domingo, 10 de abril de 2011

FUGA DO PARAÍSO

Há dois ou três anos, encontrando-me de férias em Espanha, ao folhear uma revista espanhola do hotel, li uma reportagem que achei extraordinária.


Ainda tentei comprar uma revista igual mas não consegui encontrar. Decidi então tomar apontamentos, o mais detalhadamente possível, e trouxe-os comigo. Esqueci por completo o assunto.
Há dias, ao mexer numas papeladas, encontrei-os. Procurei e descobri fotos na Net, para documentar, e compus a história. Partilho-a convosco.


Em 20 de Março de 1991 largava de uma base aérea cubana o comandante Orestes Lorenzo




num “caça MIG-23”, o avião mais moderno da Força Aérea Cubana.
A toda a velocidade e a baixa altitude atravessou, em menos de 10 minutos, os 150 quilómetros que separam Cuba dos Estados Unidos.

Como voava quase rente à água nem os radares cubanos nem os norte americanos se aperceberam da sua presença.

Orestes pode aterrar sem problemas na base aeronaval de Boca Chica, na Florida. Ali pediu asilo político e, depois de submetido a interrogatórios, recebeu o estatuto de refugiado político.

A deserção de Orestes Lorenzo foi uma bofetada no regime castrista. O comandante Lorenzo era um dos pilotos de elite da Força Aérea. Veterano da Guerra de Angola, tinha efectuado dois períodos de treinamento na União Soviética.
Foi durante o último destes períodos, já com a “perestroika” de Gorbachov em marcha, que Orestes começou a questionar o regime comunista e a sua vida em Cuba. Na União Soviética começavam a soprar os ventos da Liberdade.
No regresso começou a planear a sua deserção com a esperança de que, uma vez nos Estados Unidos, a sua mulher, Victória, e os seus dois filhos pudessem juntar-se a ele.
Depois da fuga no avião, e na qualidade de refugiado, pediu a saída da sua família da ilha, mas deparou-se com a recusa de Raul Castro, à data Comandante das Forças Armadas.
Castro de maneira nenhuma permitiria a saída de Cuba da família dum militar de elite que havia atraiçoado a confiança que nele tinham depositado, e havia posto a ridículo o regime.


Orestes recorreu à Comissão de Direitos Humanos da ONU, sem qualquer resultado. Coincidindo com a cimeira ibero-americana celebrada em Madrid em 1992, com a presença de Fidel Castro, começou um protesto às portas do Parque del Retiro.
A rainha Sofia




empenhou-se pessoalmente, junto de Fidel, para conseguir a saída de Victória e seus filhos de Cuba. Inclusivamente, o assunto foi a despacho a Mijaíl Gorbachov.
Tudo foi em vão. Raul Castro, por intermédio de seu ajudante pessoal, fez chegar a sua resposta a Victória:
- Diga ao seu marido que, se teve cojones para desviar um avião, que os tenha também para vir buscar-vos pessoalmente.
Orestes chegou a publicar uma “carta aberta” a Fidel Castro no "Wall Street Journal", na qual se propunha apresentar-se em tribunal em Cuba se ele permitisse que a sua mulher e os seus filhos viajassem para os Estados Unidos. Não obteve resposta.

Ante as escassas perspectivas das demarches internacionais, o ex militar cubano começou a entrar em desespero.
Decidiu então que, se não obtinha êxito a bem iria ele mesmo buscar a sua família a Cuba.
Conhecia os aviões russos, mas tinha que treinar-se nos modelos convencionais ocidentais.



Em pouco tempo conseguiu o brevet de piloto desportivo e, com 30.000 dólares emprestados por uma organização humanitária de exilados cubanos, comprou uma velha avioneta bimotor “Cessna 310” em bom estado.
Por intermédio de duas amigas mexicanas que foram a Cuba, fez chegar secretamente à sua família a data, o lugar e a hora exacta onde deviam esperá-lo para o resgate que tinha planeado.
O dia escolhido foi 19 de Dezembro às cinco da tarde.
Largou de um pequeno aeroclube nos arredores de Miami, advertindo que, se não regressasse no prazo de duas horas, o considerassem morto.
Voando a muito baixa altitude (2 metros sobre o oceano) para evitar os radares, a avioneta aproximou-se da ilha ao entardecer e dirigiu-se à estreita estrada em frente à praia El Mamey, muito perto de Varadero, a cerca de 150 quilómetros a Este de Havana.

