domingo, 14 de julho de 2013

EQUÍVOCOS

Ao fazer uma escolha em papéis, jornais e revistas fora de uso, com o intuito de deitar para o lixo o que já não tem qualquer utilidade, folheei algumas revistas e, entre as coisas a que dei uma vista de olhos, deparou-se-me uma “confissão” duma empresária, cujo nome não vou revelar.
Declara ela, em entrevista, que o maior erro que cometeu foi ter ido visitar um amigo ao hospital, que encontrou em estado lastimável – tivera um acidente de automóvel e estava cheio de ligaduras, não conseguindo falar. Esteve lá bastante tempo, e saiu muito preocupada quanto ao seu estado de saúde, temendo até que o pior pudesse acontecer.
Só no dia seguinte soube que o seu amigo se encontrava relativamente bem, e tivera alta do hospital no dia anterior. Foi quando percebeu que a pessoa com quem estivera no hospital não era o seu amigo, mas um simples desconhecido.
 
Principalmente por ela ter considerado este episódio como, se não o maior, pelo menos um dos maiores erros da sua vida, veio-me à lembrança uma outra história, que achei maravilhosa, e vou partilhar convosco:
 
  
“A enfermeira, segurando o braço do cansado e ansioso “marine”, conduziu-o para a cabeceira do doente.
- O seu filho está aqui – disse ela para o velho homem. Teve que repetir as mesmas palavras algumas vezes, antes que o doente abrisse os olhos.
Fortemente sedado por causa da dor do seu ataque cardíaco, ele mal viu o jovem uniformizado da Marinha, que se mantinha fora da tenda de oxigénio.
Estendeu a mão; o “marine” envolveu nos seus os dedos inertes do velho, apertando-os numa mensagem de amor e incentivo.
A enfermeira trouxe uma cadeira para que o “marine” pudesse sentar-se ao lado da cama.
Durante toda a noite o jovem fuzileiro naval ficou na enfermaria mal iluminada, segurando a mão do velho e dirigindo-lhe palavras de amor e força.
Algumas vezes a enfermeira sugeriu ao marinheiro que fosse descansar um pouco, mas ele recusou. Alheou-se da enfermeira e dos ruídos nocturnos do hospital – o tilintar do tanque de oxigénio, o riso de alguns funcionários da noite trocando saudações, os gritos e gemidos dos outros pacientes.
De vez em quando a enfermeira ouvia-o dirigir algumas palavras gentis ao doente. O moribundo não disse nada, apenas segurou com força a mão do filho durante toda a noite.
Ao amanhecer o velho morreu.
O “marine” largou a mão agora sem vida e foi avisar a enfermeira.
Enquanto ela tratava do que era necessário ele aguardou. Finalmente ela voltou, e começou a dirigir-lhe palavras de apreço e simpatia. O “marine” interrompeu-a:
- Quem era aquele homem? – perguntou.
A enfermeira assustou-se:
- Ele era o seu pai – respondeu.
- Não, não era – informou o “marine". Eu nunca o tinha visto na minha vida.
- Então… porque é que você não disse nada quando eu o conduzi até ele?
- Eu soube imediatamente que a senhora estava enganada, mas também percebi que ele precisava do seu filho, e o seu filho não estava aqui. Quando eu compreendi que ele estava demasiado doente para saber que eu não era o seu filho, sabendo o quanto ele precisava de mim, eu fiquei.
Eu vim aqui esta noite para encontrar um senhor William Grey. O seu filho foi morto ontem, no Iraque, e eu fui enviado aqui para o informar. Qual era o nome desse cavalheiro que morreu?
A enfermeira, com lágrimas nos olhos, respondeu:
- Sr. William Grey."
 
"Quando alguém precisar de si faça o possível por estar lá".

101 comentários:

Miguel Azarati disse...

Boa noite, Nina
No seio dos marines – Corpo de Fuzileiros navais – existe uma enorme solidariedade. Como “tropa de elite” eles recebem o maior apoio da sociedade americana, que neles tem um orgulho (talvez) desmesurado.

Esta história do marine é muito interessante, mas a forma como a escreves torna-a ainda mais atraente.
É mais uma prova do virtuosismo com que usas as palavras.

As primeiras frases do teu post são muito importantes, e dignas de ser seguidas:
“… deitar para o lixo o que já não tem qualquer utilidade…”
Uma atitude muito sábia/sensata. Não vale a pena guardar o que não presta – nem sequer recordações.

