quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

PORQUE HOJE É DIA DE REIS…


Na escola de uma pequena aldeia, Professora e alunos preparam-se para celebrar o Dia de Reis.
No palco encontram-se, ao fundo, à esquerda, Maria e José, admirando seu filho.
   
Em primeiro plano o pastor está conversando em voz baixa com as ovelhas,







quando vê aproximarem-se a vaca e o burro. 











Dirige-lhes a palavra:
- Pastor - Ouve lá, ó vaquinha, o que estás aqui a fazer?
- Vaca - Vim esticar as pernas. Há tanto tempo naquela posição já quase não as sinto…
- Pastor - E tu, burrinho, porque estás aqui?
- Burro – Vim acompanhar a vaquinha. Nesta noite tão escura o perigo espreita a cada canto… E uma presença masculina sempre impõe um certo respeito! (levanta a cabeça, altivo)
- Pastor – Sendo assim, sentem-se junto a nós, e ouçam a história que eu estava a começar a contar às ovelhas.
A vaca e o burro sentam-se junto ao pastor.
- Ovelha A - De que nos vais falar hoje, pastor?
- Pastor – Do Natal…
- Ovelha B – Outra vez? Nesta altura do ano não falas doutra coisa…
- Ovelha C – Ela tem razão, pastor. Quando aparece aquela estrela brilhante só falas de Natal…
- Pastor – E qual é o problema? Vocês não gostam do que eu vos conto?
- Ovelha B – Não é isso, pastor! Não é que não gostemos… mas o Natal é sempre igual…
- Pastor – Engano vosso! O natal é sempre igual, mas sempre diferente.
- Ovelha A – Como assim? Como é que pode ser igual e diferente ao mesmo tempo?
- Pastor – É muito simples: é sempre igual porque a história, no fundo, é sempre a mesma; e é diferente porque os intervenientes variam, e cada um tem uma atitude e maneira de sentir e actuar diferentes…
- Ovelha C – Tudo bem, mas não vamos ficar aqui a noite toda a discutir… Portanto, pastor, conta lá a tua história…
- Pastor – Muito bem. Então prestem atenção. Vou contar-vos a história de um rei mago.
- Ovelhas (todas) – Oh! Não, outra vez os reis magos? Já ouvimos essa história centenas de vezes…
- Pastor – Penso que vocês estão enganadas. O que vou contar hoje é novo, ainda não vos falei em nada disto…
- Vaca – E se vocês se calassem e ouvissem o pastor? Muito gostam vocês de fazer barulho…
- Ovelhas – Méeééééééééééé´……
- Burro (em tom autoritário) – Calem-se, ovelhas, e deixem ouvir o pastor.
- Ovelhas, vaca e burro – Xiuuuuuuuuuuuuuuuu!
- Pastor – Ora vamos lá então. Vocês já ouviram muitas vezes falar nos três reis magos, certo?
- Animais em coro – Certo!!!!!!!!!!!!!!!!!!
- Pastor - E no quarto rei mago, ouviram falar?
- Todos – Não, nunca!
- Pastor – Pois este quarto rei mago chamava-se Artaban.
- Ovelha A - E ele também foi visitar o Menino?
- Pastor – Na verdade, não. Tal como aconteceu com os conhecidos três Reis Magos, também Artaban viu a estrela que anunciava o nascimento do Menino Deus.
- Vaca – Nesse caso, porque não seguiu o seu rasto?
- Pastor - Vários acontecimentos o impediram. Além de mago Artaban era astrónomo e médico, natural da Pérsia, e um homem muito rico que vivia num palacete rodeado de belos jardins de árvores exóticas e flores raras.
- Burro – Já estou mesmo a ver… Com tanta riqueza à sua volta que lhe importava uma estrela com um brilho diferente?
- Pastor – Estás completamente enganado! Na verdade, ao ver a estrela brilhante, Artaban desfez-se de parte dos seus haveres e, preparando o seu melhor cavalo, partiu de madrugada para, no dia marcado, se encontrar com os seus amigos Gaspar, Melchior e Baltazar, que, de acordo com o combinado, já se encontravam a caminho.