Imediatamente a sua mulher e filhos, que esperavam na estrada, conforme combinado, escutaram o ronco do motor e viram o aparelho.

O que Lorenzo não tinha previsto, no seu minucioso plano, era que a estrada, àquela hora, estivesse com trânsito. O cenário não podia ser pior: no troço escolhido para a aterragem circulavam um carro, um tractor, um autocarro com turistas, e uma gigantesca pedra encontrava-se no meio da via.
Balançando as asas o piloto quase roçou o tecto do automóvel, tocou em terra e deteve-se a uns 8 metros do autocarro com turistas, petrificados nos seus assentos e com os olhos a ponto de lhes saírem das órbitas.

Quase dois anos depois da separação Lorenzo viu aparecer a sua família correndo em frente ao avião.

Na estrada, Alexandre, o menino mais novo, perdeu um sapato. Para evitar um acidente com as hélices e preparar a descolagem, Orestes inverteu a direcção do avião e abriu a portinhola da cabine. Tudo em menos de um minuto.
Orestes conseguiu descolar, mas dentro do avião o medo paralisava os seus ocupantes.

Victória não despegava os olhos do céu, temendo que aparecessem os caças cubanos. Rezava.
Os meninos estavam assustados, confusos, choravam.
Só quando a avioneta ultrapassou o paralelo 24, limite do espaço aéreo de Cuba, a tensão baixou.
Quase uma hora mais tarde a avioneta aterrava de volta à Florida.




O alvoroço mediático que causou a façanha de Orestes foi tremendo, já que, pela segunda vez, tinha ridicularizado o regime castrista.
Na primeira conferência de imprensa disse:
- Digam a Raul castro que lhe peguei na palavra e fui pessoalmente buscar a minha família.



Presentemente Orestes é um próspero empresário que dirige a sua própria empresa de construção em Miami, algo que em Cuba jamais poderia ter feito.

64 comentários:

C. disse...

Só aqui mesmo para me informar assim, eu nunca tinha ouvido falar em Orestes. Obrigada por mais essa, Mariazita, e ótimo domingo!

CF disse...

Uma espetacular história de coragem e persistência!
E uma prova de que, quando se deseja muito alguma coisa, não há regime politico nque abale a vontade das pessoas...
Apraz-me saber que nesses regimes totalitários ainda há quem lhes consiga fazer frente... apesar de ser uma "agulha num imenso oceano", pois como sabemos muitos ficam subjugados uma vida sem que os seus sonhos sejam concretizados...
Achei que este seu registo de hoje foi bem introduzido numa época em que, nós portugueses, nos depararemos em breve com uma decisão de voto e que por vezes assumimo-la de forma "leviana" sem pensar no que pode estar em jogo.. .
Um abraço para si e parabéns pelas brilhantes e acutilantes ideias que tem

Zé do Cão disse...

Por acaso conhecia a historia. E o Ministro Sá Carneiro perdeu a vida num Cessna no Acidente de Camarate.

O "Orestes" demonstrou que afinal tinha "cojones", e dos pretos e dos pretos.
beijos minha amiga

Vivian disse...

Bom dia,Mariazita!!

Estou muito emocionada...sua história me deixou com lágrimas nos olhos...
Uma história de bravura e amor!
Que bom que deu tudo certo e a família , está vivendo junta!!!
Obrigada querida, por tão bela partilha!Não conhecia...
Beijos pra ti!!
Bom domingo!!

Tite disse...

A sorte protege os audazes.

Gostei de ler esta história de coragem contada por ti.

Bom FdS

✿ chica disse...

Maravilhosa história e que bom que ela ficou te martelando a cabeça e foste atrás pra nos mostrar.

Valeu!

beijos,lindo domingo e semana!chica

Lis disse...