Terminei pelo princípio rsrsrsss. Mania de ser diferente…
Vamo-nos vendo por aí.
Um beijo muito amigo
Miguel

Manuel Luis disse...

Se um dia precisares de mim, é só pensar!
Momentos únicos, este que compartilhas agora.
Boa noite, bj

Maria Emilia Moreira disse...

Boa noite Mariazita!
Que bela história de solidariedade e de amor ao próximo! Claro que extremamente valorizada pela forma magnífica como empregas as palavras!
Também gosto de deitar fora, de vez em quando,coisas que perderam a importância que lhe demos. Tanta tralha vamos guardando ao longo da vida! Um bom fim de semana e um abraço amigo.
M. Emília

Célia Rangel disse...

Gesto especialíssimo! Momentos de amor - ágape! Lindo o conto que você escolheu! Uma lição para nossas vidas!
Bjs. Célia.

Rogério Pereira disse...

É um belo conto, mas há um contexto que lhe retira a grandeza, ou atenua o impacto da dimensão humana do que foi contado. O filho morto de William Grey, morreu na ocupação mais desumana da história destes tempos recentes... Vale pela moral: "Quando alguém precisar de si faça o possível por estar lá". Estarei!

✿ chica disse...

Que maravilha e fizeste bem em compartilhar conosco! Linda! beijos praianos,chica

Malu Silva disse...

Sou do tipo que está sempre ao lado, Mariazita, e não sei como ser diferente disto. Precisou de mim estou por perto... Um grande abraço, minha querida!!!

Livinha disse...

Querida Mariazita

Tudo funciona como um grande
exemplo que sem pergunta nenhuma
devemos aceitar.
Por vezes querer saber porque estamos
n'algum lugar, respostas não virão, o mais que se pode é fazer as vezes, cumprir a estadia e aguardar a providência divina.
O rapaz era apenas uma ponte onde filho e pai puderam seguir e quem garante que não foi um encontro e pelos mistérios desta vida, tudo pode ser possível.

Maravilhoso conto, de arrepiar
e eu fiquei muito enternecida.

Obrigado por avisar e aqui eu poder estar.

Beijinhos minha querida

Livinha

João Roque disse...

Pois estou aqui pela primeira vez, e estreio-me com uma bela história de solidariedade.

vieira calado disse...

Acontece com cada uma!...
Bom fim de semana, amiga!

Daniel Costa disse...

Mariazita

Acontecem verdadeiras histórias de puro e verdadeiro humanismo. Neste caso deu-se um caso de humanismo telepático. Este o segundo caso, que comparado com o primeiro, é exemplar. Quem o conta aqui merece aplausos, mesmo de quem ficou emocionado.
Beijos de amizade

lita duarte disse...

Oi, Mariazita.

O presente é uma dádiva. Estar presente na vida de alguém em momentos inesperados; preenche lacunas da nossa própria existência.

Um beijo.

isa disse...

Bom dia, Mariazita.
Comoveu-me o teu post porque ele mostra bem o valor da solidariedade.
Beijo.
isa.

elvira carvalho disse...

Uma história maravilhosa. E um jovem que sabe o que é amar o próximo como a si mesmo. Um abraço e um Santo Domingo

Duarte disse...

Esse é o meu lema, estar presente. Amigos são aqueles que aparecem sem ser chamados...
Vivi, na Base de São Jacinto, a preparação de pilotos para a guerra de África. Foram dois anos de angustias diárias, que superei porque tinha pouco mais de vinte anos. Ainda guardo o boné dos "Moscardos", era a minha esquadrilha! Muitos partiram para sempre, tão novos! Como o amigo Leite, com quem tive oportunidade de voar muitas vezes.
Aquele grupo de homens éramos arriscados, e chamavam-lhe ao sítio a ilha da morte lenta. Era uma povoação quase sem vida, meia dúzia de casas, alguns pescadores e o "Gato preto".
Abraço-te emocionado

Lídia Borges disse...


Belíssimo relato!

Muitas vezes a ficção ultrapassa a realidade.

Um beijo

São disse...

Neninha, obrigada por quereres partilhar comigo esta estória comovente e exemplar.

Se é verdade que essa empresária considera o maior erro da sua vida ter estado ajudando alguém que, na altura necessitava apoio, tenho pena dela , porque existe uma infalível lei de retorno.

