quinta-feira, 24 de julho de 2008

MAIS UMA ESTRELA SE APAGOU

Desapareceu mais um astro do firmamento cinematográfico – Mel Ferrer.
O falecimento ocorreu no passado dia 2 de Junho, em Santa Bárbara, Califórnia, USA.



De acordo com o que foi noticiado nos Estados Unidos, o actor, de 90 anos de idade, encontrava-se rodeado de familiares e amigos. Terminou os seus dias em paz.
Os mais jovens, provavelmente, não conhecem nem o nome, nunca ouviram falar. Os menos jovens de idade, nos quais me incluo, lembram, certamente, o actor.
Na realidade, Mel Ferrer tornou-se conhecido especialmente como actor. Protagonizou mais de cem filmes ao longo da sua carreira, o último dos quais em 1998.
Actor principal em filmes famosos como Scaramouche, Lili, O Dia Mais Longo, o que o tornou mais conhecido e famoso foi, sem dúvida, o grandioso “Guerra e Paz”, realizado em 1956.





Como acontece com um grande número de pessoas, também Mel Ferrer não realizou o sonho da sua vida - exercer a profissão de que mais gostava – realizador de cinema.
Ainda fez uma incursão nesse campo, realizando alguns filmes. Mas o seu destino era ser actor. Os grandes cineastas requisitavam-no, os seus filmes garantiam sucesso de bilh eteira, e assim acabou por abandonar definitivamente o campo da realização.
Durante as gravações de “Os cavaleiros da Távola Redonda”, em Londres, conheceu a lindíssima Haudrey Hepburn,



com quem se casou em 1954, na cidade de Lausanne, Suíça.




O casamento durou 14 anos, e terminou em 1964.

Homem discreto, sempre pautou a sua vida por uma atitude correcta. Nunca se lhe conheceram escândalos, tão comuns no meio cinematográfico, e a que muitos actores e actrizes devem, em parte, a sua fama.

Partiu um grande actor e, tanto quanto se sabe, um homem de bem.
Por isso lhe presto, aqui, esta singela homenagem.




29 comentários:

O Profeta disse...

Olhando de perto o teu olhar
Vejo raios voando na procura
Anseios depositados no vento
Uma secreta maré de ternura


Vem comigo visitar o vale dos milhafres


Boa semana


Mágico beijo

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Mel Ferrer e Audrey Hepburn, duas almas lindas, atores de talento e classe...Estão com DEUS!
Mariazita, encontri-me com o um senhor (puxa, esqueci o nome, sinceramente, termina em Soares) que, ao me comentar, citou duas pessoas queridas para ele:Maqira e você, mas não precisa tornar a me comentar, isso não é golpe, só um recadinho. Uma ótima tarde, amiga!

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

corrigindo a bendita digitação:"encontrei-me", mais beijos!

a casa da mariquinhas disse...

Olá, Profeta
É sempre um prazer recebê-lo nesta minha/sua casa.
Obrigada por ter vindo e ter-me deixado este "bocadinho" da sua vasta poesia.
Bem haja!
Beijinhos
Mariazita

a casa da mariquinhas disse...

Oi, Vanuza
O João Soares, cujos blogs estão linkados no meu, é um velho (só na amizade...) e bom amigo, que muito prezo.
Dar-lhe-ei o seu "recadinho", mas se ele comentou o seu blog é porque entendeu que era merecedor disso. O João é uma pessoa honesta e íntegra. Pode confiar!
Beijinhos
Mariazita

A. João Soares disse...

Mariazita e Vanuza,
Ambas umas jóias. Não quis fazer marketing. Apenas achei graça encontrar no blog da Vanuza os comentários da Maquira e da Mariazita, duas colegas do CVS - Clube Virtual de Seniores - que dentro em breve vai passar a contar com o contributo artístico da Mariazita!!! Uma estrela como se vê na beleza da ilustração deste post.
E, assim se criam amizades a partir da Internet!

Beijos
João

xistosa - (josé torres) disse...

