sábado, 14 de abril de 2012

CENAS DA VIDA REAL

O MOSTEIRO DE SANTA MARIA DE SEIÇA
Andava eu aí pelos quinze anos quando, nas férias grandes, me tornei amiga de Rosindo.
Filho de Emília, empregada na casa da viúva do Sr. Curado, Rosindo tinha sensivelmente a mesma idade que eu.
Logo que nos conhecemos tornámo-nos amigos, e sempre que minha Mãe visitava a viúva, Dona Flor, (o que acontecia com certa frequência, dado serem muito amigas) eu acompanhava-a. Logo que podíamos escapulíamo-nos para o sótão da enorme casa, e passávamos em revista os incontáveis livros que abarrotavam as prateleiras.
Penso que foi nessa altura que me viciei em leitura, pois todas as vezes levava comigo um livro, a maior parte das vezes às escondidas, e que, da próxima vez, trocava por outro. Alguns não seriam muito apropriados para a minha idade, mas mesmo assim eu “devorava-os”.
À data do seu falecimento o sr. Curado era casado, em segundas núpcias, com Dona Flor, com a qual não teve filhos. Talvez por isso a senhora se afeiçoou tanto ao afilhado Rosindo, a quem tratava como um filho, pondo-o, inclusivamente a estudar, a expensas suas.
Do primeiro casamento existiam dois filhos, cujas relações com a madrasta não eram muito amigáveis. Eram pessoas de fraco carácter e maus instintos, que não trabalhavam, limitando-se a viver dos rendimentos que, em pouco tempo, reduziram a escassas propriedades.
Do Sr. Curado, falecido há uns anos, dizia-se ter “sangue azul”.
O certo é que constava que os seus antepassados eram senhores feudais, dos quais herdara as várias propriedades, que, ao que se dizia à boca pequena, nem sempre teriam sido adquiridas, por eles, da forma mais legal.
Dos seus antecessores mais recentes falava-se de um tio e duas tias, acerca dos quais se contavam histórias de arrepiar os cabelos.
Ao contrário de seu Pai, que, dizia quem o conhecera, era uma boa alma, os outros parentes não tinham qualquer ética ou moral. Do tio constava que formara uma quadrilha com uns quantos malfeitores, que assaltavam quem se aventurava a viajar de noite por sítios ermos ou pinhais. Roubavam tudo o que os viajantes levavam e, caso oferecessem resistência, não hesitavam em matar.
As duas tias, conhecidas por “as senhoras”, não tinham carácter melhor do que o irmão.
Uma delas era, para além de sádica, uma autêntica tirana, maltratando os trabalhadores que labutavam nas suas quintas. Montada a cavalo percorria as suas terras impondo o terror, servindo-se, por vezes, do chicote que sempre a acompanhava, para castigar quem fizesse alguma coisa que não lhe agradava.
A outra irmã, que se dedicava mais à parte administrativa, governava a casa e imperava entre os criados e criadas da casa. Ninfomaníaca, nenhum homem lhe escapava: empregava para trabalhos de casa mais homens do que mulheres, os quais submetia aos seus desejos lascivos.
Contava-se que um belo dia surpreendera uma cena de amor entre uma criada e um criado, que se amavam; mas, porque o criado frequentava a sua cama, ela não hesitou em matar a pobre rapariga e depois metê-la no forno, para servir de exemplo às outras.
Eram verdadeiramente horrorosas as histórias que se contavam, parecendo até inacreditáveis, mas a verdade é que, naquele tempo, eles eram amos e senhores de toda a gente que habitava aquelas terras, e acima da sua autoridade só existia a do rei.
Por estranho que pareça, com tais antecedentes o Sr. Curado era o que se pode chamar uma boa alma, muito amigo dos pobres, a quem auxiliava generosamente.
Sem grande jeito para administrar os bens que herdara, a Dona Flor devia o facto de ainda possuir muitas propriedades que, após a sua morte, os filhos se encarregaram de defraudar.
Numa das incursões ao sótão eu e Rosindo descobrimos as cópias de uns manuscritos que provavam a pertença, aos antecessores do sr. Curado, de uma grande propriedade na povoação de Ribeira de Seiça, concelho de Figueira da Foz, que possui, ainda hoje, recantos magníficos.

Ali existiu, em tempos, um convento, o Mosteiro de Santa Maria de Seiça. Uma capela, úníca no país por ser octogonal,
(Capela de Nossa Senhora de Seiça)
faz parte da história do Mosteiro de Santa Maria de Seiça, na qual existem pinturas sobre as lendas relacionadas com a construção do Mosteiro de Montemor-o-Velho.

