domingo, 12 de setembro de 2010

AS DROGAS



De acordo com o prometido no domingo passado, hoje vou partilhar convosco o segundo ponto das minhas duas principais preocupações no início do ano escolar.
Como já disse considero o problema das drogas bastante grave e de muito difícil solução.
Analisemos um pouco o percurso desta “chaga social”:
Este terrível mal que aflige a humanidade dos nossos dias, a toxicodependência – não é de agora.
Na realidade o uso de drogas remonta a tempos muito antigos.

As narrativas dos bacanais de Dionísio, as célebres festas e orgias de César, na antiga Roma, referem o uso de substâncias intoxicantes.

As antigas civilizações asiáticas extraíam o ópio da papoila; os incas usavam a coca, que retiravam das folhas do arbusto com o mesmo nome, e utilizavam como estimulante.

Aquando da chegada dos espanhóis àquele território, já os astecas, no México, mascavam um cacto de sabor amargo a que se chamou mescalina, que lhes provocava visões fantásticas.

Cerca de mil anos antes de Cristo os hindus consideravam a canábis uma planta sagrada, pelos efeitos que produzia.

Contudo, foi no Sec.XX que o uso de todos esses produtos mais se desenvolveu e disseminou.

E chegamos aos dias de hoje com um gravíssimo problema, de difícil resolução, e cujo fim não está à vista.
Com tanta informação existente, o que pode levar os jovens de hoje a drogarem-se?
Os entendidos referem que são muitos os motivos que os levam a iniciar-se nas drogas, desde a simples curiosidade ao receio de serem excluídos dum determinado grupo a que gostariam de pertencer.
Um dos principais atractivos é o prometido prazer imediato em discotecas ou outros centros de diversão. Há ainda o factor de problemas familiares.
Daí à dependência total é um salto muito curto.

Há quem defenda que a dependência é inata: o indivíduo nasce ou não adicto. Isso explicaria casos que todos nós conhecemos de jovens que, nascidos dos mesmos pais, vivendo sempre no mesmo ambiente, recebendo o mesmo tipo de educação, uns se tornem dependentes de drogas e outros não. Pessoalmente conheço vários casos assim.
Depois da dependência instalada só uma grande força de vontade e a ajuda de técnicos especializados poderão reverter a situação.
Torna-se, por isso, urgente investir a fundo na prevenção.
Pais, avós, outros familiares e amigos podem e devem ter um papel muito importante neste campo de acção.
Esclarecer os jovens mais desprevenidos, mostrar exemplos, fazer circular informação. E sobretudos alertá-los para o perigo duma primeira vez, a tal curiosidade da experiência que tantas vezes é fatal.

Para terminar, aprecie o poema de Marcial Salaverry, poeta com vasta obra publicada, inspirado no depoimento de um rapaz de 23 anos, já no estádio terminal de dependência, recolhido ao vivo na sua cama do hospital.


NÃO ÀS DROGAS

“Adopte seu filho, antes que um traficante o faça…”

Por um fui adoptado, para minha desgraça.

Tenho que dizer não às drogas
,
pois já nem sei quem sou…
Vou pelo mundo, todo imundo.

Que faço aqui?

As pessoas passam por mim, e não me olham.

Enfim, só ocupo um lugar…
Vivo drogado, sou um viciado.
Minha vida desgraçada, pelo vício atrapalhada,

totalmente perdida.
Atrapalho a passagem,
perdido na viagem,
em que eu mesmo embarquei…

sumido na voragem de tudo que me cerca.
Ver-me não quero.
Se me vejo, me desespero.

Cansei…perco-me no mundo, que continua imundo…
Não consigo dizer não às drogas.
E a droga, transformou a vida numa droga…


Marcial Salaverry

32 comentários:

Amanda Luna disse...

Oii, ótimo post!! vamos ficar bem loge das drogas!!!
beijos
www.sermulhereomaximo.com.br

Sandra disse...

