Nádia disse...

E eu tenho imenso orgulho nesta velha gaiteira ;)

Mariazita disse...

Nádia, amor da minha vida,
Que grande alegria deste à tua vó Tita!
Também eu tenho imenso orgulho em ti, e sei que NUNCA vais desiludir-me. Pelo menos, até que também tu sejas uma velhinha gaiteira... e eu a ver!!! (Onde...não sei bem, mas nalgum lugar há-de ser. Vou ver-te sempre, até ao fim dos séculos!)
Beijinhos doces, amor.
Tua vó Tita

Táxi Pluvioso disse...

Então antigamente não se escrevia com uma pena de pato? Já não sou desse tempo, nem dos aparos, embora nas secretárias do liceu estivessem os buracos para os tinteiros.

Mariazita disse...

Olá, Táxi
Pois eu ainda sou do tempo...
Não, das penas de pato, não, mas aprendi a escrever com caneta de aparo, sim senhor!!!
E sabe o que lhe digo? Parece que com aquelas canetas se escrevia melhor português do que se escreve com as esferográficas!
Agradeço o seu esclarecimento acerca das penas de pato.
Eu tinha ficado ainda mais baralhada do que é habitual...-:)))
Um abraço
Mariazita

Oliver Pickwick disse...

Por mim, pode ser gaiteira o quanto quiser, Mariazita.
Se fosse escocês, enviava uma orquestra de 100 gaiteiros para deixá-la ainda mais animada.
Um beijo e muita diversão nas férias!

Mariazita disse...

Oie, Oliver
Que grande prazer em ver vc de novo!
Os gaiteiros faziam jeito, sim senhor! É que há dias em que a gaiteirice fica um pouco murcha…e a musiquinha dava p’ra animar!
Valeu a intenção…
Beijinhos
Mariazita

JADY*ALVES disse...

Você quis dizer... "LEITOR DESATENTO" não é mesmo?
É quantas vezes somos mal interpretados, quando a nossa culpa é se fazer presente e por vezes assim, como num estalar de dedos por falta de tempo cometemos alguns deslizes, a pena não obedece e umas avalanches de desentendimentos nos forçam a cometermos gestos que tomam proporções desastrosas.
Creio que deva ter compreendido meu afastamento e fico imensamente feliz que após suas merecidas férias tenha se lembrado de visitar-me.
Estou um tantinho atarefada por aqui, mas volto às leituras da sua página com todo carinho e prazer.
Para o momento deixo meu beijo.
Minha amizade e respeito Querida amiga!
Obrigada por sua compreensão!

JADY*ALVES disse...

Olá, voltei e acabei de ler o texto...
Cá estaremos em 2028, sabe Deus...
Sinto-me ainda jovem para cá estar.
"SOMOS GAITEIRAS, SOMOS FELIZES"
Sem a preocupação com o passar do tempo, apenas vivenciá-lo a mais tardar...
Abraços ternos.