Com a curiosidade ao rubro, tanto procurámos que acabámos por encontrar um livrinho, com um aspecto antiquíssimo, que contava a história do Mosteiro, cujas terras teriam sido concedidas por D. Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal.
Como sempre fui apaixonada por História, especialmente História de Portugal, levei o tal livrinho para casa e copiei uma grande parte dos dados lá contidos, que ainda conservo.
Não vou transcrevê-los para aqui porque acredito que não teriam interesse para a maior parte dos meus leitores.

Adenda, a propósito do comentário da minha querida amiga São:
" De arquitectura única entre as construções sacras em Portugal, esta capela apresenta uma forma octogonal, de estilo barroco, cercada de uma colunada dórica, suportando um entablamento do qual sobressai o corpo da capela como se se tratasse de um andar superior em que cada fachada apresenta uma janela, num total de 8." - Informação Wikipedia
Talvez esta informação se deva ao facto de a capela ter sido construída no ano de 850, e talvez, nessa data, fosse a única existente em Portugal

98 comentários:

  1. Uma história dos diabos - como costumava dizer o meu pai, quando algo transcendia tudo o que se pudesse imaginar! Bem contada e a despertar o interesse em cada vírgula.
    Onde fica este mosteiro? A capela octogonal deve ser muito bonita e os espaços envolvente, maravilhosos.
    Beijo amigo e bom fds.
    Graça

    ResponderEliminar
  2. Mariazita querida,

    Como você,em minha infância,eu era apaixonada por livros e quando ia passear na casa de minha tia,não queria passear,só ler...não adiantava insistir eu não desgrudava dos livros.
    Amiga,adorei esta crônica,interessante e envolvente.
    Obrigada pelas visitas ao meu blog.
    Bjssssss,
    Leninha

    http://leninha-sonhoseencantos.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. Querida amiga, meus pais eram portugueses de Leiria, e meu pai eu comparo a você, ele era um querido contador de histórias. Passávamos horas a ouvi-lo e como era bom ficar em seu colo. Assim como ler você, com seus contos sempre cheios de magia e encantamento. Tenha um lindo final de semana. Beijocas

    ResponderEliminar
  4. E julgava eu que conhecia Portugal de lés a lés.Santa Maria de Seiça é povoação?
    Por esses lados, fico-me por Montemor o Velho, Alhadas, Quiaios e Figueira da Foz. Sou um ignorante.
    Todavia, gostei de ler e saber que o sotão continha segredos mil.
    No meu sotão, na Quinta, era o sitio onde me punha invisível para poder atirar umas pedradas ao meu irmão sem ele me ver e poder fugir à vontade sem que ele me pudesse caçar, já que tinha duas portas, em paredes opostas.

    Beijo

    ResponderEliminar
  5. É sempre um prazer vir até aqui.
    Gostei mt do que li pq também eu
    amo a História do meu País.
    Li com mt interesse.
    BFS.
    Beijo.
    isa.

    ResponderEliminar
  6. Linda e bem contada história, com belas imagens. Um ótimo fds,beijos,chica

    ResponderEliminar
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  8. Mais uma daquelas histórias em que se viaja no tempo aprendendo e conhecendo um pouco mais a cultura do seu país.
    Abraço carinhoso pra ti!

    ResponderEliminar
  9. Que alegria, neninha, ver-te por aqui!

    Eu também adoro História e sou leitora compulsiva, rrss

    Mas acho que não é a única capela octogonal, se não estou enganada: parec-me que a de S. Gonçalo, em Azeitão, o é também. E a charola dp cnvento de Tomar.

    Aliás, essa forma é marcante na arquitectura dos Templários.

    MInha querida amiga, te abraço com desejo de bom fim de semana junto aos teus.

    ResponderEliminar
  10. há histórias que viajam pelo tempo e se perdem apenas do outro lado da memória.
    és uma contadora de estórias admirável, marizaita!
    beijinho!

    ResponderEliminar
  11. Olá, Mariazita!

    Não nos trouxeste o morgadinho, mas compensas-nos com estes senhores e senhoras feudais dum tempo em que até os trabalhadores eram encarados como sua propriedade, tal como as terras.

    E ao ler as tuas memórias, desperto as minhas; no que respeita à fome de ler e de livros - que nas férias da escola lia em doses industriais -e ainda daqueles que não sendo "próprios" para a idade... eram talvez por isso os mais apetecidos.

    E sendo da Figueira, não me recordo de Seiça, e acho mesmo que nunca lá estive; pode ser que um dia calhe, e então visite esse bonito monumento.