Mariazita
Que história fascinante!
É desses homens que precisamos , bravos corajosos!
e por uma causa justa perseverou .
Parabéns pelo post gostoso de ler , como um bom filme.
abraços

Lindalva disse...

Querida Mariazita VOLTEI :-) estive sumidinha e fechado a Ilha para reforma e hj reabri as portas e vim correndo te dar um abraço. estar aqui é um encanto além de ser um blog altamente informativo, muito interessante tua postagem, como sempre se superas amiga. Aparece na Ilha e pega o selo de páscoa que está na gadget SELOS DO MES e deixa teu perfume no ar. Beijos no coração e espero que estejas se cuidando direitinho e seguindo as recomedações médicas, te quero forte porque em setembro NÃO ESQUEÇA teremos um encontro com a Isa em Lisboa para tomarmos uns copos kkkkkk :-)Linda seja a tua semana!

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Cheguei hoje, aqui, Marizita e, como sempre faço, li algumas postagens, para, só depois, instalar-me de vez...
Gosto do seu estilo, portanto,meu retratinho já aí está, junto aos seus muitos seguidoras.
Sua postagem anterior à esta, me encantou,pela semelhança com as que recordo na minha família (herdamos do nosso pai/mãe Portugal,que tmb nos trouxe a Áfica "às costas", ou vice-versa rsrs....Esta,do Orestes, já havia lido em revista brasieira e vi na televisão...um caso espetacular!

Somos irmãs, pela língua e pela "ascendência"...assin sendo,
meu fraterno abraço,
Eu volto!
Lúcia

SAM disse...

Querida Mariazita,

Se não fosse você não teria tomado conhecimento desta história fantástica e, graças a Deus, com final feliz. Uma grande aventura, realmente! Obrigada amiga querida.


Carinhoso beijo, um bom domingo e uma maravilhosa semana.

Emília. disse...

Bom dia Mariazita!!
Vc tem história fantásticas, e sempre cresço um pouco mais quando venho lhe vistar.
Como o mundo precisa de homens como o "Orestes Lorenzo".Um homem forte e que apesar de todas as barreiras conseguiu alcançar o seu objetivo e ir atrás daquilo que acreditava, sem deixar pra trás a sua família,sua base, seu chão.
Obrigada pela partilha!!!
Emilinha

Néia Lambert disse...

Mariazita como você sabe narrar bem uma história, é certo que a de hoje é incrivelmente interessante, mas você soube dar emoção na dose certa e me fez ir até o final curiosa para saber o fim. Somente quem escreve bem sabe fazer isso com primor, parabéns!

Beijos

manuela baptista disse...

histórias de vida

e de coragem!

obrigada por saber partilhá-las

um beijo

manuela

JADY*ALVES disse...

BRAVISSIMO AMIGUITA!!!
Eu aqui envolvida na emocionante história torcendo para que o final fosse FELIZ!
Graças a Deus o foi!
Não conhecia este fato e aqui nos atualizamos, nos emocionamos e saimos assim... com "borboletas no estômago."
Parabéns ao Orestes que soube seguir seu coração sem medo, que provou a sua capacidade e determinação de reaver sua familia, lutar por ela e dar aquele arrogante(sem nome) rss a banana merecida rss
Que delicia ler algo assim com um final vibrante e esperado.
Quem tem vontade e não tem medo de lutar vence por amor.
Saio feliz, ganhei o domingo, a semana e agardeço a minha amiguita por isso.
Obrigada minha querida, que postagem fascinante, grata por repartir conosco fatos como esse, que mesmo a mídia nos ocultando,você amiga compartilha conosco, estou aplaudindo emocionada.
Beijos e beijos pra tí alma linda que caminha comigo lado a lado no coração.
Um lindo e feliz domingo pra ti em família.
Tua amiga,
Jady

Perola disse...

Eu nunca tinha ouvido falar amada.
Fiquei encantada viu!!!
Esses registros é fascinate pq podemos acompanhar momentos passados de uma forma prazerosa.
Muito bom mesmo,parabéns.
Beijos minha linda.

zeparafuso disse...

.....E assim se faz História. Homem corajoso. Também dava uma excelente história de Amor.
Bom Domingo. Bjinho

MagyMay disse...

