segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

FELIZ ANO NOVO

LENDA DE ANO NOVO


Quem me acompanha há muito tempo e/ou conheceu o meu blog “HISTÓRIAS DE ENCANTAR” sabe da minha predilecção por lendas.
Lá publiquei bastantes, e aqui, na CASA DA MARIQUINHAS, também partilhei algumas convosco.
Pensando em como haveria de iniciar este ano de 2018, surgiu-me a ideia de o fazer, exactamente, com uma lenda.
E, como seria de esperar, será uma lenda sobre o Ano Novo.
De algumas ouvi falar, outras li… e de todas de que tenho conhecimento, que não são muitas… (há poucas lendas sobre o Ano Novo) escolhi esta para vos mostrar.

Numa aldeia distante morava um casal de velhinhos: A Benvinda e o Baltazar.
Embora fossem muito velhinhos e as forças já não fossem muitas, como eram muito pobres tinham que se ocupar com os seus afazeres. 
Benvinda ocupava-se da lida da casa. Baltazar era chapeleiro, fabricava chapéus.
Na véspera da passagem de ano não tinham nada para celebrar a entrada do Novo Ano, nem dinheiro para comprar algo com que pudessem festejar a data.
Baltazar lembrou-se que talvez com os seus chapéus conseguisse algum dinheiro. Com esse propósito deslocou-se à cidade, pensando que no regresso poderia já trazer algumas guloseimas para ele e Benvinda se deliciarem ao soar das doze badaladas.
Pegou em cinco chapéus que já tinha feitos e tomou o caminho da cidade, que ficava bastante longe.
Depois de, com bastante dificuldade, atravessar vários campos, chegou, por fim, à cidade.
Baltazar sentia-se muito cansado mas, com a sua fé inabalável, pôs-se imediatamente a apregoar os chapéus:
- Olha o chapéu! Bem fabricado, fino e barato!
A cidade fervilhava de gente que corria apressada de um lado para outro, fazendo os preparativos para o Ano Novo.
Todos voltavam para casa carregados de embrulhos com carne, peixe, doces… garrafas de bebidas. Mas ninguém se interessava pelos chapéus.
Baltazar pensou:
- Não foi uma grande ideia, a que eu tive. Neste dia quem é que vai pensar em comprar chapéu?
Mas não desistiu. Todo o dia palmilhou a cidade, apregoando a sua mercadoria. Pensava em Benvinda, que em casa o aguardava, e só isso lhe dava forças para continuar, apesar do enorme cansaço.
Mas não conseguiu vender um único chapéu.
A noite aproximava-se rapidamente e Baltazar, convencido de que não valia a pena insistir mais, guardou os chapéus e iniciou o caminho de regresso.
Quando saía da cidade começou a nevar. O frio entrava-lhe através da roupa, mas ele continuou a caminhar pelo campo coberto de neve.
De repente avistou seis duendes, todos encostados uns aos outros, tremendo. Já havia neve nas suas cabeças, que lhes respingava para os rostos.
Condoído, Baltazar não hesitou um momento. Passou a mão na cabeça dos duendes para retirar a neve, e em seguida cobriu-os com os chapéus que não havia vendido.
Mas só tinha cinco chapéus, e os duendes eram seis…
Tirou o chapéu que usava na sua cabeça e com ele tapou a cabeça do sexto duende.
- É um chapéu velho e sujo… mas não tenho outro… - comentou Baltazar.
Não obteve qualquer resposta pois os duendes não falam com pessoas.
O velhinho  retomou o seu caminho.
Ao chegar a casa a sua cabeça estava de tal modo branca com a neve que caíra, que Benvinda se assustou ao vê-lo:
- Mas o que aconteceu, Baltazar? Pregaste-me um susto! – disse, com voz trémula.
- A verdade é que não consegui vender nenhum chapéu. Quando regressava encontrei seis duendes e imaginei que estivessem com frio. Por isso cobri-os com os chapéus. Mas como faltava um… tapei-o com o meu.
Benvinda ficou emocionada com a atitude do marido, e apenas comentou:
- Foi um gesto muito nobre!
Comeram uns restos que ainda havia na despensa e foram-se deitar. A roupa da cama era pouca para noite tão fria. Encostaram-se o melhor possível, tentando transmitir um ao outro o calor dos seus velhos corpos cansados.
Pouco depois ouviram vozes lá fora:
- “Entrega de Ano Novo! Onde é a casa do vendedor de chapéus? Abra a porta, vendedor!”
Levantaram-se ambos e abriram a porta, assustados.
Na frente da casa havia muita comida, vinho, adornos de Ano Novo, cobertores quentinhos… e, em lugar de destaque, dois pequenos embrulhos com doze passas de uva cada um.
Pensaram que estavam sonhando.
Olharam em volta e não viram ninguém. Fixando o olhar em frente, divisaram seis duendes afastando-se da casa.
Pareceu-lhes ouvir ao longe:
- FELIZ ANO NOVO!
À meia-noite, ao soar das doze badaladas, Benvinda e Baltazar comeram cada um as suas doze passas de uva, formulando mentalmente o desejo de que continuassem sempre juntos até ao fim dos seus dias.
E assim se iniciou o ritual que se mantém até aos dias de hoje.
A TODOS UM MUITO FELIZ ANO 2018