Levava consigo três jóias para oferecer ao Messias: uma pérola, um rubi e uma safira.
Precisava cavalgar sem parar – já estava escurecendo e ainda faltavam mais ou menos três horas de viagem para chegar ao local do encontro. Teria que estar lá antes da meia-noite, pois a partir dessa hora os três Reis Magos não esperariam mais por ele.
De súbito, numa curva da estrada, o cavalo assustou-se com algo que viu sob o reflexo da lua: era um homem que já apresentava o frio da morte.
Artaban, depois de o examinar, deu-o como morto, e, com o coração triste, voltou-se para partir. Mas, ao levantar-se, sentiu a mão do homem prendendo-lhe o manto.
- Os animais, em coro – Deve ter apanhado um grande susto…
- O pastor – Naturalmente que sim. Mas, apesar de já se fazer tarde para o encontro com os seus amigos – era preciso seguir a estrela! – decidiu socorrer o hebreu, tratando-o por várias horas, até ele se recuperar.
Por fim, deixando com ele as suas provisões e curativos, retomou o seu caminho.
Quando chegou ao lugar combinado, não encontrou mais os seus companheiros. Nem sinal da caravana de camelos. Então, num monte de pedras, ele achou um pergaminho com a seguinte mensagem:
“Artaban, não pudemos aguardar-te mais; prosseguimos ao encontro do Messias. Esperamos que nos sigas através do deserto.”
Artaban entrou em desespero... Como poderia atravessar o hostil deserto sem ter o que comer e com um cavalo cansado? Assim, regressou à Babilónia, vendeu a sua pedra de safira, e comprou camelos e provisões suficientes para a longa viagem.
- Ovelha A – Coitado! Depois teve que viajar sozinho, não foi, pastor?
- Pastor – Sim, é verdade, mas a sua vontade de encontrar o Messias era muito grande. Por isso continuou a sua jornada pelo deserto e finalmente chegou a Belém, mas deparou-se com a vila deserta.
Pela porta entreaberta duma humilde casa ouviu a voz duma mulher que cantava suavemente. Entrou e encontrou uma jovem mãe acalentando o seu filhinho, que lhe falou nos três reis magos que haviam passado pela vila e tinham seguido, guiados por uma estrela, para o lugar onde encontrariam José de Nazaré, sua esposa Maria e o bebé Jesus.
 O bebé daquela mulher olhou para Artaban, sorriu e estendeu os bracinhos para ele. Foi quando se ouviram gritos e grande correria lá fora, nas ruas.
Os soldados de Herodes estavam matando as criancinhas.
- Os animais, em coro – Que horror! Que homens tão maus!
- Pastor – Tendes toda a razão. Mas deixai-me continuar…A jovem mãe, branca de terror, escondeu-se no canto mais escuro da casa, cobrindo o menino com o seu manto para que ele não chorasse e fosse descoberto pelos soldados.
Artaban colocou-se no vão da porta, impedindo a entrada dos soldados. Um oficial aproximou-se para afastá-lo; o mago, aparentada uma falsa calma, disse-lhe que estava sozinho, esperando a oportunidade para oferecer uma jóia àquele que deixasse a casa em paz; e, dizendo isto, mostrou-lhe o rubi brilhando na palma da mão.
Com os olhos ardendo de cobiça o oficial arrebatou a jóia, gritando para os soldados que ali não havia nenhuma criança. Artaban, olhando para o céu, pediu que lhe fosse perdoado o seu pecado, já que dissera uma mentira.
- Vaca – Com certeza que lhe foi perdoado, e nem sequer era pecado, só mentiu para salvar o bebé… não achas, pastor?
- Pastor – Claro que sim, vaquinha. Artaban mentiu para salvar uma vida.
Mas, continuemos. Assim, das três dádivas que trouxera para oferecer ao Messias, já se desfizera de duas. Começava a achar-se indigno de algum dia contemplar a face do Menino Deus.
Mas continuou a sua jornada. Passou por lugares onde a fome era grande; cidades onde os enfermos morriam na miséria; visitou oprimidos nas cadeias, e escravos nos mercados. Num mundo cheio de angústia e sofrimento não encontrou ninguém para adorar, mas muitos desgraçados para ajudar.
E os anos passaram, 33 anos… Os cabelos de Artaban já estavam brancos. Velho, cansado, e pronto para morrer, ele ainda continuava à procura do Rei de Israel.
Estava de novo em Jerusalém, por onde havia passado muitas vezes na esperança de encontrar a Sagrada Família.
A população estava reunida na cidade santa para a festa da Páscoa do Senhor.
Vendo uma grande agitação, Artaban perguntou, a um grupo de pessoas, o que se passava e para onde se dirigiam.
- Vamos para o Gólgota. Dois ladrões vão ser crucificados e com eles um homem chamado Jesus de Nazaré, que dizem ter feito coisas maravilhosas entre o povo; mas os sacerdotes acusam-no de ter dito ser o Filho de Deus, e condenaram-no à morte.
Artaban achou que era chegada a altura de oferecer a sua pérola para salvar Jesus da morte.
Ao seguir a multidão viu um grupo de soldados arrastando uma jovem toda ensanguentada que, conseguindo libertar-se, se ajoelhou perante ele, implorando auxílio. Disse-lhe que seu pai era mercador na Pérsia, mas falecera cheio de dívidas, e que agora aqueles homens iam vendê-la como escrava para saldar os débitos de seu pai.
Artaban tremeu perante o conflito entre a Fé, a Esperança e o impulso do Amor. Só lhe restava a preciosa pérola. O que fazer? Tirou a pérola do seu alforge e colocou-a na mão da jovem, dizendo-lhe que pagasse aos seus algozes. Assim ela foi libertada.
Logo o dia se transformou em noite profunda e um forte tremor de terra abalou a cidade.
Artaban, na companhia da jovem libertada, foi atingido na cabeça por uma pedra.
Com o sangue a escorrer do ferimento, descansou a cabeça no colo da jovem; preparando-se para morrer pediu perdão por não adorar o Messias e lhe ofertar o presente que trouxera de tão longe. Durante 33 anos ele havia procurado Jesus, mas nunca vira a face Dele!
Então ouviu uma suave voz vinda dos céus:
“Artaban! Sempre que viste um enfermo, prestaste-lhe socorro; quando avistaste alguém com fome, deste-lhe de comer; sempre que encontraste alguém com sede, deste-lhe de beber; sempre que viste alguém acusado injustamente, deste-lhe a liberdade. Em verdade, quando fizeste tudo isso, foi a Mim que o fizeste!”
Uma alegria enorme iluminou o seu rosto. Com um profundo suspiro, terminou a sua longa viagem de 33 anos.
O quarto mago, finalmente, encontrara o seu Rei!