Amiga, um carinhoso abraço com votos de bom domingo.

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Equívocos que se tornam verdadeiras lições de amor e solidariedade. Uma história comovente, que nos faz refletir sobre o quanto é importante um gesto de amor ao próximo, por menor que ele seja. A sua forma de conduzir a narração, valorizou sobremaneira o belíssimo conto. Obrigada, por essa partilha domingueira.
Bom domingo e muito feliz semana, amiga.
Beijos,
da Lúcia

Dorli disse...

Nossa! Mariazita
Que emocionante!
É pena que pouco sobrou desses amores, a maioria dos filhos de hoje não veem a hora da nossa morte para ficar com a herança...
Linda a história.
Beijos
Lua Singular

Berço do Mundo disse...

Gostei muito da história comovente. É isso que faz de nós humanos, a capacidade de fazermos algo pelo próximo e a capacidade de nos comovermos com estes pequenos momentos.

Beijinho e um domingo doce e cheio de sol
Ruthia d'O Berço do Mundo

vitorchuvashortstories disse...

Olá, Mariazita!

A vida escreve por vezes direito por linhas tortas, e aqui acabou por transformar um equívoco numa piedosa acção.A dobrar, neste caso, já que o senhor acabou por morrer agarrado à mão do "filho", quando este,afinal, já tinha morrido.

Fica a moral da história, que é bonita e digna de louvor - contada com o toque muito pessoal da boa pessoa que és.

Bom resto de Domingo, e beijinhos amigos.
Vitor

Vera Lúcia disse...


Olá Mariazita,

Um fato emocionante e que demonstra a grandeza deste jovem "marine". 'Fazer o bem sem olhar a quem' é atitude cristã e de amor ao próximo. O bem que ele fez ao senhor William Gray (e a si próprio) foi imensurável.

Belo exemplo você nos trouxe através desta bela e agradável leitura.

Ótimos dias.

Beijo.

Unknown disse...

Querida amiga Mariazita, obrigado pelo convite. Não sei por onde começar. Tua facilidade e competência p/escrever comove quem lê com atenção.P/mim, que julgo que todos devem reservar uma parte de sí para doar, mesmo que seja a um desconhecido, com a força e a grandeza do coração. Quem já vivenciou confortar alguém, sente-se invadido por uma aura inesplicavel.

Gracita Fraga disse...

Boa tarde Mariazita
Uma comovente história de amor e solidariedade. Me emocionei! Ainda existem pessoas magnânimas capazes de doar amor ao próximo. Uma tessitura perfeita. Aplausos pra você
Beijos
Gracita

Olinda Melo disse...


Querida Mariazinha

Uma história fantástica, com uma mensagem que nos mostra o quanto podemos dar aos outros, principalmente na doença e quando não têm ninguém.

Obrigada

Beijinhos

Olinda

Bruno disse...

Boa tarde Mariazita
Cheguei pelo blog da amiga Gracita
Amor e fraternidade numa atitude digna de um ser humano da melhor qualidade. Encantado e emocionado com a tua bela postagem
Um abraço
Bruno

SOL da Esteva disse...

Querida Mariazita

A realidade, infelizmente, supera cada relato de Vida ou de Morte.
Fortemente comovido, sinto-me um deles, como se este acto fosse apenas uma passada no nosso Caminho.
Honra,Moral e Humanidade, tão distintamente "inscrita" na Formação Militar.
Pena que por cá (Portugal) esta "receita" esteja bem longe dos procedimentos dos Homens e da Pátria que que tem Deveres para representar com dignidade exemplar como a que se faz referência.
Um notório Post.

Beijos


SOL

Silenciosamente ouvindo... disse...

Uma grande lição de vida. É realmente essa a melhor dádiva.
Dar algum apoio a quem precisa,
mesmo que não se saiba quem é.
Ser voluntário num Hospital é
um pouco isso.
Um grande beijinho
Irene Alves

Luis disse...

Minha querida Mariazita,
Bela história que revela nobreza de quem nela participou. A vida tem destas coisas felizmente... Nem tudo é mau!
Beijinhos muito amigos.

Santos Oliveira disse...

Amiga

As Lições de (e da) Vida quase sempre resultam de erros de circunstância; doutro modo, dificilmente penetram tão profundamente no sentir de cada um.
Por isso se diz que "nada acontece por acaso".
Se analizarmos cada caso, serenamente, assim o constatamos.