Esta é uma história triste. Como tiralá-las do caminho das pessoas.


CURIOSA está em comemoração. Vou te esperar para comer uma fatia de bolo.
Desculpe não ter vindo antes avisar. Mas ando mesmo sem tempo.
Carinhosamente,
Sandra

Amigos são cimo aqueles botões de rosas que vão se abrindo lentamente e exalando o seu perfume pelos caminhos que trilhamos.

Ana Martins disse...

Boa noite Mariazita,
concordo totalmente consigo, quando diz que devemos apostar na prevenção e constantemente alertar os Jovens. É precisamente isso que faço quase diariamente com os meus filhos e os seus amigos que vêm cá a casa. Estou sempre a dar exemplos e até lhes envio e-mails que considere de alerta.

Mas na verdade nunca vivo descansada, a droga mata e anda por aí sem que se consiga controla-la.

Beijinhos,
Ana Martins
Ave Sem Asas

Livinha disse...

Oi minha amiga...
Postagem interessante a tua, um assunto que nunca encerra, sempre na moda levada pela ignorancia, pelas fraquezas e inseguranças humana.
Na adolescência, pela falta de amor, de um "Ei por favor, olha pra mim" algo assim...
Em 2008 fiz um verso a este respeito o que devo ainda reposta-lo, acho que veio bem a calhar a tua lembrança a esse respeito.

Mto bom.
Eles pedem atenção, ainda que mudos, os olhos dizem...

Feliz domingo

Bjs

Livinha

Zé do Cão disse...

É uma chaga incontrolável.

Como acabará?

abraço minha amiga

Regina Rozenbaum disse...

Muiiito difícil mesmo!!! Sofrimento para os dependentes e sofrimento dobrado para os co-dependentes (familiares). As clínicas, hospitais-dia, fazendas especializadas no tratamento e "reabilitação" dos drogatictos lutam contra muitos, muitos interesses além das drogas em si. Trabalho árduo!!!
Beijuuss n.c.

www.toforatodentro.blogspot.com

Fernanda disse...

Querida Mariazita!

Muito pertinente este tema e muitíssimo actual...cada vez mais.

Como muito bem diz, as drogas têm vivido no âmago de todas as sociedades, desde sempre!
Mais ou menos camuflado, o seu uso esteve sempre presente e assim será sempre! Infelizmente!

Para muitas famílias, onde há problemas de adição às drogas, a vida torna-se um verdadeiro Inferno, um Pesadelo, que quase sempre termina mal.
Perdi o meu irmão mais novo, com apenas 41 anos de idade, há treze anos, depois de um sofrimento atroz para todos.
Sei do que falo de cor. Ele viveu comigo quase sempre durante os períodos que tentava sair e retomava.

O que sempre disse ao meu filho, e a todas as crianças com quem lidei nas Escolas e não só, é que recusem essa experiência.
Se mantenham longe de todas as substâncias aditivas. Tabaco e álcool inclusive.

Porque falar não chega, é preciso que os educadores e pais estejam atentos aos sinais.
Falar sobre o tema, esclarecer, alertar, ajuda muitíssimo.
Fundamentalmente, é necessário que ganhemos a confiança total dos nossos filhos, educandos, para que eles nos contem tudo.
Sejamos até cúmplices, se assim for necessário, o importante é conseguir eliminar o problema à nascença.

Prevenir para não remediar é a melhor solução.

Beijinhos
Ná - Na casa do Rau

Desnuda disse...

Querida amiga,

sim, há que se tomar medidas preventivas e seu post é muito esclarecedor. De maneira sucinta, clara e muito correta demonstra toda esta tristeza, este grande mal que afeta nossos jovens, as suas famílias e toda a sociedade.

Em relação ao uso das drogas desde tempos remotos é fato. Os nossos índios e até hoje em algumas cerimônias de cunho religioso é usado de forma mística.