Olhando em redor o pastor notou, comovido, que todos os animais tinham os olhos marejados de lágrimas.
E disfarçando a sua própria comoção, perguntou:
- Pastor - Então, gostaram da história de Artaban?
- Todos os animais - Sim! - responderam em coro. Foi a história mais bonita que alguma vez nos contaste.
- Pastor - Ainda bem que gostaram. E acrescentou, com a voz entrecortada de emoção:
Mas agora já se faz tarde. Vaquinha e burrinho, vão já para junto do Menino, que deve estar enregelado. E vós, ovelhas, todas atrás de mim, rápido, que o redil está longe!

Texto de Mariazita

84 comentários:

Rita Sperchi disse...

Bom mês de janeiro olha eu aqui de
volta espero que tenha sido bom para
todos a alegria das festas, estaremos juntos
para que nossa amizade seja sempre de muita paz
Agradecendo a Deus por tudo.

Abraços com carinho!

└──●► *Rita!!

Pedro Coimbra disse...

Que bela maneira de comemorar o Dia de Reis!!

Elvira Carvalho disse...

Uma história muito bonita.
Obrigado pela partilha.
Um abraço e feliz dia.

Ivone disse...

Linda estória, não sabia que tinha um quarto Mago, mas foi bem contado e nos dá a certeza de que só o bem que podemos fazer é o que vale!
Abraços linda amiga, feliz dia dos três reis magos, incluindo o quarto!

Gracita disse...

Olá Mariazita
Que bela história nos trouxe para comemorar o Dia de Reis
E uma bela lição. Quem faz o bem faz a Deus
Um dia feliz
Beijos

Odete Ferreira disse...

Uma bela e comovente história, muito bem contada, envolta numa linda mensagem e muito pertinente para os dias que correm.
Um ótimo 2016, amiga.
BJO :)

Catarina H. disse...

Que história bonita, tocou-me o coração. Não conhecia este blogue, cheguei aqui através de outros e fui logo brindada com esta bela narrativa.
Neste mundo tão egoísta e consumista em que vivemos agora, sabe bem ler uma história tão cheia de bons exemplos e inspiradora.
Um excelente 2016!

Laura Santos disse...

Um conto muito bem articulado sobre o Bem, para celebrar o Dia de Reis!
xx

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, um belo conto que também podia ser aplicado ao Natal ortodoxo celebrado principalmente na Rússia neste dia de Reis.
AG

Vera Lúcia disse...


Olá Mariazita,

Que encanto de narrativa!
Um belo conto, com uma bela reflexão/mensagem. Afinal, é através do amor ao próximo e da prática da caridade que Deus se faz presente em nossos corações.

Feliz 2016, com grandes alegrias, saúde, paz e sucesso em seus empreendimentos literários.

Beijo.

Celina Pereira disse...

Muito linda história, Mariazita.
E assim encerramos o ciclo do Natal.
Tenha um lindo final de semana!

Rita Freitas disse...

Um belo conto que nos enche a alma.

Beijinhos e um feliz ano 2016

ReltiH disse...

MUCHOS ABRAZOS

Maria Rodrigues disse...