Tive Formação Militar onde me foi incutido este sentido de responsabilidade, sensibilidade e humanidade, aliados á dureza e preparação para enfrentar a violência da Guerra; essa Formação servia nos dois sentidos e perdura, passados, que são, uns cincoenta anos.

Acreditem que a particular Missão deste Marine era a que mais doía ao Militar dela incumbido.

Após a Revolução que tivemos em Portugal, estes Valores vão-se diluindo ou desgastando, ou vão sendo esquecidos dos Comandos e Comandados... infelizmente.

A Guerra era preparada e Formava Homens para garantir a Paz.
Só assim se entende!
"Nada acontece por acaso!".

Beijos


Santos Oliveira

Donetzka Cercck L. Alvarez disse...

Lindo e emocionante história de amor ao próximo,Mariazita!

Fiquei feliz ao ler ser comentário,pois nunca mais havia lido algo seu.

Será que me segue no meu novo blog?

O antigo foi excluído.

Veja e faça o login novamente,ok?


Beijos e lindo domingo


Donetzka



Face Book:

https://www.facebook.com/donetzka.cercck



Meu Blog:


http://magiadedonetzka.blogspot.com.br/

Diácono Gomes Santa Cruz disse...

Mariazita: lindíssimo o teu texto o marine estava em sentido para tu escrever um tão belo texto adorei.
Beijos
Santa Cruz

Lilá(s) disse...

Uma bela história Mariazita! fiquei deveras impressionada! uma grande lição, digna de ser partilhada.
Beijinhos

Graça Sampaio disse...

Texto muito belo! A vida tem destas coisas. Eu chamo-lhe justiça divina. Beijinhos Graça

© Piedade Araújo Sol disse...

muito obrigada por compartilhar esta estória que me comoveu até às lágrimas....

:(

Marilu disse...

Querida amiga, fico imaginando o conforto e carinho que esse homem moribundo sentiu ao ter sua mão acariciada por alguém que ele julgava seu filho. Esse marine com certeza era um daqueles anjos que Deus envia algumas vezes para consolar corações entristecidos. Linda história, uma lição de vida. Tenha uma linda e abençoada semana. Beijokas

MARILENE disse...

Nossa! Fiquei sensibilizada! Penso que poucas pessoas se fazem passar por outras para acalentar alguém que sofre. Preocupados com nossos doentes, quando vamos a hospitais, dificilmente visitamos outros pacientes. E muitos precisam de mão amiga, pois estão sós. Bjs.

Sotnas disse...

Olá prezada Mariazita, e que tudo esteja bem!

Não é por acaso que sempre me encanta estar por cá nesta tua bela casa de lindas histórias e lírios, e novamente compartilhou um belo escrito, obrigado!
Penso que esta foi uma das principais recomendações do criador, ajudar sem olhar a quem!
Este ser humano, sim, pois, antes de ser um fuzileiro ele é um ser humano, mesmo sem ter dado a notícia ao homem que ele havia perdido o filho, fez o papel de filho nos últimos instantes de vida do moribundo, e com certeza foi uma atitude deveras humana, e que o criador certamente irá recompensar o fuzileiro!
Agradeço as tuas sempre tão gentis visitas e comentários e desejo que seja sempre deveras iluminado e feliz o teu viver, abraços e até mais!

Linda Simões disse...

Mariazita,

Fiquei emocionada. Obrigada pela partilha.

Beijos,

Linda Simões

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Bom dia
Agradeço o aviso para vir aqui visitá-la pois foi um bom momento de leitura.
Depois fiquei sem palavras para comentar.
Tudo na vida acontece por alguma razão. Se estivermos atentos aprendemos mais com o que damos do que com tudo o que recebemos.
Votos de uma boa semana.

http://odeclinardosonhos.blogspot.com disse...

Um pouco despistada, mas quando necessário, contrato até jatinho para estar lá...!!!!
bjs
anacosta

Zé do Cão disse...

Todos os dias os jornais vêm cheios de noticias de coisas más. Pais ambandonados, etc. O teu conto, deu uma lufada de ar fresco ao blog provando que ainda há homens que não têm coração pedra. Mas vão rareando, não vão?
Linda historia de amor pelo proximo.

YoSueño disse...