    Beijinhos; bom fim de semana.
    Vitor

    ResponderEliminar
  12. Mariazita:
    Que história! Os ditos senhores e no caso senhoras, eram autênticos animais. Tudo queriam, tudo conseguiam, tudo faziam, sem medo de represálias. A história da ninfomaníaca, é um exemplo disso.
    Hoje, não há senhores feudais, mas há senhores que tudo fazem, sem sofrerem as consequências. Estou a lembrar-me de tantos, que não nomeio nenhum.
    O mundo é uma selva, onde os mais fortes vencem sempre.
    Gostei de a ver de volta.
    A capela deve ser encantadora.
    Até breve, espero.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  13. Volto já, amiga Mariazita.
    Tenho a água do banho a correr :)))

    Beijo

    ResponderEliminar
  14. BOA TARDE MARIAZITA, QUE NOME PRÓPRIO PARA UMA ESCRITORA DE GRANDES HISTÓRIAS. SABER CONTAR UM CONTO É UMA DÁDIVA DE DEUS. PARABÉNS! FIQUEI ME IMAGINANDO LENDO UM LIVRO NESTE MOSTEIRO. HOJE É TÃO RARO MOMENTOS DE SILÊNCIO.

    ResponderEliminar
  15. Vejo que temos uma coisa em comum. Eu também era uma leitora compulsiva. Só que eu ia buscar os livros a uma biblioteca ambulante uma carrinha que ia todos os meses à Telha.Levantava 3 livros que era o máximo permitido e no mês seguinte entregava-os e trazia outros 3.
    Desconhecia completamente essa capela.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
  16. Querida Mariazita

    Adoro como escreve as tuas histórias, e esta ainda mais por ires buscar as suas raízes ao regime feudal e, não há dúvida, eram tempos incríveis, com uma estratificação social impressionante.
    Estou a ver que já trazias em ti essa curiosidade de pesquisa e de querer saber mais.

    Desejo-te muita saúde e a todos da tua família.

    Uma óptima semana.

    Beijos

    Olinda

    ResponderEliminar
  17. Querida amiga Mariazita,


    Eu li me sentindoooo na história! Nem me senti intrusa hahhahha, porque fui convidada pela fascinante narrativa. Maravilha saber de todas estas informações. Como é bom aprender! Mas com sinceridade fiquei curiosa com mais histórias desta família. Ahh fiquei! Minha imaginação foi despertada.


    Beijos com carinho e ótima semana amiga amada.

    ResponderEliminar
  18. Roberta deixou um novo comentário na sua mensagem "CENAS DA VIDA REAL":

    Querida amiga, adoro ler suas histórias, são sempre cheias de magia e encantamento. Tenha um lindo final de semana. Beijocas

    ResponderEliminar
  19. Mariazita, que história! E como você contou de forma maravilhosa, seu blog é uma alta fonte de cultura.

    Ótima semana para você, beijos.

    ResponderEliminar
  20. Fiz um comentário há pouco, Mariazita e sumiu...era imenso, fiquei sem tempo, agora..Volto, depois!
    Um beijo,
    da Lúcia

    ResponderEliminar
  21. não o conhecia
    as fiquei com vontade de ir ...

    obrigadissimo

    abrazo serrano

    ResponderEliminar
  22. Oi, Mariazita!

    Gosto quando você conta histórias. Parece que estou a ler um começo de romance.

    Aqui no Brasil, alguns grandes fazendeiros também tornaram-se famosos por atos de sadismo e desonestidade. Pelo visto, esse tipo de gente existe no mundo todo.

    Achei um mimo a capelinha octogonal. Mais um lugar a conhecer se algum dia nós conseguirmos visitar Portugal.

    Beijos!

    ResponderEliminar
  23. História muito interessante, Mariazita. A crueldade era muita nesses tempos; se agora nos queixamos de falta de justiça, então outrora esse nome nem existia. No meu tempo, quando era criança me lembro de na casa daqueles lavradores ricos das aldeias haver também bastante desumanidade em relação aos criados; nada que se lhe compare, mas já chocava bastante. Trabalhavam de sol a sol e a merenda era só uma côdea de pão
    de milho já velha. Enfim..felizmente que as coisas mudaram em muitos sentidos. Espero que os problemas de saúde aí em casa já estejam contornados e parabéns pelo belo texto. Um beijinho e uma excelente semana
    Emília

    ResponderEliminar
  24. Neninha, desculpa lá eu ter-te dado tanto trabalho.... rrss

    Abraço apertado, amiga minha

    ResponderEliminar
  25. ahahahah!
    Amiga Mariazita, o meu banho de imersão é sagrado e estando só, melhor ... foi o caso :) Sobrou-me tempo para me deliciar sem stress...

    Esqueci-me de voltar, claro! A minha memória, amiga, já não é o que era...

    Deliciei-me com este conto que me remeteu a bons tempos, que suponho todos temos das nossas infâncias.
    O melhor contador de histórias era o meu avó paterno, esse levava-nos a imaginar coisas fabulosas. Nunca o esquecerei.

    Não conheço esta terra :)) nem nunca tinha ouvido falar dela.
    Obrigada por este momento.
    É bom rir, mesmo e se faz falta :)))

    Beijão

    ResponderEliminar
  26. Ai Mariazita, gosto tanto de ler suas histórias!
    :)

    Também eu, desde bem nova, peguei o gosto pela leitura.
    Consegui passar esse gosto para os meus filhos, e hoje em dia procuro passá-lo para os netos.
    Gosto tanto dos livros, que fiz o Curso de Biblioteconomia só para ficar mais próxima deles...rs

    Beijinhos pra você e fique bem.