Um conto de Natal lindo.
Bom fim de semana minha maiga.
Beijinhos
Maria

Fê blue bird disse...

Sentei-me calmamente junto do pastor a ouvir com atenção esta comovente história de busca e esperança.
Adorei amiga Mariazita.

Um beijinho grato


Pedro Luso disse...

Olá Mariazita.
Parabéns pelo seu conto, tão apropriado para esta época festiva de Natal e de Ano Novo.
Desejo a você um Feliz Ano Novo, com muita saúde, amor e paz.
Abraços.

Amélia disse...

Olá Mariazita!
Já venho tarde, o dia de Reis já passou, mas adorei o belo e comovente conto de Natal.
Uma bela noite
Bjs

Graça Pires disse...

Gosto muito de histórias bem contadas. Esta encheu-me o coração. Obrigada.
Um ano muito bom.
Beijos.

O Árabe disse...

Bom voltar a ler-te, Mariazita. Já sentia saudades dos teus belos textos! Boa semana, amiga.

Daniel Costa disse...

Querida Mariazita, só agora vi a tua magnifica produção literária, a parecer peça de teatro, a encenar na festividade dos Reis Magos. Gostei da tua grande imaginação.
Beijos

Evanir disse...

Uma rapida visita significa meu retorno
em breve.
Fico feliz ao receber sua carinhosa visita
vou arrumar uma maneira de responder
a altura seu carinho e amizade.
Eu sempre fui muito presente nos blogs
agora com as coisas se restabelecendo tudo vai ficar
melhor se Deus quiser.
Um beijo carinhoso ..
Evanir.
Mariazita como tem amado minha amiga?

Fátima Oliveira disse...

Oi Mariazita!
Primeiro parabéns pelo lançamento do seu livro, adorei ver as fotos do evento, com certeza será um grande sucesso.
E deixar meus sinceros sentimentos em saber da partida do seu querido marido, um abraço com todo meu carinho.
E este conto lindo, que me encantou e emocionou, adorei o jeitinho que foi escrito, pura criatividade e imaginação de quem é poeta.
Aproveito para desejar um ano novo cheio de coisas boas.
Beijos.

Claudio Chamun disse...

Muito legal.
Realmente é uma história de Natal bem diferente.

Histórias, estórias e outras polêmicas

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

Uma renovada narração para manter vivo o Espírito de Natal.
Parabéns pelo teu Livro. De desejo os maiores êxitos.


Beijo
SOL

Mariazita disse...


São disse...
Querida neninha, lançaste o teu livro sobre África e eu, infelizmente, não pude estar presente fisicamente .

DE qualquer modo, desejo de coração o maior sucesso, sabes isso.

Gostaria de saber como posso obter o livro.

Beijinhos, amiga !
14 de janeiro de 2016 às 12:04

Pensamentos Com Asas disse...

Bom dia. Muito lindo seu blog, parabéns!

Daniel Costa disse...

Obrigado, querida Mariazita, pela tua passagem pelo meu blog e pelas tuas bonitas palavras.
Beijos

Pensamentos Com Asas disse...

Bom dia querida. Obrigada pela gentil visita. Seu cantinho com paz e isso é muito bom.
Te desejo um lindo dia. Beijos.

O Árabe disse...

Boa semana, Mariazita. Aguardo o próximo post!

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, agradeço a sua passagem e comentário deixado na minha pagina.
AG

Maria Rodrigues disse...

Minha amiga passei para desejar uma boa semana e deixar um beijinho.
Maria

✿ chica disse...

Mariazita, adorei tua história e modo de festejar o dia tão especial, dos Reis!

Obrigadão pelo carinho lá! Estou feliz em voltar! bjs, chica

Pedro Luso disse...

Olá Mariazita,
Passei aqui pelo seu belo blog para deixar o meu abraço para você. E que tenha um bom final de semana.
Pedro.

Ariel El vikingo dark disse...

Hola Mariazita, buenas noches,
wow.... que linda historia, y contada con un toque muy especial.
por cierto, muchas felicidades por tu libro
éxitos!!!

Te deseo un maravilloso año
un beso grande
bendiciones

Dorli Ramos disse...

Vim lhe visitar minha amiga sumida.
Sua estória como sempre encantadora
Seus blogs estão todos lindo com muito capricho
Beijos
Minicontista2

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Olá Mariazita,obrigada pela visita e comentário.
Agradeça ao amigo Miguel por lembrar de mim,espero que ele esteja bem
e dê um forte abraço a ele.
Estamos esperando pelo retorno dele muito breve.
E você seja bem vinda novamente e parabéns pelo livro.
Adorei essa postagem sobre o Dia de Reis.
Bjs com carinho.
Carmen Lúcia.