48 comentários:

Tais Luso disse...

QUERIDA AMIGA, UM FELIZ ANO NOVO, COM MUITA SAÚDE, PAZ E ALEGRIA!!!
VOLTAREI PARA LER AMANHÃ, AGORA É TARDE, DEIXANDO UM BEIJO!
BOA NOITE!!

✿ chica disse...

Linda lenda!

Já em 2018, desejos que seja lindo! bjs, chica

Antonio Pereira Apon disse...

Bela fábula. Que o ano já nascido, produza "milagres" de fraternidade, amor e todo bem, irmanando as pessoas e humanizando o cotidiano. Feliz 2018!

Portugalredecouvertes disse...


Olá Mariazita, será que a pobreza que continua a existir no mundo, não "enfraquece" porque ninguém entrega os chapéus sem receber o dinheiro em troca, e sobretudo que ninguém dá o último chapéu que tem mesmo usado e velhinho ?!
bonita partilha Mariazita, votos de bom ano para repleto de boas histórias para contar,
amizade e muito amor junto dos teus familiares e amigos
beijinhos do novo ano que invade as nossas janelas com tanto sol, que já parece uma primavera
Angela

Os olhares da Gracinha! disse...

Uma lenda fantástica!!!
Bom 2018!!!
...
Bj e de regresso:
https://crocheteandomomentos.blogspot.pt/2018/01/olhares-no-e-do-porto.html

Marina Fligueira disse...

¡Bonito bonito, bonito!

¡Mariazita, me ha encantado el relato de Baltasar! Es una lectura que da gusto leer.

Quiero pedir perdón por mi ausencia, no es abandono, Dios bien lo sabe. Un problema de salud mi impide corresponder a quienes me visitáis y lo siento mucho. Pero en cuanto esté en forma, nadie se librará de mí, lo juro.

Quiero desearte lo mejor del mundo en este año nuevo, que todos tus sueños se vean realizados colmados de paz, amor y de autentica felicidad y prosperidad.

Un abrazo, mi gratitud y mi gran estima.

¡¡¡FELIZ-2018!!!

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

Querida Mariazita que alegria ler essa sua postagem ! Conheço muitas lendas e histórias, mas essa é inédita!
Grata pela partilha.
Que 2018 lhe seja favorável.
Bjins
CatiahoAlc.

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

Querida Mariazita que alegria ler essa sua postagem ! Conheço muitas lendas e histórias, mas essa é inédita!
Grata pela partilha.
Que 2018 lhe seja favorável.
Bjins
CatiahoAlc.

Lune Fragmentos da noite com flores disse...

Querida Mariazita,

Tem toda razão! Há muito tempo não vinha visitar este seu recanto lindo. Mas, a razão é a minha ausência frequente da blogosfera.

Aqui estou! Voltarei para ler a lenda. Regressei há pouco, noite mais longa e o cansaço desce já.

Voltarei, sem dúvida, para ler a lenda, um género literário que valorizo muito.

Hoje vim só deixar meus votos de *Feliz Ano 2018*. Paz, Saúde, Alegria! Tudo de muto Bom!

Beijinhos

Ana Tapadas disse...

Feliz ano novo!

Interessante a lenda!

Beijinho

Pedro Coimbra disse...

Boa semana, Bom Ano, beijinhos

Elvira Carvalho disse...

Uma lenda muito bonita que não conhecia. E se eu gosto de lendas.
Boa semana, Bom Ano
Abraço

Graça Pires disse...

Gostei da lenda do Ano Novo. Não a conhecia.
Que 2018 lhe traga tudo o que deseja.
Um beijo.

Larissa Santos disse...