    Cid@

    ResponderEliminar
  27. Minha querida mariazita

    ler-te é um prazer imenso...os teus textos são fáceis de ler e apreender.
    És uma contadora de histórias nata.


    Deixo um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  28. O sangue azul fervia na acumulação de riqueza, antigamente, agora, parte bacias em África.

    boa semana

    ResponderEliminar
  29. Mariazita, que história fascinante. Repleta de elementos que prendem nossa atenção e dá vontade de ler mais.
    Gostei muito.

    Um beijo.

    ResponderEliminar
  30. Oi, Mariazita!

    Muito obrigada pelos comentários generosos!

    Desta vez estou escrevendo para pedir ajuda. Não consigo encontrar seu conto sobre o mundo paralelo. Você poderia enviar o link pra mim? Meu e-mail é carlaceres@uol.com.br

    Beijos!

    ResponderEliminar
  31. Olá minha querida

    Como é bom te ler, apreciar esses textos maravilhosos com que tão bem sabes nos brindar...
    Hostórias que nos prende, o que terminamos por desejar mais e mais...
    Sempre te aplaudindo

    Feliz semana pra ti

    Bjinhus

    Livinha

    ResponderEliminar
  32. Suas fantásticas histórias, Mariazita, deixam dúvidas quanto a serem "da vida real" ou "ficção"...daí, para mim, serem fantásticas. Gosto, porque gosto!
    Belas imagens, fazendo lembrar-me da capela, octogonal, do mais antigo cemitério de minha cidade, Fortaleza.
    Esta foi projetada por um português, da Ilha de São Miguel dos Açores, João Francisco Oliveira, meu bisavô.Não sei se é a única do Brasil...vou pesquisar rs

    Seu texto é extraordinário, amiga.
    Beijos,
    da Lúcia.

    P.S. Entendi e concordo com você, sobre os "circunstantes"...que caem de "pára-quedas" em nossas "CASAS", falado na Cadeirinha.

    ResponderEliminar
  33. Olá prezada escritora e contadora de histórias Mariazita, que tudo esteja bem contigo!

    Gostaria de saber contar história a sua maneira, e desta maneira fazer o leitor querer ler sempre mais das histórias contadas, como cá nesta tua casa com lírios.
    Parabéns por mais esta bela história contada nesta tua bela casa, e aproveito para agradecer tuas sempre gentis visitas e comentários, apesar do sumiço deste virtual amigo, mas o PC estava no conserto e o trabalho me tira a maior parte do tempo.
    Assim após a leitura me vou deixando a você e todos ao redor meu desejo que tenham todos um intenso e feliz viver, abraços e até mais!

    ResponderEliminar
  34. Uma história bem contada, ao estilo Mariazita...li e aprendi,adorei.
    Bjs

    ResponderEliminar
  35. Uma história bem contada, ao estilo Mariazita...li e aprendi,adorei.
    Bjs

    ResponderEliminar
  36. Olá Amiguita Amada! Como vai querida, eu estou bem graças a Deus, passando por alguns percalços mas graças a Deus entrando novamente nos eixos e na vida em si.
    Quanto ao teu *achado, que maravilha e que preciosidade vieste dividir conosco, eu trabalhei no setor de artes de um Centro Cultural e fiquei apaixonada por artes em geral e naturalmente da arquitetura, gostei tanto que acabei fazendo 2 cursos de artes em geral e arte brasileira que veio a acrescentar algo mais em minha vida.
    Amiguita querida, espero que esteja indo 'de vento em popa' com teus escritos pois adoro ler-te, você escreve muito bem e é com certeza um deleite caminhar por teus escritos. Parabéns sempre minha querida. Saiba que mesmo distante de ti jamais te esqueço, moras em meu coração e tenho por ti um carinho enorme.
    Fica com Deus amada amiguita, Deus abençoe a tua vida e tua familia.
    Um beijo supre carinhoso e minha ternura sempre.
    Tua amiga irmã.
    Jady

    ResponderEliminar
  37. E assim ficamos a conhecer melhor, o nosso Portugal!

    Beijo da Nita.

    ResponderEliminar
  38. Gosto de ler as histórias de Mariazita
    por isso venho sempre à sua Casa rs
    Difícil mesmo acreditar em tanta maldade num tempo que nao vai tão longe, pior ainda pensar que é sim possível ainda ter casos piores por esse mundo afora, não é?
    Portugal é pródiga em mosteiros e isso torna-a encantadora Mariazita ,um dia vou ver de perto.hehehe
    abraços , fique bem,ok?
    e obrigada por compartilhar ótimas leituras.