Uma história, que afinal foi uma realidade.
Eu não conhecia e fiquei muito grata por ficar a saber.
Há homens com muita coragem!

Um beijinho e uma boa semana, Mariazita

Lilá(s) disse...

Li com avidez pois não conhecia a história,obrigada por tão bela partilha!
Beijinhos

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Não conhecia o facto, mas adorei conhecer. Coragem é isto, Mariazita e precisavamos de mais homens assim. Um beijinho e uma boa semana
Emília

Miguel disse...

Que belíssima história de determinação, amor e coragem. Pode ser exemplo para muitos. A façanha desse homem superando inúmeros problemas para resgatar sua família é digna de todo louvor. Mais uma vez minha querida Mariazita, saio deste espaço plenamente gratificado. Beijo minha cara, até a próxima.

Estela disse...

Uma história que deu certo... de coragem e perseverança.
Bjs.

Sotnas disse...

Olá Mariazita, desejo que tudo esteja bem contigo!
Histórias assim provam que se uma nação se submete a qualquer regime autoritário em muitos casos é pura falta de informação, claro que há os que são submissos por opção!
Diferente daquele que já nasce com o gene da liberdade a freqüentar sua corrente sanguínea, não há regime que o submeta!
Parabéns pelos belos interessantes textos postados, verdadeira história de superação!
Deveras feliz fiquei por suas visitas e comentários sempre tão carinhosos. Desejo a você e todos ao redor felicidades sempre, abraços e até mais!

Marilu disse...

Querida amiga, quanta coragem tem esse homem. Não aceitou o regime de Fidel e Raul, fugiu e resgatou sua família. Nada impede a força de vontade e determinação do ser humano. Tenha uma linda semana. Beijocas

José disse...

Eu também já conhecia a história, não tanto ao pormenor.
Eu amo a liberdade, e sou contra toda a espécie de totalitarismo, mas não deixo de ver, com o desmoronamento, do comunismo o mundo não melhorou, os senhores do poder e do dinheiro, antes ainda tinham medo que o comunismo, se alastra-se e davam condições às pessoas que trabalhavam, e agora vão tirando tudo o que conquistamos depois da segunda guerra mundial.
Eu trabalhei na Suíça entre 1970 a 1980,em dez anos não cheguei a ver um mendigo a pedir, o ano passado estive lá de férias, e vi as ruas de Geneve, Lousane, e Berna, estão cheias de pedintes,serão Romenos, e desses países de leste, mas também alguns Suíços.
Tenho a certeza que os Estados Unidos, não dariam as mesmas condições a um Camponês, ou a um operário da construção civil, como deram a Orestes.Isto é só o meu ponto de vista.
Obrigada pela partilha.

Um beijinho,
José.

Carla Ceres disse...

Mariazita, que história interessante! Pode virar filme. Talvez não tenha virado ainda para não dar aos refugiados cubanos a ideia de treinar pilotos e resgatar mais pessoas. Beijos!

Luciana Vannucchi de Farias disse...

Não conhecia a história e achei simplesmente maravilhosa!!!

Que bom que você achou seus apontamentos e pode nos contar :-)))

Beijocas, espero que tenha uma ótima semana, viu???

nacasadorau disse...

Acabei por saber a verdade todinha, através de ti querida amiga.
Tal como tu, há tempos soube de parte da história e fiquei intrigada, mas não obtive mais informações, fiquei sempre com a pulga atrás da orelha.

Ainda bem que te empenhaste em saber toda a verdade.
Fico muito feliz por hoje saber que há pelo menos um Orestes e que os tem no sítio.
Abençoado.

Beijinho doce.




PS. No outro dia foste lá dizer-me que eu te "roguei uma praga para que não fosses para a praia" algo assim :)))))))))))
Achas??????
Não sou nada invejosa... fica sabendo!
Mas já agora, digo-te que já há dois dias consecutivos comecei a apanhar sol na minha praia relvada :))) e hoje até já tomei banho na pool ali mesmo ao lado.
Só não estou lá ainda agora, porque não poso abusar do sol, faço alergias :((( mesmo com protector forte.
Parece que ambas temos a paranóia pelo sol. Eu tenho!