Una historia impresionante y bella, y un hermoso gesto de ternura y amor.Un ABRAZO

Ritinha disse...

Bom dia e excelente semana!
Vim fazer uma visita e fiquei!
Me emocionei com seu post. O coração apertado pois tenho um amigo em condições semelhantes, apenas aguardando o momento da passagem... Doeu, mas me fez refletir.
bjs
Ritinha

manuela barroso disse...

Dois equívocos e duas histórias distintas. O trágico-cómico da primeira e o altruísmo da segunda ainda nos remetem para a bondade que move o coração da Humanidade.
Dizem que não há coincidências Mariazita e cada vez começo a pensar que há coincidências muito interessantes...
Gosto e admiro muito as postagens que faz. Repletas de um sentido sempre mais além!
Obrigada.
muitos beijinhos

PINTA ROXA disse...

Na nossa vida acontecem coisas que não podemos explicar, Estes foram dois "enganos" que fizeram outras pessoas felizes. Acredito que Deus sabe o que faz...
Beijinhos querida

Manuel Luis disse...

Fazes-me recordar os meus velhos tempos de tropa e por tudo quanto lá se passou. Uma receita para todos nós tomarmos para melhorar os procedimentos, deveres e dignidades. Grandes referências!
Continuarei por aqui.
Bj

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida Mariazita

Não tenho palavras para comentar algo tão belo e humano. Adorei ler.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Cecília Romeu disse...

Mariazita querida amiga!
Tudo bem?
Bela história!
Fiquei pensando no desprendimento do jovem "marine", por seu ato feito de coração, ajudando sem ver a quem, com o intuito apenas de poder transcender o que de melhor existe no ser humano.
Lindo! Antes muitas pessoas tivessem contato com histórias assim.

Grande beijo e ótimos dias!

Robert Thomaz disse...

Prezada Mariazita Azevedo,
Seu post é comovente e muito nos sensibiliza. Adorei que você partilhou-o comigo, sinto-me honrado. A presença, mesmo que desconhecida, em momentos de tormenta, como é relatado no post no qual o velho está à beira da morte, é algo primordial e confortante. O calor das mãos unidas, o calor das palavras que penetram nos ouvidos e chegam ao coração que palpita descompassado é uma maneira de aliviar a solidão, de minimizar os erros cometidos, de refletir sobre momentos passados e ainda aprender com eles. A presença em momentos difíceis ajuda-nos a acreditar que o amor ainda existe, mesmo que ele venha sem nome ou identidade precisos. Felicidades e bons posts. Gostei muito da partilha.
Robert Thomaz

Carla Ceres disse...

Lindo, Mariazita! Eu não conhecia essa história. Na infância, muitas vezes me passei pela neta de uma senhora idosa que morava na vizinhança. A menina havia morrido, mas a avó, completamente gagá, saía de casa para procurá-la. Qualquer menina que encontrasse na rua tornava-se a neta. As outras garotas fugiam quando a vovó aparecia, mas eu ia a seu encontro, dizendo "Vem comigo, vó! Vamos pra casa" e a levava de volta pros filhos. Um dia, não sei por que, ela estava mais lúcida, me olhou, não viu a neta e me disse: "Você não é a fulana, mas eu gosto de você. Pode me levar pra casa". Na semana seguinte, ela morreu. Foi muito bom ter sido sua neta. Beijos!

Cândida Ribeiro disse...

Querida Mariazita

que história linda e maravilhosa....amei!
Na realidade precisamos de ajudar os outros, mesmo que não sejam da nossa família humana. Afinal, todos somos irmãos, filhos do mesmo PAI, e se uns têm sorte de ter a família por perto outros não terão.
Vou agora ao teu outro post... e depois ligo-te. Mil beijinhos da manita que gosta muito de ti.

LUZ disse...

Olá, querida Mariazita!

Então, como tem passado?

Não estou a comentar textos, prosa ou poesia, nos blogues, mas leio-os, sempre.

É VERDADE, É SEMPRE, IMPORTANTE ESTAR.

Dias felizes.

Beijos da Luz, com estima e afeto.

Ina Mel disse...

Quem disse que a vida é feita de encontros e desencontros, estava certo.
Eis aí um grande exemplo de encontro entre pai e filho.
Grande abraço.

Saozita disse...