Kasioles disse...

Aún no he recibido tu libro, lo espero con impaciencia para leerlo, aunque lo haré muy despacio, me costará trabajo por la dificultad de comprensión que tengo con el idioma.
De todas formas, me hace mucha ilusión tenerlo.
He leído tu entrada, me ha encantado, admiro muchísimo tu habilidad para escribir, es un relato muy ameno. Felicitaciones de corazón.
Te dejo un fuerte abrazo con mis cariños.
kasioles

Lu Nogfer disse...

Que bela história Mariazita!
Me lembro que quando criança eu torcia para não chegar o Dia de Reis para não ver desmontando o presépio da praça di bairro. Sempre achei lindo e ficava horas olhando e admirando.

Ótimo final de semana pra você!

Abraços.

Labirinto de Emoções disse...

Minha Nina...
Aqui está uma verdadeira história de Amor ao próximo.
Como seria bom se houvessem muitos Artabans, que olhassem com os olhos da alma toda a miséria que nos rodeia em vez de a verem simplesmente e assobiarem para o ar...
Amei a história, como já é habitual..:)) adoro tudo o que tu escreves (que chatice, não consigo encontrar defeitos nos teus escritos, ahahah)
Obrigada minha querida por esta ternuranta partilha.
A propósito ... agarra-te lá ao teu 3º filho, que o 2º eu já "devorei".
Beijinhos doces e até logo
Tua
Tareca

Daniel Costa disse...

Querida Amiga Mariazita, quero agradecer muito o teu comentário no meu poema "IMAGINAÇÃO DO INCONSCIENTE", terás reparado no pormenor, mas faço questão de frisar que o verso - entre aspas, está no relatório médico que me acompanhou.

Beijos

Crocheteando...momentos! disse...

Obrigada pela visita e por partilhar este pequeno conto! Bom domingo

Jaime Portela disse...

Uma bela história de Rei8s Magos e muito bem contada.
Bom domingo, Mariazita.
Beijo.

Evanir disse...

Sei que minha ausência tem afastado pessoas
tão querida por mim como você.
Concordo esta cada dia mais difícil manter
um blog no ar.
De verdade só quem gosta muito e fez amizades
que nenhuma ausência separa ou nos deixa esquecer.
A 11 ano entrava acanhada com meu primeiro
blog no ar.
Fonte de Amor..
Eu mantenho todos meus blogs no ar muitos
eu tirei do ar ,
mas aquele que foi o primeiro me acompanha pela vida afora.
Sinto saudades das amizades que fiz
nesses 11 anos.
Mas hoje venho para te agradecer seu carinho
que tanto significa para mim.
Peço desculpas por hoje estar mais ausente
muitas coisas também mudou para mim.
Veio a dor e mesmo com dificuldade ainda tento
prosseguir.
Que Deus abençoe você em sua jornada.
Um feliz Domingo.
Deixo um beijo carinhoso
e o convite para me visitar.
E se for do seu gosto deixei mimo
na postagem fique a vontade para levar.
Abraços fraternos e eternos.
Evanir..
Mariazita adorei a história pouco conheço sobre os Reis Magos.

Maria Rodrigues disse...

Querida amiga passei para deixar um abraço bem apertadinho.
Maria

Lilazdavioleta disse...

Mariazita ,
faço coro com os animaisinhos .

Adorei ler este conto .

Beijo grande ,
Maria

Rafeiro Perfumado disse...

Já ouvi falar de milagres do Natal, mas meter animais a falar é a primeira vez. ;)

helia disse...

Que bonito e excelente Texto ! Fotos maravilhosas !
Um Ano 2016 muito feliz !

Pensamentos Com Asas disse...

Como vai minha flor. Vim te deseja um bom dia. Beijos no coração

Jaime Portela disse...

Pensei que os Reis Magos já tinham ido embora...
Mas gostei de reler a tua magnífica história.
Bom fim de semana, Mariazita.
Beijo.

Lourisvaldo Santana disse...

Uma bela história! E que final surpreendente! São de vidas assim, persistentes em prol de ações carregadas de amor, que se estar carente nos dias atuais!

Grande abraço!

Zilani Célia disse...

OI MARIAZITA!
PASSANDO PARA TE DEIXAR MEU ABRAÇO E LER ESTE BELÍSSIMO TEXTO.

http://. zilanicelia.blogspotcom.br/

Bergilde disse...

Linda história sobre uma data muito significativa também e como sempre muito bem contada por ti,abraços,bom dia!

Magia da Inês disse...


Passei para uma visitinha!
Estava com saudade de você e do seu blog.

Bom fim de semana!
Beijinhos.
✿゚ه° ·.

