domingo, 6 de dezembro de 2009

ANITA

ANITA – EPISÓDIO XXXVIII

(Ficção baseada em factos reais)

Começando a sentir-se desesperada, Anita pediu à filha que a levasse ao hospital, pois não conseguia aguentar mais uma dor tão forte, e não tinha forças para guiar o carro.
Eduarda prontamente a conduziu ao hospital mais próximo.

FIM DO EPISÓDIO XXXVII
EPISÓDIO XXXVIII

Quando, finalmente, foi atendida e observada, o médico declarou não lhe encontrar nada de anormal que justificasse tal dor. Foi-lhe injectado um forte analgésico, e, depois de prescrito o mesmo fármaco, em comprimidos, mandaram-na para casa.
A dor tinha cedido ao medicamento, e Anita conseguiu passar algumas horas descansada. Mas, ainda antes de se levantar, já a dor de cabeça estava novamente a manifestar-se.

Quando pôs os pés no chão teve uma forte tontura e uma dor tão violenta que a obrigou a gritar.

Eduarda acorreu, alvoroçada e assustada com o grito da mãe.
Encontrou-a sentada no chão, apertando fortemente a cabeça entre as mãos. Reagiu de imediato:
_ Vamos tratar de te vestir rapidamente, para eu te levar ao médico. Mas nem penses que te levo ao hospital. Vais direitinha para a clínica onde o paizinho se tratou, que tem excelentes médicos.
- Mas, minha filha, é uma clínica muito cara. Não podemos aguentar a despesa…
- Não é hora de pensar nessa coisas. Vamos, rápido.
E conduziu a mãe à clínica onde seu pai estivera internado e onde acabara por falecer, rodeado de todos os cuidados.

Logo à chegada Anita foi atendida.
Depois de lhe administrarem um analgésico por via endovenosa para aliviar a lancinante dor de cabeça, e observadas as últimas análises que ela havia feito, e a filha se lembrara de levar consigo, o médico ficou a saber que Anita sofria de colesterol em excesso e hiper-tensão, para o que estava devidamente medicada.

Enquanto decorria o exame preliminar, Anita começou a sentir vómitos e teve um ligeiro desmaio.
O médico prescreveu uma angiografia cerebral e uma TAC (tomografia axial computorizada) do encéfalo.

À medida que as horas iam passando, Anita começou a sentir que a dor de cabeça, que entretanto voltara a aparecer, se centrava na nuca, ao mesmo tempo que sentia também dor nas costas e nas pernas.
Perante estes sintomas o médico mandou fazer uma angiografia por ressonância magnética.
Depois de colhidos os resultados de todos os exames, o médico decidiu fazer uma punção lombar.
Ao ver o líquido avermelhado pelo sangue, não teve mais dúvidas: Anita tinha um aneurisma cerebral de proporções não muito pequenas.

Foi-lhe ministrado um forte sedativo. Encaminharam-na para um quarto de duas camas, que se encontrava já ocupado por outra senhora, e onde chegou meio adormecida.
Antes de ir para casa, visto que, nessa noite, não poderia ficar junto da mãe – não havia quartos individuais disponíveis - Eduarda foi chamada pelo médico, que a pôs a par da situação.

Eduarda apercebera-se que o estado de saúde da mãe era grave, mas não imaginava quanto.
A revelação de que Anita corria sério risco de vida, fez desmoronarem-se todas as forças que ao longo do dia conseguira reunir para não a abandonar um só momento.
Sacudida por soluços, deixou as lágrimas correrem livremente.