    ResponderEliminar
  39. Mariazita, boa noite!
    De antigamente existem muitas histórias de arrepiar, coisas verdadeiramente inacreditáveis.

    Beijinho,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  40. Mariazita, querida!
    Tudo bem?
    Impressionante a tua capacidade em contar histórias, de forma cativante, com detalhes, me senti envolvida nas linhas e letras.
    Que imagens, tanto nas palavras como nas fotos!
    Lindo post, saio mais leve e feliz daqui, sinceramente.
    Grande beijo e ótimos dias para ti e tua família!

    ResponderEliminar
  41. Mariazita

    Tive o prazer de ler mais uma das tuas saborosas histórias. Aqui confirmas, o que penso: para escrever é necessário ler-se muito, não basta ter um certo grau académico, embora esse seja importante. A leitura de post's como os teus, são sempre uma mais valia, visto ser destas diferentes leituras que nasce a inspiração.
    Beijos

    ResponderEliminar
  42. Gosto muito da forma que escreve e das história, que embora não sabendo se são reais ou não, transportam-nos para aquela época.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  43. Lilá(s) deixou um novo comentário na sua mensagem "CENAS DA VIDA REAL":

    Uma história bem contada, ao estilo Mariazita...li e aprendi,adorei.
    Bjs



    Publicada por Lilá(s) em A Casa da Mariquinhas com Lírios e Histórias a 18 de Abril de 2012 11:48

    ResponderEliminar
  44. Boa Tarde Amiga!
    Hoje em especial
    Parei um pouquinho
    Para trazer o meu carinho.
    E apenas lhe dizer muito simplistamente,
    Muito Obrigado!
    Obrigado por tudo, que Deus esteja sempre com você hoje e sempre e sempre...
    Com todo o meu carinho o meu grande Abraço.
    Maria Alice

    ResponderEliminar
  45. Boa noite Mariazita
    Sem querer segui-vos lá pelo sótão e bisbilhotei esquecido do tempo.
    Vocês saíram e eu fiquei por lá muito tempo. Também sou um pouco curioso.

    Tenho uma história parecida lá da quinta dos meus sogros, mas como não sou de lá e as vezes que me contam algumas coisas eu fico arrepiado de medo...ufa noites sem dormir...
    então o padre, um dos herdeiros, ainda era pior que os outros.
    Dizem que morreu a ganir como um animal...
    Talvez um dia consiga acabar alguns apontamentos.

    ResponderEliminar
  46. Adoro ler e gosto muito de conhecer a história e as regiões de Portugal. Adorei esta sua narrativa!
    Bom fim de semana

    ResponderEliminar
  47. MARIAZITA

    hoje vim deixar um beijinho e poesia




    Tocando ao piano em parceria
    Sinto o piano, cansado da vida
    Piano velho, num canto da sala
    Piano que chora, quando lhe tocamos...

    Porque o som das suas teclas
    Brancas e pretas bem definidas
    Sentem os anos e sentem a dor
    Quando tocamos e nos delíciamos...

    E este piano que pode ser
    Piano de cauda ou piano vertical
    E mesmo cansado nos deixa tocar
    E deixa fechar os olhos e escutar...

    E com muito carinho afagamos
    As suas oitenta e oito teclas
    Teclas de dó, ré, mi, fá, sol, lá, si...
    Teclas de uma vida, cheia de luz...

    E os nossos dedos percorram as teclas
    Brancas e pretas, pretas e brancas
    E assim em parceria tocamos
    E deixamos o nosso sonho voltar!...


    LILI LARANJO

    ResponderEliminar
  48. Mariazita,

    Fiquei encantada com tuas cenas da vida real. Assim como a amiga,também gosto muito de História,viajo sempre no tempo,nas constantes leituras que faço...
    E as imagens são lindas.Acredito que as fotografias são documentos importantes na reconstrução das memórias.

    Parabéns, Mariazita.


    Um grande beijinho,

    Linda Simões

    ResponderEliminar
  49. Mariazita,

    Fiquei encantada com tuas cenas da vida real. Assim como a amiga,também gosto muito de História,viajo sempre no tempo,nas constantes leituras que faço...
    E as imagens são lindas.Acredito que as fotografias são documentos importantes na reconstrução das memórias.

    Parabéns, Mariazita.


    Um grande beijinho,

    Linda Simões

    ResponderEliminar
  50. Olá!Boa noite!
    Tudo bem?
    ...gosto como escreve as tuas histórias, e sempre descrevendo, com brilhantismo a época feudal...
    ...me encantou saber seu prazer em leitura, e por História,desde jovem...o que denotamos em seus escritos...
    Boa sexta feira!
    Obrigado pelo carinho da visita!
    Beijos

    ResponderEliminar
  51. Mariazita ,
    como é costume viajo com os personagens das estórias , ou factos que aconteceram . Hoje , sobretudo , fui ao sótão . Adoro sótãos com os seus mistérios e tesouros .