Hilda's Bordados disse...

Vim bordar um recadinho no seu blog!
Acabei de visitar sua página e gostei muito do tema: dia de reis! É uma tradição lindíssima!
http://hildasbordados.blogspot.com.br
Até o próximo bordado, farei mais visitas!!
Um bom domingo para você e sua família! :)

helia disse...

Uma história dos Reis Magos magnificamente contada !

PINTA ROXA disse...

Venho desejar uma santa semana. por aqui a chuva deu treguas e o fim de semana ganhou um sol lindo, não muito quente mas que aquece.
Beijinhos e boa semana
Pinta

MARILENE disse...

Mariazita, uma data significativa que soube abordar de uma forma muito agradável para ler.
Eu andei sumida da blogosfera, tirando umas férias, e retornei há pouco. Resolvi deixar os blogues VISÃO FEMININA e MOMENTOS FRAGMENTADOS descansando um pouco (rss). O blogger não tem uma opção para isso e deixa aquele recado estranho que só estão abertos para convidados, o que não ocorre, de verdade. Estão ocultos. Criei um novo, o RESPIRO DA PALAVRA, e mantenho o OLHARES SILENCIOSOS. Foi por isso que você teve dificuldade, mas me deixou muito feliz com a visita. Obrigada. Bjs.

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá Mariazita! Passando para te cumprimentar e apreciar este belo post. Confesso que nao conhecia a história do quarto Rei Mago. Linda!

Obrigado pela visita e amável comentário deixado no nosso humilde espaço, bem como pela compreensão quando da minha ausência para um pequeno descanso.

Abraços,

Furtado.

Pensamentos Com Asas disse...

bom dia minha flor. Eu passei para agradecer a linda visita. E também para te deseja uma ótima semana. Beijos e fica com Deus.♥

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

Relendo para manter "real" o tempo. Narração muito feliz.


Beijo
SOL

Dorli Ramos disse...

Oi querida
Estou quase chegando numa cirurgia dos pés.
Lendo e relembrando a trajetória do nascimento do menino Jesus
Beijos no coração
Minicontista2

Jaime Portela disse...

Querida amiga, já estamos no carnaval... o dia de reis foi há mais de um mês... mas eu volto lá para o dia 13...
Mariazita, bom fim de semana.
Beijo.

Maria Rodrigues disse...

Minha amiga passei para desejar um excelente fim de semana.
Beijinhos
Maria

Helena Medeiros Helena disse...

Mariazita, sensibilizou-me a tua visita, não apenas pela afetuosidade das palavras e oportunidade de vir conhecer o teu espaço, como também por receber notícias do nosso querido Miguel, pessoa a quem aprendi a respeitar e admirar pela genialidade das fotografias e da forma como as divulga, com textos inteligentes, descritivos, deixando que a emoção predomine em cada postagem. Uma pessoa extremamente sensível e que muito me agradou conhecer, mesmo através deste mundo blogueiro que vai aos poucos nos tornando “íntimos” das pessoas de quem passamos a gostar. Ao mesmo tempo preocupei-me com o seu estado de saúde, principalmente pela “omissão” que ele está tendo ao não levar a sério a situação. Fico feliz em saber que tu és como uma irmãzinha para ele e que assim tens toda a liberdade de chamar-lhe a atenção e “puxar-lhe as orelhas”. Já notaste como os homens são turrões na questão de saúde? Pensam que são semideuses e se descuidam quando necessitam de dar uma atenção maior a si mesmo. Continue a repreendê-lo e em algum momento ele vai te atender por absoluta falta de paciência de te ouvir reclamar (risos).
Adorei conhecer o teu cantinho, sensível, inteligente e delicado como tu me pareceu ser. A beleza da história nos encanta pela narrativa e pelas gifs que postaste. A bem da verdade nunca ouvi falar de um 4º rei mago, mas soubeste descrevê-lo como a representação da bondade, do amor e da doação, com um jeitinho que cativou o olhar, encantou o coração e perfumou a alma. Parabéns por esse dom tão precioso que é o da escrita, o de “enfeitiçar” e tornar a magia da narração num momento tão precioso.
Conquistaste uma amiga e estarei sempre por aqui para apreciar os teus escritos.
Por ora, fica com meu carinho em delicadas pétalas de rosa amarela que envolvo nos sorrisos de lindos anjos que trazem no olhar uma infinidade de estrelas... Que elas possam iluminar ainda mais os teus caminhos,
Helena
Em tempo: quero visitar o nosso amigo com um tempo maior, pois como notaste, adoro “conversar” (risos).

manuela barroso disse...

Uma história faz parar o tempo . E o meu parou !!
Beijinho

Portugalredecouvertes disse...