Mais 1.
Ciao

C. disse...

Oi Mariazita,
Pela primeira vez um texto me pareceu um afronta. Confesso que publicá-lo foi como dar a cara a tapa, porque nao costumo subjugar, apenas ir por caminhos desconhecidos. À cada texto o seu devido entorpecimento pela nossa realidade, muitas vezes desconfortável.
Peço desculpas se ofendi quem quer que seja, não foi a intenção.
Na verdade, quero reler meu blog no futuro e perceber que o processo de amadurecimento serviu pra algo útil, e não apenas me aproximou ainda mais da decadência anciã.

Beijos!

André Miranda disse...

Mariazita que história fantástica não conhecia."Quem se arrisca na vida perde o chão por um momento quem nunca se arrisca perde a vida toda"(Kierkgaard)

Marlene disse...

MARIAZITA QUE HISTÓRIA MAIS LINDA AMIGA COM TANTAS COISAS TRISTES E TRAGICAS QUE TENHO ESCUTADO NO PRESENTE MOMENTO ESTA VEIO A ME ESNCANTAR FICO FELIZ QUANDO AS PESSOAS CONSEGUEM LIVRAR-SE DO MAL DA OPRESÃO E DA TIRANIA PARABENS AMIGA LINDA HISTORIA,UM ABRAÇO COM MUITO CARINHO MARLENE

Ana Martins disse...

Boa noite Mariazita,
esta é uma história de amor e coragem.
Grata por me proporcionar um momento tão bonito.

Beijinho,
Ana Martins

carol disse...

Que bela história! E que bem composta! e com final feliz. Não conhecia e gostei. Muito. É preciso tê-los no sítio...

Maria João disse...

Uma história magnífica de um Homem de coragem, a lembrar-mos de que existem valores e vontades que jamais se vergam à ameaça ou ao medo.

Obrigada amiga!

Beijinhos

Sônia Silvino disse...

Um homem corajoso e admirável, amiga!
Beijos, querida!!!!

Isabel Maria Rosa Furtado Cabral Gomes da Costa disse...

Querida Mariazita.
Não conhecia a história de Orestes e da sua família.
Obrigada pela partilha.
Um grande abraço para ti.

Evanir disse...

Mariazita .
Com muito carinho vim convidar você
para prestigiar os homenagiados de hoje.
Querida vim convidar você porque dessa vez como estou seguindo pelas visitas são dois grandes amigos de Portugal.
Marizita querida o convite é se caso tiver tempo eu não quero que imagine que cobro visitas .
Eu tenho um carinho muito especial por você o fato das minhas visitas frequentes é porque te gosto muito e a postagem do seu blog sempre é um bom motivo para meu breve retorno.
Um dia lindo de sol para você beijos e beijos sua grande adimiradora ,Evanir.
www.aviagem1.blogspot.com

josanemary disse...

Olá, Mariazita! Tudo certinho? Que tudo esteja 100% com você
Encontrei o seu blog e vim fazer uma visitinha!
E que surpresa adorável! Interessantíssimo o post.

Sou expatriada; sai do Brasil em 2000 e fui para os USA estudar na Harvard, onde estudei até 2002. Desde 2003, moro na Holanda - sou casada com um holandês.
[O choque cultural existe e acaba sendo benéfico - de uma maneira ou de outra -. Sou da opinão que existem coisas boas e ruins em qualquer lugar do planeta! Nós é que temos que ressignificá-las à nossa moda!]

Será uma alegria se visitar o meu cantinho virtual, que é: http://josanemary.wordpress.com/mevrouw-jane/

E será uma outra alegria, se quiser ler o prefácio do meu livro: Mevrouw Jane (o prefácio não foi feito por mim, mas por um outro escritor, um já reconhecido no mundo literário). Se gostar – ou não - por favor, deixe um comentário; vou adorar ler a sua opinião!

Quem sabe podemos trocar nossas primeiras obras literárias? Será uma honra!
Tenha um ótimo dia!
Grande abraço.
Josane Mary

Cida disse...

Meu Deus, que história!!!