O médico levantou-se, pousou-lhe uma mão no ombro, e esperou, pacientemente, que ela se acalmasse. E só depois falou:
- Eduarda, minha filha, tu foste muito corajosa durante a doença do teu pai. Agora vais precisar de muito mais força interior, não só porque se trata da tua mãe, que tu adoras, mas também porque vais ter que tomar uma decisão muito difícil.
Eduarda levantou o rosto para o médico, com um ar surpreendido.
- Decisão? O que é que eu vou ter que decidir?
- Com certeza já te apercebeste – respondeu o médico – que a tua mãe se encontra num estado muito crítico. A única hipótese de ela se salvar é através de uma cirurgia que, - tenho que te dizer a verdade – é muito complicada, e comporta muitos riscos.
- Que tipo de riscos?
- Como certamente sabes, o aneurisma é originado pela dilatação de uma artéria, que forma uma espécie de bolha, em que as paredes ficam muito frágeis, e podem rebentar. Não há qualquer tratamento, a não ser a cirurgia, que consiste em fazer uma abertura no crânio e colocar grampos metálicos no aneurisma, para o bloquear.

FIM DO EPISÓDIO XXXVIII

33 comentários:

António Gallobar disse...

É quase uma crueldade a que por vezes a vida nos coloca pela frente, quando temos que decidir perante a vida ou a morte, texto como sempre magnifico cheio de pontes para reflexão, muitos parabens fico à espera do resto.

Beijinho e bom domingo

Francisco Sobreira disse...

Pois é, minha amiga, você tirou outro coelho da cartola. Agora, a nossa expectativa é saber se a sofrida Anita resistirá a essa delicada cirurgia. Aguardemos os próximos episódios. Um beijo e uma excelente semana.

Pelos caminhos da vida. disse...

Que o sol venha com sua luz e energia
lhe despertar para um novo "dia"!
Que seu dia seja abençoado com muita luz!
Hei!!! Sorria!
O soriso brilha, assim como o sol quando nasce: lindo, perfeito e contagiante!

Vim lhe desejar um domingo de muita paz!


beijooo.

Giselle disse...

Querida Má.
e eu pensando que era um pressentimento da morte do Padre, menina que reviravolta, justo agora que ela estava começando a ser feliz ...
Que destino cruel !!!!
Um beijo enorme, e tenha um domingo abençoado

São disse...

Aneurisma é algo traiçoeiro, segundo parece.

Um bom domingo para ti, menina.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Olá, Mariazita!
"Anita"
A promessa do tão esperado Amor é interrompida pelo imprevisível ao qual todos os humanos estão sujeitos
Cirurgia nesta altura da vida? Sim! Enfrentará como guerreira que sempre foi, espero
Tomara que se saia bem, é vencedora e merece
Muito Bom, amiga do coração
Beijos
Bom Domingo,

Vitor Chuva disse...

Olá Mariazita!
Como se o viver da Anita não fosse em si mesmo já tão difícil e atormentado, surge-lhe agora um problema de ainda maior dimensão, a dimensão da própria vida - a dela -, e em que ela poderá ficar a perder!
Angustiante a posição da filha ao ter que decidir pela mãe, sabendo que a sua decisão, num ou noutro sentido, poderá ficar associada à eventual perda de vida da mesma.

A intensidae dramática sobe; ficamos a aguardar o que nos trará o próximo episódio.

Beijinhos; bom domingo.

Vitor Chuva

Alvaro Oliveira disse...

Olá Mariazita

Quanto lamento, não poder ler os capitulos deste romance que estava a deixar-me sempre em suspense.

Registo ao menos minha presença e em breve espero poder lêr todos os capitulos não lidos.
Uma linda semana lhe desejo.

Beijinhos

Alvaro

Meg disse...

Mariaziiiita!!!!
Consegui entrar...ufa!
Mas olha que foi difícil... na verdade não sei o que se passa, e não é só no teu blog, mas adiante!

Estive a ler o post anterior, e aqui chegada, recuei ao tempo em que vivi uma situação semelhante a essa, mas no meu caso, era a minha filha... que se salvou sem ficar com sequelas, o que é raríssimo.
Nem me quero lembrar, minha amiga!

Tem um bom resto de fim de semana.

Beijinho

Canduxa disse...