Mariazita que linda história que também me deixou comovida!
a nossa cultura tem tanto de magia e tantas vezes procuramo-la em distâncias longínquas
muito bonito, adorei

Angie

Emília Pinto disse...

Querida amiga. Uma linda história de reis. Não tinha conhecimento desse quarto rei, não sei se é imaginação tua, se de factose esquecram de me ensinar na catequese que existia mais um. De qualquer modo estás de parabéns, pois é
um conto muito bonito e terno. Quero também dar-te os parabéns pelo novo livro e espero vê-lo na Bertrand par o comprar. Nao sei se estou enganada, mas parece-me que o anterior estava lá, não? Amiga vi as fotos da festa de lançamento e, apesar da tua tristeza, creio que foi um momento muito feliz para ti. Tu mereces! Espero que esteja tudo bem e que tenhas conseguido amenizar a dor , permitindo assim que a alegria aos poucos vá voltando. Um beijinho muito especial Mariazita e uma boa semana.
Emilia

Miguel disse...

Nina minha
Tenho estado completamente afastado da Net, como sabes, aliás... não é da Net, é da blogosfera, que é diferente. Sem a Net é complicado, o meu escritório de Lisboa continua no activo, embora em fogo lento :). Não sei bem para quê... cada vez se afasta mais o meu regresso ao meu querido Portugal... :(((
Mas deixemo-nos de lamúrias. Desculpa, a minha psique anda pouco recomendável...

Gostei imenso desta história do quarto rei mago, que não conhecia. E a forma original como a apresentas é uma maravilha. Tens jeito para tudo! Ainda acabas a escrever peças de teatro :) Estou a brincar mas não me admirava nada, acredita.

Querida minha, vou ficar por aqui.
Prometo, para a próxima, ser mais bem disposto...

Abraço-te com todo o carinho, e beijo-te sem fim.
Teu
MIGUEL / ÉS A MINHA DEUSA

Kasioles disse...

Querida amiga: Venía a agradecer tus letras al alabar la dieta de la alegría que he propuesto para este año que hemos comenzado.
Cierto es que el mundo anda, tan revuelto, que lo que más necesita es amor, dando cariño y comprensión, estoy convencida de que se solucionarían la mayor parte de los problemas.
Despacito voy leyendo tu ameno libro, me gusta mucho, te felicito por tu trabajo.
Aprovecho para dejarte cariños en un fuerte abrazo.
Kasioles

Ana disse...

Minha querida Nininha
Finalmente estamos instaladas!
Mas com todo o trabalho da mudança só hoje consegui vir ver este post excelente.
Não conhecia esta história, que acho uma verdadeira delícia.
Esse quarto rei mago, provavelmente não terá existido... mas existe, sim, tudo o que ele personifica - bondade, desapego dos bens terrenos, amor ao próximo... enfim, todas as virtudes que o Menino Deus representa.
Os "bonecos" são engraçadíssimos, e a forma como apresentas a história, em forma de peça de teatro, está uma maravilha! Só mesmo tu para uma obra destas...

Aguardo o próximo post, no dia 14 :)))

Abraço-te e beijo-te com todo o carinho do mundo.
Tua
Ana

Beatriz Bragança disse...

Querida Mariazita
Um texto digno de fazer parte de um belo livro de contos para todas as idades.
muitos parabéns.
Um beijinho
Beatriz

Mena disse...

Nininha, minha linda
Vim aqui muito rapidamente antes que chegue o dia 14 :)
Adorei esta história do quarto rei mago, que não conhecia.
Extraordinário ser, esse rei, que enfrentou todas as adversidades para, finalmente, encontrar o Messias.
Um bom exemplo, a ser seguido...

Mil beijinhos, abraços apertados, e tudo do melhor para ti, minha querida.
Tua
Mena

Lune Fragmentos da noite com flores disse...

Gostei muito da história ligada ao dia de Reis que não conhecia. Fiquei na dúvida se foi ficcionada por ti, se reproduzida.

De qualquer modo tocou-me a forma como a apresentas.

Também gostaria muito de parabenizar pelo lançamento do livro. Pelas fotos, suponho que foi um momento lindo!

Agradeço as visitas ao meu espaço. E os delicados comentários.

Beijos

A Casa Madeira disse...

Olá Mariazita uma outra versão com novos fatos narrados;
belo.
Aproveito para agradecer a visita; tbm gosto muito de orquideas
mas por aqui as que existem nas árvores foi a sogra que colocou
pelo que vejo elas exigem mais o cuidado que outras plantas mas quando
dão flores ... é coisa de outro mundo lindas! Parabenizo-te pelo lançamento
de seu livro.
Boa continuação de semana.
janicce.