Querida Maezinha do coração, que bonita história, sem dúvida demosntra a bondade de um jovem, que soube ler no rosto do idoso, a falta que ele tinha de companhia, e que aspirava a ter com ele o filho.
É uma mostra de amor e carinho esta linda história e uma lição para todos.

Continuação de uma boa semana, para si e toda a familia.

Beijinhos com carinho e amizade.

Evanir disse...

Minha Querida Mariazita:
Eu recebi seu email somente agora pude vir a seu blog.
Amada confesso chorei ao final da leitura pude perceber como a gente é tão pequenino diante de Deus.
Como podemos ser colocadas diante de situações inéditas como esta , que acabei de ler , pois sabemos muitas coisas são inexplicável esta deixou -me a pensar o grande exemplo de um filho.
Um beijo carinhoso amiga amada ,Evanir.

Lilazdavioleta disse...

Mariazita ,
agradeço , mas muito , o fazer - me comover até ás lágrimas .
São estes pequenos grandes acontecimentos que nos demonstram que há Alguém que nos guia .

Grande abraço ,
Maria

Lindalva disse...

Só tu mesmo Mariazita em dividir conosco momentos tão doces. Querida te convido a comparecer no salão Pérolas do ostra da Poesia e participar da votação da semifinal do 8º Pena de Ouro, lá te espero
http://ostra-da-poesia-as-perolas.blogspot.com.br/

beijos perfumados no coração.

Dorli disse...

Oi Mariazita
Passando para agradecer o comentário
Que tenha um bom dia
Beijos no coração
Lua Singular

Daniel Costa disse...

Mariazita

Desejo tudo de bom parra ti sempre. A passagem de agora é para te dizer que há mais uma postagem no TOP SECRET OLAVO.
Beijos de amizade

Cantinho do Amor disse...

Não há palavras que expressem a lição passada por esse texto tão belo, Mariazita. Lhe oferecemos a nossa admiração e respeito por tão sublime mensagem.

Ghost e Bindi

vitorchuvashortstories disse...

Olá, Mariazita!

Se ir para a praia ajudasse, até iria de muletas, já que a recuperação deste joelho vai lenta - ou então é da minha paciência...Acho que terei que fazer alguma fisioterapia, para tentar dar um empurrão, se me for dito que tal poderá ajudar; vamos ver!

Problemas com articulações são sempre maleitas delicadas de tratar.Arranjei uma tendinite há anos atrás, que até hoje nunca recuperou totalmente, embora a melhoria tenha sido imensa.
Infiltrações pouco ajudaram, e depois foi muita terapia, piscina de água quente, massagens e tudo o que havia para tentar, à mistura com muita paciência e ainda muito dinheiro gasto.Felizmente que acabou por resultar!

Oxalá que a intervenção no cotovelo resulte bem, e a recuperação seja fácil e rápida para não causar transtorno e desconforto.

Obrigado pelos votos de melhoras, e continuação de boa semana e boa praia.

Beijinhos amigos
Vitor.

Maria Alice Cerqueira disse...

Querida amiga vim agradecer
A sua presença carinhosa no meu cantinho
Me dando força para seguir meu caminho
Com serenidade paz e alegria.
Tenha uma linda semana, coberta de muita paz e amor!
Com carinho
Abraço amigo!

Anne Lieri disse...

Uma história muito linda e que comove demais!Obrigada por compartilhar essa grande lição de amor ao próximo!bjs,

Artes e escritas disse...

Mulheres, homens e sensibilidade, belíssimo texto! Um abraço, Yayá.

Smareis disse...

Mariazita maravilhoso relato,momento único, lição de vida.
Obrigada pela partilha!

Um beijo e ótima semana!

helia disse...

Uma linda e comovente história ! Obrigada pela partilha.

Beatriz Bragança disse...

Querida Mariazita
Achei maravilhosa a sua postagem.Lamento que a personagem da primeira parte tenha reagido mal;devia ter seguido o exemplo do«marine».Há jovens,felizmente,que nos dão lições de vida,de cidadania e até de caridade e solidariedade.
Gostei imenso desta postagem,que é um bom motivo de reflexão.
Bom fim de semana.
Beijinhos da
Beatriz

Regina Magnabosco disse...

Mariazita, meus olhos marejaram no final da história. Muito bonita. Que não se acabe no mundo a solidariedade.
Você é especial.
Um beijo!

vitorchuvashortstories disse...