Querida Manita,

Oh, estou triste pela Anita… merecia ser feliz!
Agora, só espero que ela resista ao grave problema de saúde.
Tudo o resto deixou de ser importante, só a vida o é.
Celebremos a vida!

Obrigado, minha querida, pelo teu comentário no mundo colorido. Este dia foi celebrado a tês:a pipinha que acaba amanhã a quarentena, eu que adoeci ontem(piorei da minha alergia)e o pai que está são como um pero!
Nâo me lembro de um aniversário assim, mas...celebremos a vida, o resto não importa!

Meus beijinhos de luz e carinho

Paula Raposo disse...

Decisões que temos que tomar ao longo da nossa vida. Nada fáceis.
Beijos.

poetaeusou . . . disse...

*
a saga da vida,
encruzilhando escolhos,
em trilhos . . .
por trilhar .
,
briss serenas, deixo,
,
*

Ana Martins disse...

Mariazita,
afinal os meus receios são reais. A vida por vezes traz-nos duras provações e Anita não teve uma vida nada fácil, doi-me saber que esta é uma história verdadeira.

Beijinhos,
Ana Martins

Maria João disse...

Amiga

Pois, como eu imaginava...
Mais uma decisão terá de ser tomada... mas viver é isso mesmo, é decidir. Nem sempre é fácil, mas é sempre necessário.
Estou certa que irá correr tudo bem.
Pergunto-me, o que terá pensado e sentido Anita quando se sentiu bem perto da linha, junto ao limite...


Um beijinho muito grande

Helena Teixeira disse...

Olá Mariazita!
Obrigada pela visita ao blog da Aldeia.Entendo que 3 blogs a gerir não é pêra doce ;)
Deixo-a à vontade para participar noutras blogagens futuras da Aldeia.Quando quiser,esteja à vontade.Ah,como não pode participar nesta,pode sempre ir comentando os textos a partir do dia 10,como leu,todos os comentários feitos aos textos,ajudarão a Isabela :)

Boa semana
Jocas gordas
Lena

Zé Carlos disse...

Minha querida menina, vc perdeu totalmente meus endereços.....

Espero que venha tomar um cafezinho conosco.

Bjs do ZC

Cris Tarcia disse...

Olá!

Texto cheio de emoção,

Um abraço

Tite disse...

Eduarda,

Tem calma!
A tua Mãe está bem entregue e os aneurismas, quando atacados de pronto por neuro-cirurgiões competentes, são vencidos e as vitimas voltam a nascer.

Cá fico à espera para ver se tive ou não tive razão.

Beijos Mariazita

Daniel Costa disse...

Mariazita

Com um aneurima o caso tinha de ficar muito sério. Pondo-me e querer adivinhar, depois da operação e um certo tempo de convalença Anita irá ficar em forma, para que história acabe em bem!
Beijos
Daniel

Anónimo disse...

Dear blog moderator: Hello!
Dear friends: Hello!
I am a friend from Taiwan is very pleased to find your blog, I also very much like your site content and articles, in addition I have added to my favorites, is there the honor and opportunity to your blog Friendly exchange of times?
If you have already joined, please send a letter to my mailbox, I offer my site name and URL, but also want to browse and exchange information regularly ︿ ︿ Oh, thank you!
Site Name: seo
Website: http://seo.ao.com.tw
E-mail: ericpme0615@gmail.com

Vicktor disse...

Querida Mariazita

De capítulo em capítulos nos vamos envolvendo, que envolventes são tuas palavras..., numa estória de um realismo impressionante.

Excelente partilha a tua.

Beijinhos.

Fernanda disse...

Amiga Mariazita,

Apesar de ser uma história, ela está escrita de uma forma tão real, com todos os termos técnicos e sintomas exactos que me fez arrepiar pela veracidade.

Nem sonho o que será estar na pele da filha, que terá naturalmente que optar pela cirurgia, pelo menos assim haverá alguma esperança.

Veremos...