Ainda bem que não se fala em morte.
Gosto de ler os posts, mas também os comentários ... afinal o homem não morreu ...
Continua ...
Vi muitos filmes dele, em que entrou como actor.
parece-me que foi realizador e foi casado ... bem, esqueci o nome, mas não interessa, era uma grande actriz como ele.
Se todos forem na sua ordem natural, a vida custa menos!

com senso disse...

Ainda bem que falou de Mel Ferrer. Hoje em dia quando a vulgaridade e a mediocridade vão-se designando por celebridades, é bom ver que há pessoas com cultura e memória para recordar os nomes de quem nos deu muitos belos momentos do melhor da arte de representar.
Obrigado por o fazer de forma tão brilhante:

a casa da mariquinhas disse...

Meu caro João
Uma nova faceta - galanteador!
Conhecia várias - gentil, amigo, benevolente, paciente, apaziguador, etc., etc., etc.
Hoje conheço mais esta...
E não digo mais nada porque estou altamente ruborizada... -:)))))
Beijinhos
Mariazita

a casa da mariquinhas disse...

Olá Zé Torres,
As pessoas não morrem enquanto as conservamos na lembrança.
Todos os dias (não falha um!) recordo os meus pais. Deste modo eles continuam vivos, para mim.
No post eu refiro que o actor foi casado, durante 14 anos, com Haudrey Hepburn, com quem contracenou várias vezes.
Não consegui saber (apesar de ter procurado informação) se foi casado outras vezes. Eu não tenho conhecimento de que tenha sido.
Bom fim de semana.
Um abraço
Mariazita

a casa da mariquinhas disse...

Olá, com senso
Mel Ferrer merece ser recordado como bom actor que foi, mas também como ser humano.
Tanto quanto me foi dado acompanhar a sua carreira, nunca tive conhecimento de qualquer acontecimento menos digno em que tenha tomado parte.
Ao contrário, há muitos actores e actrizes que se envolvem em escândalos, muitas vezes propositadamente, apenas para ganharem fama.
Mas a fama assim alcançada é efémera. Não vão ficar para a história.
Beijos
Mariazita

Antunes Ferreira disse...

Olá
Só passei por aqui para saber como vão as coisas. Oxalá tudo corra sobre esferas.
Mas… já agora, aqui vai:

1)SANGUE & SEXO
Não te esqueças de comprar o me(a)u livro e de passar esta mensagem à tua seita. Dele disseram há poucos dias que era «sangue & sexo, mas muito bem escrito»… Disseram…;
2)PONTO DE ENCONTRO
Acompanha o Travessa pois vou acelerar os trabalhos. Já há interessados em Angola, Moçambique e Cabo Verde. E, vê lá, no Senegal;
3)IMEILE
Sou chatérrimo! Repito o pedido: manda-me o teu. O meu é (outra vez?) ferreihenrique@gmail.com

... E lá se foi mais um para a Quinta das Tabuletas...
Queijinhos

Cadinho RoCo disse...

Que o astro descanse em paz.
Cadinho RoCo

Rafeiro Perfumado disse...

Sou péssimo a ligar nomes a caras, mas confio em ti. Em todo o caso, sempre que morre um artista, todos perdemos um pouco. Beijo!

Pena disse...

Sim! Mel Ferrer, um vulto da "construção" cinematográfica dos dias de hoje.
Uma enorme "perda" a que faz menção de forma oportuna e magnífica pela simbologia enorme nos écrans gigantes do sonho no domínio da magia do cinema.
Parabéns!
Excelente atitude.
Abraço forte de amizade, estima, consideração e respeito.
Com admiração

pena

Sabia-o, porque é no dia do meu aniversário, 2 de Junho.
A não esquecer.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Amiga:
Ele era um ícone. Fiz novo post hj, a pedido de uma amiga do Blog. Vc já deve ter visto o filme, que é lindo.
Apareça aqui:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
Um beijo,
Renata

Zé Carlos disse...

Mariquinhas, estou feliz com a sua visita, seja bem-vinda sempre e só nos dará satisfação....
Bjs do novo amigo, ZC

xistosa - (josé torres) disse...