-
Para o segundo dia do Ano, temos: "Perambular nesta viagem da vida"
.
Bjos e 2018 em grande.

Majo Dutra disse...

Uma lenda amorosa e muito interessante, Mariazita.
Desejo-lhe um 2018 pleno de saúde, paz, harmonia e ternura.
Beijinhos.
~~~~

Rosa Carioca disse...

UM 2018 CHEIO DE TUDO DE BOM!!!

jfbmurcia disse...

Bonita historia, Mariazita. Feliz año nuevo desde Murcia, España.

Fá menor disse...

Belíssima história. Fazer o bem traz sempre recompensa.
Boa travessia!
Beijinhos.

Tais Luso disse...

Que história encantadora, deu-me pena quando Baltasar foi à cidade tentar vender seus chapéus e não conseguiu, que triste. Mas emocionante foi o que lhe aconteceu. É sempre assim, quando fazemos o bem, pode demorar um pouco, mas o agradecimento vem, de uma forma ou de outra. O tipo de história para o fim de Ano.
Beijo, querida amiga! Como te disse, voltei para ler.

Toninho disse...

Ola Mariazita, amei esta lenda, que não conhecia.
A bondade e generosidade fazem historias,
A gente sempre tem o que partilhar com um bom espirito de solidariedade.
Abraços amiga e que o ano nos seja bom e leve.

Mari-Pi-R disse...

Nos has dejado una bonita leyenda de una gran generosidad, de las que hoy en día se vive menos en este mundo.
Que las leyendas no nos falten así como la generosidad de las buenas personas e iremos haciendo una vida mucho más agradable.
Feliz 2018 con un abrazo.

Maria Rodrigues disse...

Adorei a lenda, não conhecia.
Minha amiga desejo-lhe um excelente Ano pleno de alegrias, saúde, paz, amor e sonhos realizados.
Beijinhos
Maria de
Divagar Sobre Tudo um Pouco

Rita Freitas disse...

Um feliz ano novo cheio de poesia e amor. Abraço

Ana Freire disse...

Adorei a lenda Mariazita!
E aqui por casa, também seguimos a tradição... as 12 passas, nunca podem falhar...
Um beijinho grande! Um Feliz 2018, com muita saúde, e motivos para sorrir, é o que mais desejo, para si e todos os seus!
Feliz fim de semana! Bom Ano!
Ana

Zizi Santos disse...

Olá querida Mariazita

Que linda mais bonita ! Não conhecia . Adorei e parecia entrar nesse clima da lenda
onde a humildade e a bondade se confundem em um ato de amor . O ritual das 12 passas ouvi falar quando criança. Morei em bairro de cultura portuguesa e aprendi várias formas de comemorações pois tivemos uma família vizinha que eram portugueses de Trás os Montes . ( escrevi certo ?)
Mariazita, apesar da minha ausência nos blogs, tenho um imenso carinho e respeito por ti .
Desejo um 2018 repleto de reflexões e realizações . que ele venha com muita Paz !
Li seu post anterior sobre o anjo negro . Me comovi com tal relato !

bjs
Zizi

Zizi Santos disse...

Voltei para retificar a frase > Que lenda mais bonita

Poemas em dó menor disse...


Nunca é em vão o bem que a gente faz...
Um encanto de lenda.

Feliz 2018, Mariazita.

Beijinhos.

LUCONI MARCIA MARIA disse...

Ah eu acredito em lendas minha amiga! Tudo o que o homem imagina ou existiu ou no futuro existirá. Adorei ler a bondade do bom homem fez com que tivesse uma mesa farta, obrigada por compartilhar, beijos e lindo ano pra você.

BETONICOU disse...

Passando para deixar um carinhoso abraço Mariazita!Não conhecia a lenda, e te digo que aqui no Brasil temos muitas. Adorei! Grande beijo.

Zilani Célia disse...

OI MARIAZITA!
ADOREI A LENDA.
UM ANO DE MUITA PAZ, LUZ E BÊNÇÃOS AMIGA.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Kasioles disse...

Me has hecho pasar un rato muy entretenido mientras leía la leyenda de Año Nuevo que compartes con todos nosotros.Muchas gracias.
Aunque no siempre ocurre, yo estoy convencida de que toda buena acción suele tener su recompensa.
Que en este año que acabamos de estrenar, se hagan realidad todas tus ilusiones.
Cariños.
kasioles

O Árabe disse...

Que bela lenda, Mariazita! E quão bem a contas! Acredito, sim, que assim seja: não há gesto de caridade, quando sincera e desinteressada, que o Universo não recompense! Boa semana, amiga; fica bem.