O poema de Marcial Salaverry é um sensível apelo aos que se deixaram levar a esta prisão terrível do ser humano e que o pode condenar a morte.

PS: Nossa amiga Pérola está bem. Mas necessita realmente de um tempo, Mariazita.

Um super beijo estalado de bom!

Zé do Cão disse...

como não consigo divorciar-me, mesmo em situações sérias, vou vontar esta que assisti da janela do 2º andar.

Uma senhora vivia com o filho num 2º andar de uma casa na cidade onde reside a "Laurinha" do Réstias de Sol.
uma empresa tratava de lavar a alcatifa de um dos quartos. Em dado altura o pessoal dá pela falta de água quente e queixa-se à dona da casa.
Querem ver que acabou o gás? diz ela. Chega à cozinha e fica transtornada. O esquentador tinha desaparecido. Corre à janela e vê o filho, que se drogava, com o esquentador ás costas para o vender por qualquer preço para ter dinheiro para a droga.
Nem esperou que o dito arrefecesse, ou que o trabalho acabasse. Drama da vida real...estando a viver o problema daquela mãe não pode evitar um semblante de riso.
jinhos

JADY*ALVES disse...

Miguinha mui amada!
Vim te dizer olá, como vai, e boa noite, to cansadinha minha amiguita querida, vou tentar voltar amanhã, ler e te comentar, já vi que o assunto é sério...
Beijos de ternua e meu prazer em vê-la de volta.
Lindos sonhos
Com carinho, Jady

Táxi Pluvioso disse...

As pessoas usam drogas porque são boas, mas há drogas de substituição como o trabalho, a religião, a televisão, a comida, a bebida... é preciso, é encaminhar bem, para as mais úteis à sociedade, mas a degradação e a morte ninguém consegue evitar.

Tenho de guardar esse post sobre a expressão "para inglês ver", bolas! não tenho o disco externo ligado, fica para amanhã. good week

vivianeamaral disse...

Excelente texto, maravilhosa orientação.
bjks de quem estava com saudades de ler você.
Vivi

vivianeamaral disse...

Excelente texto, maravilhosa orientação.
bjks de quem estava com saudades de ler você.
Vivi

Cida disse...

Tenho a sorte (graças a Deus!), de não ter entre familiares e pessoas próximas, este tão grande problema.

Mas pelo que se vê na mídia, a droga não acaba somente com a vida do usuário, mas acaba também com a vida de todos que o amam, e que convivem com ele.

Será que um dia isto vai ter um basta? Difícil, não?
Realmente, é uma coisa muito séria e triste!


Mas uma coisa boa, é você estar de volta!...:)
\o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/

Beijinhos

Cid@

Saozita disse...

Olá querida amiga.
Este é se dúvida um tema muito pertinente, e complexo numa sociedade flagelada em todos os eixos e transversalmente a toda a sociedade, independentemente do status e da classe de pertença.
Só mesmo com grandes campanhas de informação e sensibilização poderemos começar a luta, no entanto julgo que o cerne da questão está no excesso de abandono a que estão votados os nossos jovens, por via do actual sistema societal em que estamos inseridos. Os pais cada vez estão mais ausentes, face a uma sociedade capitalista que assim obriga, para ganharem o sustento da família.
Nos casos em que não acontece esta necessidade, são os apelos e modas da própria irreverência da Juventude.
Notem que já existe música que droga e se adquire na net, caríssima!

Querida Mariazita, tem uma boa noite e uma linda semana.

Bjs com amizade.

Sãozita

Bergilde Croce disse...

Ótimas informações Mariazita pois este argumento merece destaque em todos os meios de comunicação e aqui você expõe muito claramente suas idéias a respeito.Tendo filhos pequenos procuramos aqui desde já ir combatendo o fumo que vemos constantemente nas ruas quando saímos juntos e nos preparamos para as coisas mais 'sérias' que teremos que enfrentar no futuro próximo também...
Abraços e aguardando sua visita aos filhotes adorados!