Felizmente, essa linda família se reuniu novamente, e (após todo o sufôco), tudo teve um final feliz.
Que bom!

Eu nunca havia lido ou ouvido falar desse fato. Gostei demais!
Principalmente, porque hoje em dia quase que se vê somente notícias tristes pela mídia...

Que ótimo que deu tudo certo, e que essas lindas crianças puderam recomeçar a vida, de uma forma bem melhor no País que as acolheu.
Que sejam felizes para sempre!

Beijinhos, amiga, e, obrigada por partilhar isso tudo conosco.

Cid@

Cacá - José Cláudio disse...

Eu costumo usar a palavra bravura para muito poucos atos humanos e esse é sem dúvida um deles. Para mim, é o verdadeiro significado humano de heroísmo com causa. Sensacional esta história, Mariazita. Meu abraço. Paz e bem.

ju rigoni disse...

Demorei, mas cheguei, querida Mariazita. E gostei demais de ler o seu post enfocando essa história cheia de determinação e coragem. O verdadeiro amor é invencível. Não há força ou poder capaz de submetê-lo.

Um beijo, minha amiga. Uma boa semana. E inté!

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Olá, Mariazita, eu aqui outra vez.
Agora para agradecer seu precioso comentário e assento na CADEIRINHA...rsrs
Tenho uma grande amiga,que passa 6 meses em Lisboa(está aí, agora) e
6 meses em Florianópolis (sul do Brasil).O marido, é português e ela de Goa.Conheço Portugal e gosto muito. Aqui, no nordeste,tem sol o ano todo. Já pouco vou à praia, mas gosto de banho de mar.

Muito grata, pelas incentivadoras palavras...comecei há dois meses, o "passa-tempo" de blogueira e estou adorando...sou uma eterna aprendiz e, também, professora.
Assim vamos levando, essa gostosa vida que nos foi oferecida....

Eu volto
Meu fraterno abraço

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Sem entrar nos méritos
do regime cubano,
o que me deixa mais feliz
com este relato,
é o que alguém que
entende o sentido e a alegria
de ter uma família
é capaz de realizar.
Histórias assim
nos alimentam a alma,
e nos fazem acreditar cada
vez mais,
na força maravilhosa do amor.

Que haja sempre sonhos
por sonhar.

Lourdes disse...

Mariazita
Esta é uma linda história onde a coragem e perseverança conduziram este homem a um final feliz.
Beijinhos
Lourdes

Graça Pereira disse...

Minha Querida
Já tinha ouvido falar nesta história
mas contada assim com tantos pormenores, torna-se numa aventura fantástica! Tu davas uma jornalista cinco estrelas!!
beijocas
Graça

Sonhadora disse...

Minha querida

Uma história com a tua marca...isto é muito bem contada, adorei e deixo um beijinho carinhoso.

Sonhadora

Daniel Costa disse...

Mariazita

Organizas e esquematisas tão bem as tuas historias, que dão prazer ao leitor. Este é um género de bibliogafia que gosto, pela astúcia, enquando as dramáticas circuntâncias me emocionam deveras.
É como se gostasse de emoções fortes.
Beijos

Livinha disse...

Muito bom te ler minha amiga, sempre nos aplaudindo com tuas histórias que narras tão bem.
Um quadro que mostra a perseverança, a luta enlaçada ao fim pela gloria da conquista.
Eu não conhecia... Mto bom

Bravo!

Bjs

Livinha

Zélia Guardiano disse...

Amiga Mariazita
Que história!
Ficarei muito tempo a refletir...
Grata, querida, por este post, verdadeiro presente!
Grande abraço!

Anne Lieri disse...

Que super história,amiga!Uma grande e comovente aventura!Daria até um filme!Gostei demais!Bjs,

Anne Lieri disse...

Que super história,amiga!Uma grande e comovente aventura!Daria até um filme!Gostei demais!Bjs,

Bergilde Croce disse...

Mariazita,
Mais uma Crônica da história,da vida que você vem conosco partilhar.Obrigada porque esta também eu não conhecia.
Abraços,
Bergilde

JADY*ALVES disse...