    Um beijo e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  52. Num fim de semana que se adivinha ainda chuvoso, deixo beijo gostoso.

    ResponderEliminar
  53. Li com muita atenção este texto.
    Ejá "está mais sossegada daquele
    problema?"
    Um grande beijinho
    Irene

    ResponderEliminar
  54. Olá, Mariazita!

    De passagem, para te desejar um bom resto de fim de semana; e sobretudo muita disposição e força anímica para lidar com uma situação que fácil é imaginar será pesada e difícil.
    Mas esse sorriso largo há-de voltar; não desanimes!

    Beijinhos, e, já agora, obrigado pela visita.

    ResponderEliminar
  55. Minha amiga aqui divago e me perco nas histórias que tão brilhantemente conta.
    Bom domingo e uma excelente semana.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  56. Uma belíssima história... E nunca tinha visto uma capela assim...

    Bj

    ResponderEliminar
  57. Minha querida Mariazita

    Como sempre as tuas histórias prendem do princípio ao fim e aprendemos sempre mais...adorei.

    Deixo o meu beijinho com carinho e desejo uma boa semana.
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  58. Creio que, no mundo inteiro, ainda há pessoas assim, realmente más, convivendo com outras do mesmo sangue e que cultivam bons sentimentos.
    As imagens que postou mostram a riqueza de uma época que permanece na memória de quem teve o prazer de conhecê-las ao natural.
    E você, sempre sábia ao narrar o real ou o fictício.

    Grande beijo!

    ResponderEliminar
  59. MARIAZITA

    ...
    Abril

    Liberdade..
    Saltar muros e gritar...
    Sou livre...

    e tu...também

    beijinhos

    ResponderEliminar
  60. O que eu aprendo contigo, querida Mariazita! É muito bom 'ouvir-te' contar estas histórias, tão ricas de palavras.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  61. Minha querida Mariazita,

    Vim reler-te e sentir-me novamente em sua cozinha ao pé do fogão à lenha,ouvindo tuas histórias e aprendendo tanta coisa boa contigo.Obrigada pela visita e pelo carinhoso comentário às minhas Memórias de criança.

    Bjsssss,
    Leninha
    Já postei outra história,amiga.
    http://leninha-sonhoseencantos.blogspot.com

    ResponderEliminar
  62. Minha querida Mariazita,

    Espero e desejo melhoras ao seu marido.Que Deus os proteja e guarde,a você e a ele.
    Obrigada pelas gentis palavras.
    Bjsssss,
    Leninha

    ResponderEliminar
  63. Neninha querida , venho deixar-te o meu abraço solidário neste tempo complicado para vós e desejar que tudo se recomponha bem e depressa.

    ResponderEliminar
  64. MAARIAZITA, BOA NOITE, GOSTEI MUITO DO SEU JEITO DE CONTAR HISTÓRIA FICA UM CLIMA DIFERENTE, FAZ A GENTE LER DE UM SÓ FÕLIGO, SEMPRE VIREI AQUÍ BUSCANDO OS SEUS ESCRITOS. UM ABRAÇO FRATERNO. CELINA

    ResponderEliminar
  65. Olá Mariazita,

    Grata pela sua visita e comentário.
    Escreve muito bem , sabe Fruto de tanta leitura e do seu interesse, também.

    A história, que relata no seu texto parece mediavalesca.
    Nunca pensei que, tais coisas acontecessemm na Idade Contemporânea.

    Bom fim de semana.
    Abraços de estima.

    ResponderEliminar
  66. Podemos prometer atos,
    mas não podemos prometer sentimentos...
    Atos são pássaros engaiolados,
    sentimentos são pássaros em vôo.
    (Rubem Alves)
    Pedindo desculpas pelo meu afastamente
    nas visitas infelizmente foram alguns dias de muita
    tenssão.
    Eu aprendo todos dias, me espelho em outras
    pessoas: Não dá pra fraquejar, quem é guerreiro
    jamais entrega a Luta..
    Deus abençoe grandemente seu final de semana beijos
    no seu doce coração.
    Evanir..

    ResponderEliminar
  67. Querida amiga

    As lembranças
    do que vivemos
    são sempre preciosas.
    E quando vem
    carregadas de simbolismos,
    de lugares, de fé,
    elas ganham vida
    em outros olhos novamente.


    Que sempre haja amor,
    para alimentar de sentidos
    nossa vida.

    ResponderEliminar
  68. Olá, Mariazita!

    Também para ti um bom restinho de Sábado- por aqui soalheiro e agradável - e um bom Domingo, com a vida a correr à medida dos teus anseios.

    Obrigado, e um beijinho.