Olá,Mariazita!

Com ou sem sol, que tenhas um bom fim de semana.Por estas bandas, a coisa não promete...

Beijinhos amigos
Vitor

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Ainda bem que me convidou para vir cá, Mariazita. Que caso maravilhoso e que grande humanidade mostrou este homem. É disto que precisamos todos e como se costuma dizer: " faz bem e não olhes a quem " . O senhor partiu mais feliz e de certeza que o marine saíu de lá com o coração a transbordar de felicidade. Faz-nos bem fazer o bem. Beijinhos amiga e obrigada pelo belo momento. Um bom fim de semana e até sempre. Beijinhos
Emília

Gracita disse...

Boa tarde Mariazita
A verdadeira amizade deixa marcas positivas que o tempo jamais poderá apagar. Um FELIZ DIA DO AMIGO. Desejo que a felicidade venha em profusão para alegrar o teu sábado.
Beijos com carinho e minha sincera amizade
Gracita

Lindalva disse...

tento sempre está presente... Minha querida Mariazita Teu voto na semifinal do 8º pena de ouro foi validado. Beijos perfumados no coração!!!

MARILENE disse...

Desejo-lhe um domingo de paz e alegria. Bjs.

Dorli disse...

Oi amiga
Que seu domingo seja o melhor possível!
Agradeço o comentário no meu blog
Um beijo
Lua Singular

Bergilde disse...

Voltando pra ler sua postagem já partilhada e deixando um afetuoso abraço despedindo-me para as férias.
Até Já!

Ina Mel disse...

Oi Mariazita!
É um prazer ler teus contos.
É um prazer tê-la como companheira.
Grande abraço.

Robert Thomaz disse...

Passando só para deixar um grande abraço neste dia maravilhoso do Escritor. Continue a nos brindar com seus doces e aconchegantes textos. Grande abraço.

Robert Thomaz, seu admirador

Brisa Petala disse...

OI FLOR
QUE TEXTO CONTAGIANTE. AMAR SEMPRE O NOSSO IRMÃO. UAM FELIZ SEXTA FEIRA.
COM CARINHO DA AMIGA.
ANA

Gracita disse...

Olá Mariazita minha linda escritora
Hoje venho abraçá-la e prestar-lhe uma singela homenagem.
Você escritora é a artista que interpreta a vida através da arte. É quem borda com caligrafia dourada a emoção encadeada em cada verso, em cada palavra. Parabéns escritora pelo teu dia!
Beijos com carinho
Gracita

vitorchuvashortstories disse...

Olá, Mariazita!

Começo por desejar-te boa noite, e como amanhã já é sábado deixo-te os votos de bom fim de semana - diga lá o boletim meteorológico o que disser...

Beijinhos amigos, e fica bem
Vitor

Olinda Melo disse...


Querida Mariazita

Como estás?

Venho agradecer-te a tua visita ao Xaile de Seda e as palavras que lá me deixaste. Realmente, fui submetida a uma intervenção cirúrgica, estou a recuperar bem.

Desejo-te tudo de bom e boa saúde.

Um bom fim de semana.

Beijinhos

Olinda

PINTA ROXA disse...

Bom fim de semana.
Beijinhos

Rosa Carioca disse...

Estar onde somos necessários...
Lindo post!

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida Mariazita

Passando para te deixar um beijinho e agradecer o comentário carinhoso.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Evanir disse...

Vamos viver o hoje,
deixar o ontem e o amanhã,
vamos construir hoje a felicidade,
a paz, a harmonia, o amor,
vamos deixar hoje que brilhe a
luz que todos temos dentro de nós,
para que se o amanhã existir possamos colher seus frutos,
mas não esqueçamos que se houver amanhã,
esse amanhã deverá ser vivido como um hoje
e não como um ontem, nem como um amanhã.
Tarefa difícil esta, eu sei,
eu própria vivo dizendo a mim mesmo que o ontem já foi ,
e o amanhã ainda não chegou.
Que a Glória de Deus repouse sobre sua vida
Hoje e Sempre .
Que todas as promessas de Deus
sejam Vitória e Vida para você.
Que Deus faça prosperar tudo aquilo que
vier até tuas mãos, e que de uma semente
cresçam milhares de árvores frutíferas.
Que seu Domingo seja de amor e infinita paz.
Um abraço e beijos na sua alma.
Evanir.