Estava a inventar ... Bastava ter visto as fotos ...
mas ao comentar, varreu-se-me da memória.
Logo eu que gosto de ler tudo!

maqira disse...

Vanuza, Mariazita, João Soares,

Aceitem o meu sincero abraço de alegria por conhecer 3 pessoas que admiro e estimo.

Maqira / Adelaide

a casa da mariquinhas disse...

Olá Antunes Ferreira
Por cá vai tudo bem, obrigada!
Tomei devida nota de TODAS as recomendaçãos.
Bom resto de Domingo.
Bjs
Mariazita

a casa da mariquinhas disse...

Olá, Cadinho
Obrigada pela sua visita.
Um Domingo com muita paz e alegria.
Beijinhos
Mariazita

a casa da mariquinhas disse...

Olá Rafeiro
Obrigada pela confiança...
Procuro informar-me sempre das coisas que ultrapassam o que sei.
Penso que as fontes são fidedignas.
Beijinhos
Mariazita

a casa da mariquinhas disse...

Olá, Pena
Obrigada pelas suas palavras, sempre gentis.
Lamento não ter sabido do seu aniversário em devido tempo...mas ainda estou a tempo de mandar um abraço de parabéns!!!
No próximo ano chegarão no dia certo...já anotei.
Beijinhos
Mariazita

a casa da mariquinhas disse...

Olá Reenata
Lá irei apreciar e comentar o seu trabalho.
Bom Domingo,
Beijinhos
Mariazita

a casa da mariquinhas disse...

Olá, Xistosa
Teve "uma branca", é o que é...
Acontece nas melhores famílias!!!
Bom Domingo
Um abraço
Mariazita

a casa da mariquinhas disse...

Querida Milai
Pela parte que me toca...obrigada pelo teu carinho.
Gostei de te ver cá.
Beijinhos amigos
Mariazita

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

O que dizer? Só e tão somente agradecer à Providência, a Deus, por Mariazita, Maqira e João, estarem tão próximos a nós!
Mesmo gripada, estou MUITO FELIZ!
UMA SEMANA DE REALIZAÇÕES PARA ESSES TRÊS ANJOS QUE ME ACOLHERAM AQUI!!! Beijos

A. João Soares disse...

Li há tempos os três volumes do livro «Profecia Celestina» de James Redfield, que gira à volta do tema dos encontros ocasionais, qiúe segundo ele não acontecem por acaso. Há sempre uma convergência de interesses espirituais entre essas pessoas.
A blogosfera contribui para muitos desses encontros, embora por vezes surjam os ruídos e interferências daqueles que apenas pretendem lançar a confusão. A Mariazita, a Maqira e Vanuza, por datas do nosso conhecimento virtual, foram ricas aquisições na lista de contactos, a juntar a muitas outras, de que me orgulho.
Beijinhos de muita consideração e amizade
João

ANA DINIZ disse...

As estrelas nunca se apagam, minha querida.

Mesmo quando depois de mortas, suas luzes continuam a percorrer o vácuo na infinda expansão do Universo...


Amo Amália.

O fado que mais adoro, e como, é


MADRUGADA DE ALFAMA

Mora num beco de Alfama
e chamam-lhe a madrugada,
mas ela, de tão estouvada
nem sabe como se chama.

Mora numa água-furtada
que é a mais alta de Alfama
e que o sol primeiro inflama
quando acorda à madrugada.
Mora numa água-furtada
que é a mais alta de Alfama.

Nem mesmo na Madragoa
ninguém compete com ela,
que do alto da janela
tão cedo beija Lisboa.

E a sua colcha amarela
faz inveja à Madragoa:
Madragoa não perdoa
que madruguem mais do que ela.
E a sua colcha amarela
faz inveja à Madragoa.

Mora num beco de Alfama
e chamam-lhe a madrugada;
são mastros de luz doirada
os ferros da sua cama.

E a sua colcha amarela
a brilhar sobre Lisboa,
é como a estatua de proa
que anuncia a caravela,
a sua colcha amarela
a brilhar sobre Lisboa.


Beijos, querida!

Ana