    Vitor

    ResponderEliminar
  69. Já passou a sexta-feira e pensei
    muito em si e desejo que tenha
    tido notícias positivas.
    Um grande beijinho
    Irene Alves

    ResponderEliminar
  70. Deixo um beijo e um abração.
    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  71. Que riqueza vir na tua casa inha querida Mariazita... quero poder visitar esta Capela e lá ebrar deste teu texto... Olá minha amiga, espero te encontrar bem e em paz... vim te deixar uma abraço afetuoso e te dizer que A Ilha vai brincar com as mães, teremos as brincadeiras caça ao coração de mãe e a colcha de retalhos, vais participar de alguma? Te espero na Ilha ou no chatilhando... um beijo enorme no coração... Luz e paz!!!

    ResponderEliminar
  72. Lamento muito....esperar(desesperar)
    e orar...e acreditar!
    Que Deus lhe dê força.
    Em pensamento estou consigo.
    Um grande beijinho
    Irene

    ResponderEliminar
  73. Querida Mariazita

    Venho desejar-te um bom resto de domingo e muita saúde.
    Muito obrigada pelas tuas visitas ao Xaile e os preciosos comentários que me tens lá deixado.

    Desejo que a tua produção literária esteja a dar frutos saborosos. :)

    Muitos beijinhos.

    Olinda

    ResponderEliminar
  74. Hoje o Sexta é aniversariante. Vim convidá-la a passar por lá. Afinal a festa é dos amigos, é por vós que ele existe.
    Um abraço e boa semana

    ResponderEliminar
  75. Apreciei imenso a tua narrativa. Uma história pesada, cheia de ação e real. Parece uma cena de filme , neste caso de terror!!!Apesar de algumas notas suaves , na personagem do Srº Curado, do rapaz com quem travaste amizade...e até do narrador(tu) Fico muito grata pela visita ...sempre que puder vou retribuir ...sou apologista da reciprocidade. Nunca me fiz seguidora de ninguém, a principio não sabia como ser ...depois deixei de me interessar ...mas procuro estar presente na medida do possível...Obrigada e até sempre

    ResponderEliminar
  76. Essa história me fez viajar no tempo amiga...

    Uma ótima semana para vc.

    beijooo.

    ResponderEliminar
  77. Olá!Boa tarde!
    Tudo bem?
    ...muita chuva e frio aqui!
    Obrigado pelo carinho da visita!
    Pelas palavras carinhosas!
    Boa semana!
    Bom feriado!
    Beijos

    ResponderEliminar
  78. Eu muito me alegro ao recebê-la. Que tenha uma semana iluminada!
    Bjs.

    ResponderEliminar
  79. OI MARIAZITA!
    SOU APAIXONADA POR HISTÓRIAS ANTIGAS, PRINCIPALMENTE SE TEM ALGUM EMBASAMENTO VERÍDICO.
    ADOREI.
    ABRÇS

    http://zilanicelia.blogspot.com.br/
    Click AQUI

    ResponderEliminar
  80. Olá minha flor!
    :)

    Passando, só pra te deixar um beijo e um abraço bem apertadinho.

    Fique bem, fique com Deus.

    Cid@

    ResponderEliminar
  81. Olá Mariazita,

    Que história, hein?

    Deliciosamente bem contada e envolvente. Adorei ler.

    Beijos.

    ResponderEliminar
  82. Gostei da história...e essa infância...tantas recordações vieram, minha querida. Bj
    BShell

    ResponderEliminar
  83. Mariazita, bom dia! Primeiramente, muito obrigado pelas suas gentis visitas durante a minha ausência. Devagar estou voltanto ao "batente" literário de blogueiro.

    Esta história é espetacular. Não obstante os comportamentos meio medievais das senhoras e de membros da família, gostei muito e também dessa arquitetura fantástica da capela. Confesso que mesmo fora de Portugal nunca vi uma construção octogonal tão bela.

    Um grande abraço. paz e bem.

    ResponderEliminar
  84. Minha querida amiga !!!!!
    Primeiro do que tudo quero deixar desejos de saúde prá familia...pois és uma batalhadora nesse campo intectual,procuras nos trazer textos que engradece seus leitores e eu me sinto fazendo parte desse seu universo...fabuloso esse conto minha querida.
    Deizxo meus parabéns pela tamanha obra escrita ...valioso !
    bjssssssssssssssss