grazia cantalupo disse...

Hello dear your Blog is very nice and now I have become your reader!(#469) Do you want to return the subscription? The gfc bar, on my blog, is on the RIGHT scrolling the Blog page a lot! Thank you http://casaninnamamma.blogspot.it

Beatriz Bragança disse...

Querida Mariazita
Não há dúvida de que não poderia ter escolhido melhor, para o início deste Novo Ano!
A lenda que publicou transmite-nos uma espécie de Esperança em dias melhores, que é o que sempre pensamos quando mudamos de Ano: obrigada.
Há muitos anos, uma estação emissora de rádio, portuguesa, transmitia um programa intitulado«Lendas da nossa terra», ou de Portugal.Era algo assim e eu deliciava-me a ouvi-las. Agora tive aqui a oportunidade de reviver momentos análogos:bem haja.
Um beijinho
Beatriz

Emília Pinto disse...

Querida amiga, gostaria que me mandasse o teu e-mail para o meu micostapint@hotmail.com Só tenho cá o tablet e n sei do seu endereço. Obrigada Logo conversaremos , sim ? Obrigada e um forte abraço.
Emilia

Emília Pinto disse...

Claro que está mal, amiga. Eu tenho recebido normalmente os e-mails; ainda agora recebi um da Manuela Barroso do Anjo Azul . Tu costumas mandar-me e-mails de varios assuntos e sempre com um adágio popular sobre o mês. O endereço é micostapinto@hotmail.com. Basta mandares um desses teus e-mail que já ficarei com o teu endereço. Obrigada e desculpa. Um grande beijo
Emilia

Júlia Evelyn disse...

Lendas são ótimas escolhas vez em quando, não é mesmo?
Sua maneira de contar também é muito boa!
Já to te seguindo viu? Prazer vir aqui.
http://juliamodelodemodelo.blogspot.com.br

Daniel Costa disse...

Querida amiga Mariazita
Como sou muito emocional, ao ler a tua edificante história, uma lágrima rebelde rolou pelo rosto, a historia é muito bonita e bem contada, por que é bem altruísta como tu.
Beijos

Ana Freire disse...

Deixando um beijinho, e os meus votos de um excelente domingo, e uma feliz semana...
Ana

Berço do Mundo disse...

Gosto tanto quando as estórias recompensam a bondade. Que 2018 possa ser assim, com alegria, bondade e recompensas às boas acções.
Apesar de já estarmos quase a meio de janeiro, ainda deixo votos de um feliz ano novo, porque não nos falamos desde 2017! Beijinho Mariazita.
Ruthia d'O Berço do Mundo

RECOMENZAR disse...

Gracias querida por tus bellas palabras en tu blog
Y gracias por tus magnificas palabras en mi blog
eres adorable

O Árabe disse...

Boa semana, minha amiga; aguardo o próximo post!

Inês disse...

Que bonito, não conhecia esta lenda! :) Também eu adoro conhecer novas lendas. Beijinhos
--
O diário da Inês | Facebook | Instagram

Amélia disse...

Querida Mariazita, que bela lenda! Não conhecia, adorei ler.
Gosto de lendas.
Beijinhos

Lilazdavioleta disse...

Gosto de lendas e duendes , obrigada pela partilha .


Beijo grande , Mariazita ,
Maria

Suzete Brainer disse...

Querida Mariazita,

Uma leitura preciosa esta lenda no simbolismo e num ritual
da positividade e esperança de um mundo melhor!...

2018 agora repleto de sonhos e realizações com
muita felicidade para você e os seus na
paz de espirito!

Muito grata pela sua presença luminosa que semeia
gentileza no meu espaço e nos meus escritos,
aprecio muito e volte sempre lá, viu!...rss
Desculpa a demora a retribuir a visita, posso demorar
um pouco, mas, sempre voarei aqui com muito gosto.
Um final de semana radioso e feliz, minha querida!
Beijinhos.

Olinda Melo disse...

Querida Mariazita

Que excelente forma de começar o Ano Novo!Uma lição de bondade e de altruísmo. Há quem diga que se deve fazer o bem sem olhar a quem e mais, o bem tem sempre volta, a recompensa mesmo que não venha para nós poderá abranger os nossos vindouros. A prática do bem compensa sempre, não haja dúvida, sentimo-lo no coração e na doce paz que nos inunda a alma.

Desejo-te um Ano de 2018 repleto de coisas boas.

Beijinhos

Olinda