Parabéns pelo interesse que sempre desperta nos seus leitores.

Beijinhos

Luis disse...

Minha Boa Amiga,
O "suspense" é contínuo e de molde a ficarmos a aguardar o novo capitulo cheios de "raivinhas"!
Espero que a Anita sobreviva completamente deste transe em que se encontra para podermos continuar a visitá-la! Conheci dois casos reais deste tipo e com as intervenções cirúrgicas efectuadas os doentes ficaram completamente saudáveis.
Um beijinho amigo.

com senso disse...

Amiga Mariazita
A Anita não é mais uma heroína de um romance, feito de amores, ilusões, encontros e desencontros.
A história da Anita é um perfeito testemunho de vida, uma história intensa e dramática, que percorre a vida de um ser humano cujo destino muitas vezes não comandou. Afinal como acontece a quase todos nós!
Obrigado por este belo texto!
Um beijinho com amizade!

Luis F disse...

Cá estou eu a seguir esta história.

Li e vou aguardar por mais um episódio, espero que em breve.

Bjs
Luis

A. João Soares disse...

Querida Mariazita

Independentemente da Anita, convido-a e aos seus visitantes a puxar pelo cérebro num exercício de fantasia e de lógica futurista, lendo o post
ET. Um desafio e congeminações

e depois escrevendo as suas fantasias, ou em comentário ou num post no seu blogue. O resultado poderá ser uma antologia comas nossa ignorâncias e as nossas congeminações , ou talvez visões que poderão vir a concretizar-se !!!
Um abraço
João

AFRICA EM POESIA disse...

MARIAZITA

O meu livro de Natal é para mim ...Magia...Espero que ao lerem um pouco do que vou deixando... sintam o mesmo
eu Gostava de sentir todas as crianças a terem sempre Natal

um beijo

MENSAGEM DE NATAL

Natal
Do menino negro
Que é igual
Ao menino branco
E o menino negro
Ao ser amamentado...
A sua Mãe
Também Negra
Alimenta-o
Dá-lhe o seu leite
Leite de Negra
Que é apenas
Leite Branco!...

LILI LARANJO


Se quizeres algum livro envio por correio. beijos

Cris Tarcia disse...

Olá

Passei para deixar um abraço

Su disse...

Nossa, que situação terrível. Às vezes a vida nos pega de surpresa e nos põe numa situação muito dificil!
Que a Anita sobreviva a tudo isso!

bjos!

Zé do Cão disse...

Anita veio ao Mundo só para sofrer?
Que mais a aguardará?




Bj.

Táxi Pluvioso disse...

Ai a vida, sofremos, tropeçamos, chateamos os outros, e depois morremos. bfds

SAM disse...

Mariazitaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!


Onde é que eu estava, heim???? Nem eu sei que ausência foi essa que nem fiquei sabendo do estado de Anita! E que você já tinha dado a informação em 2 capítulos ( fora os dos selinhos!) Eu heim, menina... Tô boba comigo. Mas Anita vai me perdoar, com certeza. Ela sabe que eu sou amiga fiel.

Mariazita, fiquei curiosa foi sobre o exame TAC ( deduzi que esta estória não é tão antiga assim). E já passei por isso. E te digo que foi mais complicado pela demora de diagnóstico errado ( putz até de depressão deram!) passei uma via crucis e quase perco meu irmão. Mas no final deu tudo certo. Um aneurisma enorme acima do olho e com certeza iria ter uma sequela. Entretanto, após 9h de operação ele sobreviveu e sem sequelas. Uma nova chance de vida. Não percebeu isso, não cuidou da pressão e não demorou muito faleceu com um derrame. Enfim, embora grave e muito, tenho fé que tudo vá correr bem para a nossa querida Anita.


Beijos, amiga querida!

Anónimo disse...

subsidiary inducer rave dimension hkamkjksa heavy rigour water wake wokingham sortinggive
semelokertes marchimundui