    ResponderEliminar
  85. Hello from France
    I am very happy to welcome you!
    Your blog is accepted in the PORTUGAL section in a minute!
    On the right side with the books of green! You will find the country with the names of blogs by Country
    The creation of this new blog "directory", allow a rapprochement between different countries, knowledge of different cultures and share traditions.et us different passions, fashion, paintings, crafts, cooking, photography, poetry and so be able to find in different countries in other people with similar passions.
    We are fortunate to be on the Blogspot platform that offers the opportunity to speak to the world.
    The more people and more opportunities that will, yes, I confess, I need people to know this blog!
    You are in some way the Ambassador of this blog and your Country.
    This is not a personal blog, I create for all to enjoy
    It is you also have to make known after your contacts and friends in your blog domain, the success of this blog, depends all Participants.
    So during your next comments with your friends ask them to come in the 'Directory' by joining in joining in our comments:
    *** I am in the directory come join me! http://world-directory-sweetmelody.blogspot.com/ ***
    You want this directory is more important? help me to make it grow
    Your blog is in the list PORTUGAL and I hope this list will grow very quickly
    Regards
    Chris
    We ask that you follow our blog and place a badge of your choice has to know the "directory" to your friends to put on your blog
    http://nsm05.casimages.com/img/2012/03/19/120319072128505749603643.gif
    http://nsm05.casimages.com/img/2012/03/24/1203240217091250289621842.png
    http://nsm05.casimages.com/img/2012/03/26/1203260602581250289633006.gif
    http://nsm05.casimages.com/img/2012/03/28/120328020518505749640557.gif

    If you wish to know the blog of your friends, send me their urls

    ResponderEliminar
  86. A amizade, nasce e cresce como flor,
    mas para ela viver,devemos cultivar com amor.
    Rega-la a cada amanhecer.
    Manter a sinceridade sempre.
    Não quero sua amizade por um unico Dia.
    E sim para toda vida. Depois da flor vem a semente.
    Vamos planta-la. Nossa amizade enraizada.
    Até o fim da nossa jornada. beijos meus,
    Evanir. 14 de junho de 2011 08:30
    Mensagem que levei a minhaslindas amizades
    a quase um ano.
    Eternizada no blog da amiga(Simone Martins)
    Eu continuo pensado da mesma forma por isso
    estou aqui hoje.
    Ertenizando nossa amizade.
    Um ,Dia abençoado .
    Paz e luz no seu viver.
    Beijos,Evanir.

    ResponderEliminar
  87. Mariazita

    Bom dia, desejo que dennto dos possíveis, tudo corra a teu jeito. Depois é para te enformar qque há novo a pitulo de TOP SECRET OLAVO, que no MILAGRE está um poema dedicado à Severa, con três grades fotos dela.
    Beijos de amizade

    ResponderEliminar
  88. Oi, Mariazita!

    Sou eu de novo. Gostei muito do seu comentário sobre o simulador de queda-livre e a vertigem. Adorei saber que, aí em Portugal, também se diz "ter um treco". Tudo que me soa informal, eu penso que é brasileirismo. :))))

    Beijos!

    ResponderEliminar
  89. Mariazita, boa noite!
    Vim agradecer o selinho, é lindo e a minha amiga não tinha que se preocupar, sei bem que o seu tempo e a disposição não são os mesmos.

    Deixo um beijinho com o desejo que esteja bem.
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  90. Olá Mariazita
    Adorei esta interessante e envolvente crónica.
    Bjs

    ResponderEliminar
  91. Bom dia, amiga Mariazita.
    Pela demora, vai sair obra prima, garantidamente ...

    Tudo bem?

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  92. Querida amiga passei para lhe desejar um excelente fim de semana
    Beijinhos
    MAria

    ResponderEliminar
  93. Olá, Mariazita!

    Tempo de passar por aqui para desejar um bom fim de semana, e que tudo possa ir correndo à medida dos vossos desejos.
    E que este ausência não seja por muito mais tempo ...

    Beijinhos.
    Vitor

    ResponderEliminar
  94. Neninha querida, te venho deixar um abraço repleto de saudades e votos de que as coisas estejam correndo como desejamos, isto é, muito bem!

    ResponderEliminar
  95. Amiga vim desejar que "tudo esteja
    o melhor possível" e deixar um
    beijinho de amizade para si.
    A amiga
    Irene Alves

    ResponderEliminar
  96. Puxa,Mariazita!!

    Que história magnífica!!!
    Pessoas de péssima conduta,né?!
    Ainda hoje vemos tantas assim...usam,maltratam, entre tantas outras coisas...uma pena.
    Fiquei imaginando os livros...pra mim sõa tesouros, assim como as histórias de vida de cada um!!!
    Adoro estas partilhas!
    Beijos minha querida!
    Que Deus te abençoe!
    *Se recuperou bem?

    ResponderEliminar
  97. Vim agradecer sua atenção e carinho, na mensagem hoje deixada, lá na Cadeirinha de Arruar.

    Estou torcendo e rezando pela saúde de seu marido, amiga.

    Logo, logo, estarei aqui, para ler sua mensagem para as mães brasileiras.
    Beijinhos,
    da Lúcia

    ResponderEliminar
  98. Como vai o teu livro?
    O meu vai muito devagar...talvez para saborear o que recordo.
    Beijo amigo
    Graça

    ResponderEliminar

A SI, QUE VEIO VISITAR-ME, UM GRANDE
BEM HAJA!

BEIJINHOS
MARIAZITA