Olá amiguita linda!!!
Então estás cansadita? Mas que cansaço gostoso e gratificante pois não?:)))))D
Ir a praia, olhar esse marzão de Deus que presentaço! Banhares nestas águas relaxantes, energizar a alma, corpo, mente, até o espírito olhou na janela da alma e bendisse a Deus; D Oxalá pudesse eu estar contigo pulando ondas e sorrindo de prazer e felicidade por tão benfazeja graça.

Que bom que gostaste da minha singela poesia, estava justamente pensando no dia em que me for daqui, espero permita Deus me deixar um tempinho a mais pra poder ler teus belos contos, tuas maravilhosas postagens e deixar-me assim, FELIZ com esse final glorioso, afinal temos tantos fatos mal acabados, tristes mesmo, que quando nos deparamos com uma história tão bem narrada, torcemos sim pra que o final nos surpreenda também com a família reunida, assim como nos contos de fadas o "foram felizes para sempre" também pode e deveria mais vezes acontecer.
Amei de paixão, é por isso que desejo ficar um pouco mais por aqui apreciando a tua maneira de nos fazer acreditar que podemos e devemos idealizar a FELICIDADE!
Beijos e beijos, todos melados no teu coração amiguita amada!
A amiga de toda hora, minha querida Mariazita.
Fica com Deus!
Jady

Evanir disse...

Querida Mariazita ..
Um lindo final de semana beijos e beijos,Evanir.


www.aviagem1.blogspot.com

Regina Rozenbaum disse...

Mariazita, amada!
Não conhecia a história. Exemplo de garra, obstinação e amor! Fiquei ansiosa pelo desfecho...como num filme de suspense e adorei o desfecho.
Beijuuss n.a. e um excelente fds

Regina d'Ávila disse...

Que história fantástica!!
Grande vitória e quanto sofrimento.
Como existe, ainda hoje, histórias assim..
Imagino no oriente quantas histórias como esta.
Que Deus abençoe esta família.
E obrigada, amigo, por compartilhar com todos nos.
Bom fim de semana,
Beijos.
Regina d'Ávila.

Vinicius.C disse...

Eu fico bobo em como o ser humano se agarra a vida!

Obrigado por dividir um pouco disso!

Eu ja passei por coisas que até eu por vezes duvido, mas é meu- é pessoal não sei como me portaria se pudesse dividir.

Tem coisas tribulações que o calar significa mais.

Um beijo enorme e um ótimo fds!

Te espero no Alma!

Perola disse...

Vim te deixar um beijo grande minha amada.

Perola disse...

Eu volto amanhã minha flor.
Beijo grannnnnnnnnnnnnnnnnnde.

Livinha disse...

Eu adoro os teus comentários.maravilha de leitura a tua.
Você compreende e comenta com precisão.
Adoro tu!

Bjim e lindo domingo pra ti

Livinha

Florisbella disse...

Lindo, lindo. Mil vezes lindo. Choro ao ler essa história.
Beijos da Flor

Sotnas disse...

Olá, Mariazita, que tudo esteja bem contigo!
Que ótimo que gostou, pois creio que este seja o sentido de uma amizade, um amigo fazer o outro feliz, ao menos por breves momentos, ora, mas são justamente destes breves momentos que construímos nossas vidas, sendo assim tudo certo! Merece todos os elogios recebidos, pois realizou o seu sonho e o de todos que escrevem, lançou o seu livro. Feliz por poder compartilhar sua felicidade desejo a você e todos ao redor muitas mais felicidades, abraços e até mais!

Van disse...

Adorei esta história!

Ângelo disse...

Olá, Mariazita.
Comovente história envolvendo amor, coragem e anseio por liberdade.
Consto que, infelizmente, ainda existem no mundo pessoas simpáticas a ditaduras comunistas, pois nada mais é o comunismo do que a ditadura de uma elite política (a qual vive perdulariamente - Fidel é rico!) sobre um povo, privando-o do direito de liberdade e de posse, e, muitas vezes, baseada no ateísmo e na perseguição religiosa.
Beijos.

Unknown disse...

RAUL E FIDEL CASTRO, DOIS VELHOS VIADOS, SEGURA O LORENZO!! KKKKKKK