Olinda Melo disse...


Querida Mariazita

Ainda bem que fiz o desabafo hoje de manhã. Já estava a ficar desesperada.Tenho tido a mesma dificuldade em muitos blogues e fico com pena de não poder comentar.

Mostraste-me a solução, cliquei e vim cá ter.

Obrigadíssima.

Beijinhos

Olinda

lita duarte disse...

Oi, Mariazita.
Não consegui entrar no seu outro blog. Ele não abre pra mim.

Bjs.

Dorli disse...

Oi Mariazita
Eu já conhecia essas histórias, muito emocionantes
Obrigada pelas visitas
Lua Singular

Anne Lieri disse...

Querida Mariazita,fiquei contente que sua amiga apreciou minha visita.Seu blog sempre tem excelentes postagens que aprecio muito!Vc é uma pessoa gentil e que admiro na blogosfera.Bjs e bom fim de semana,

vitorchuvashortstories disse...

Olá, Mariazita!

Não tinhas que agradecer a vista e comentário, já que o fiz com muito gosto - a um texto muito bem escrito.

E quanto ao fim de semana, parece-me que está com sorte quem mora perto da Caparica:céu azul e água morna - e ainda içada a bandeira verde...Bom fim de semana!

Beijinhos
Vitor

Smareis disse...

Muito bonita a história Mariazita.
Uma lição de vida!
Obrigada por compartilhar.
Beijos e ótimo fim de semana!

lita duarte disse...

Mariazita, recebi seu e-mail.
Muito obrigada por sua atenção.

Beijos.

Dorli disse...

Oi querida,
Passando para agradecer o comentário.
Que tenha um bom domingo
Beijos
Lua Singular

Malu Silva disse...

Passando para lhe deixar um grande abraço neste domingo de inverno, aqui!

Duarte disse...

A nossa historia, como País, esta repleta de feitos como este.
A vida é uma caixa de surpresas e, menos mal que, quase sempre acabamos por encontrar alguém que está disposto a escutar-nos. Este um dos grandes problemas que acossa a humanidade, a falta de dialogo, de comunicação.
Um abraço bem grande

helia disse...

Uma história linda que muito me emocionou !
Obrigada pela partilha.

vitorchuvashortstories disse...

Olá, Mariazita!

Sinto que estava em falta ao não te dar notícias sobre este meu delicado joelho.
A verdade é que não vai tão bem como gostaria, mesmo com a ajuda da fisioterapia - e espero que o cirurgião que me operou me possa ver em breve.Daí esta minha "pouca vontade em falar dele"...

Espero que não leves a mal a indelicadeza, e o meu sincero obrigado pela tuas palavras amigas.

Bom resto de semana; Beijinhos amigos, e fica bem.
Vitor

vitorchuvashortstories disse...

Olá,Mariazita!

E como chego atrasado... já só posso desejar-te um bom resto de Domingo.

Beijinhos amigos
Vitor

Evanir disse...

Mais uma vez estou voltando
com as mãos estendidas
para segurar as suas com infinito amor.
Que , a alegria de dividir meus sonhos
seja bem recebida por você e ,
que você também compartilhe
desse meu sonho.
Que , nossa amizade nos permita compartilhar
alegrias , felicidades e também nossas tristezas.
A mais preciosa amizade é alimento ,
que sacia nossa alma
é aquela , que crê em nós
é aquela , que nos aceita da forma , que somos ,
pois somos seres humanos
parecidos sim nunca com pensamentos iguais.
Um abençoado e feliz final de semana.
Beijos no coração ,paz e carinho na alma.
Evanir.
PS:Com a chegada da primavera na
postagem tem um mimo
da primavera.
Carinhosamente te ofereço
um mimo é simples mais feito com
muita ternura.
Uma oferta de amor pela nossa amizade.

Evanir disse...

Quantas vezes buscamos em nossas amizades
uma palavra de carinho .
E quantas vezes tem me faltado
tempo para deixar o carinho que
gostaria de receber.
Hoje estou feliz por estar aqui
para acarinhar sua alma.
E dizer o quanto você
é importante para mim.
Estou deixando na postagem um mimo
do dias das crianças.
Não por achar que você ainda é
uma criança.
Mais sim a eterna criança que existe em cada um de nós.
Um feliz e abençoado final de semana.
Beijos ternos e carinhosos, Evanir.