Marina Fligueira disse...

Hola Mariazita!!!

A pesar que conocía la existencia e historia del cuarto Mago de Oriente, me ha encantado leerla: pues está súper bien contada. Tiene belleza y simpatía con los personajes no humanos... Te digo, me ha gustado mucho. Y te felicito por ello.

También he visto unos pisos más abajo, y me ha gustado esa sesión de fotografías preciosas, no sé si es la prsentacon de un liblo... O algo por el estilo.

Bien pues ha sido un inmenso placer.
Te dejo mi gratitud y estima.
Un abrazo desde España.

Siento que Miguel tenga su espacio parado, me era muy grato visitarlo.
No entregaba post preciosos.
Saludarlo de mi parte. Le mando mucha energía positiva junto a un abrazo.


Emília Pinto disse...

Mariazita, hoje venho só para te deixar o meu e- mail. Gostaria que me enviasses o livro, isto se não precisares dele para outros interessados, pois eu posso esperar; ainda tenho alguns para ler. Prefiro que seja feito o pagamento por transferência bancaria, por isso preciso dos dados que poderão ser enviados para o meu endereço. micostapinto@hotmail.com
Se me mandares um "Olá" ficarei com o teu endereço ; assim escuso de colocar aqui os meus dados. Sabes, se for mandado à cobrança pode acontecer de o carteiro não me encontrar em casa e leva o livro, pois sem pagamento não entrega. No entanto, se preferires também pode ser assim; moro pertinho dos correios e por isso é facil ir lá. Faz como for mais conveniente para ti. Beijinhos e fica bem
Emilia

manuela barroso disse...

Nunca é demais recordar belas histórias
E o facto é que reli com o
Mesmo prazer
Beijinho Mariazita

Luis Coelho disse...

Uma forma de contar que também me deixou de lágrima no olho.
A maioria das pessoas está na figura deste Rei. Passou a vida Procurando o Seu Deus e entregando a sua vida e os seus valores em defesa dos mais pobres e mais fracos.
Pena que hoje esta maioria tenha esquecido a Estrela do Oriente e que tenha esquecido as grandes obras de Misericórdia.

Zé A. disse...

Minha Nininha querida
Que linda história! E que forma tão original de a apresentar!
Tu és única...Não, não são os meus olhos, como costumas dizer. É mesmo verdade. Quando te metes a fazer alguma coisa é certo e sabido qua sai perfeito.
Toda esta conversa para te dizer que gostei imenso.
E daqui por... uns dias, nem sei quantos... no dia 14, pronto! cá estarei.
Por agora fica-te com uma molhada de beijos doces e abraços apertados.
Tua

Jaime Portela disse...

Vou ver se não me esqueço de voltar no dia 14, Domingo, minha querida amiga.
Mariazita, continuação de boa semana.
Beijo.

Oscar disse...

Nina, minha querida
Tenho estado ausente (penso que o Miguel te disse...) mas vim passar a casa este fim de semana, que as saudade já eram muitas, de parte a parte :)
Mal me sentei ao computador vim logo aqui, com receio de não vir a tempo para dar os parabéns por mais uma no de vida.. :)
Afinal, cheguei adiantado :) Não faz mal, volto cá no dia 14, que o meu fim de semana vai ser um pouco mais prolongado.
Embora já conhecesse esta história do 4º.rei mago (até me parece que a ouvi da tua boca, há anos...)gostei imenso de reavivar a memória, assim como adorei a "roupagem" com que a vestiste. Ideia genial!

Volto em breve, e entretanto deixo-te um xi apertado e beijos com todo o carinho.
Teu
Óscar

Pedro Luso disse...

Maeiazita,
Passo para desejar-te um bom final de semana, com muita saúde e paz.
Abraços.

BOTINHAS disse...

Nininha linda
Estou como o Óscar, também confundi as datas :))) É da idade, que é que tu queres???
Mas não perdi o meu tempo, pois o post é lindíssimo e transmite uma mensagem maravilhosa de amor ao próximo.
A apresentação da cena está genial, e até os "bonecos" que escolheste para a ilustrar são giríssimos.
Já ganhei o dia... :) Aliás, quando cá venho, levo sempre lucro...

Minha querida, voltarei oportunamente.
Até lá deixo-te as habituais beijocas das minhas mulheres.
De mim deixo um abraço muito apertado e milhões de beijos.
Teu
Carlos, o Botinhas

Mari-Pi-R disse...

Gracias en primer lugar por pasar por mi espacio y quedarte.
No conocía la historia pero me ha gustado y más en recuerdo de lo que representa esta fiesta.
Me quedo por aquí, un abrazo.