Saozita disse...

Olá minha querida amiga,passei para te deixar um beijinho de boa noite,que tudo esteja bem contigo.
Envia-me o teu contacto para te poder ligar de forma a que possamos comunicar para combinarmos como faremos no fim de semana, para nos encontrarmos.
Vou enviar-te um mail, com os meus contactos.

Tem um bom sono e descanso.
Bjs com amizade.

Sãozita

Zé do Cão disse...

Mariazita

São tantas e tão variadas, que me atrevo.
Médico muito conhecido na tal cidade onde reside a Laurinha, tinha um filho que estudava na U. de Coimbra.
Drogava-se, o pai dava-lhe todo o dinheiro necessário de que não roubasse. Adorava aquele filho. Um dia de automóvel, despista-se e morre. O pai, desabafa quando soube a notícia.

Paz à sua alma...
II
Fui campista e quando meus "ninos" era pequenos, fazia fins de semana em Caminha, com a nossa caravana.
Eles brincavam com outros meninos.
Anos depois, um drogado pede-me uns tostões e diz assim. Eu conheço-o, o Sr. é o pai do Tó Zé e do Nando, sou filho de fulano, e eu brincava com eles no parque de caminha. Fui-me abaixo... Meti a mão à carteira e dei-lhe 100 €.
III
Na minha família tive um sobrinho, que era industrial de cortiça, drogava-se, sua mulher bebia, tinham dois filhos, meu unico irmão chorava sempre, até que se matou.
bj

Desnuda disse...

Pois é minha querida, além de talentoso era um colega muito querido. Semeou muitas amizades. Participou de blogagens coletivas e há pouco tempo partiu para esta interação maravilhosa convidando algumas amigas(os) para uma parceria em duplix, letrix,... Fizemos três. Um deles foi publicado por ele primeiro e eu após uns dias. E justamente nesta postagem recebi por comentário a nota de sua passagem. Tínhamos mais dois à publicar . Publiquei este e depois publicarei o terceiro e último, com uma única diferença: não serão publicados em conjunto como deveria ser, infelizmente.

Quanto a nossa amiga eu tenho tido longos papos através de emails. Está bem e fica ainda mais com o carinho sincero das amigas como você, Mariazita! E eu também fico! Hahahahaha

Beijãoooooooooooooooooo

Beijão!

Fernanda disse...

Querida Mariazita!

Obrigada pelo seu comentário. Fiquei emocionada.

A Canduxa deu-me notícias. Está tão feliz que é impossível não ser contagiada...
Fico muito feliz por ela.

Estou morta para saber desse segredo que tanto esconde. Mas como a curiosidade matou o gato, esperarei :)))

Beijos ternurentos.

Ângelo disse...

Olá Mariazita; bom dia a todos.
A escalada de consumo de entorpecentes no Brasil continua vigorosa; principalmente o 'crack'. A novidade é que estão adicionando o 'crack' à maconha, em doses mínimas, para maior dependência dos usuários. Este 'mix' é popularmente conhecido como 'zirrê'.
Um estudo elaborado por um especialista em entorpecentes e seus usuários constatou que somente 0,5% dos que fazem uso do 'crack' conseguem se libertar de tal vício.
Em cada 1000 usuários, somente 5 se salvam.

Lilá(s) disse...

Excelente este post! partilho consigo da mesma preocupação, no terreno faço o que posso pelo alerta constante aos jovens.
Bjs

Maria João disse...

Mariazita

O problema das dependências e em particular, da toxicodependencia, é algo verdadeiramente complexo e transversal a todas as camadas da sociedade.
Contrariamente ao que se possa pensar, não são só os adolescentes e jovens as grandes vítimas, mas existem muitas pessoas que apesar de terem uma vida social aparentemente normal, vivem completamente aprisionados na dependência física e psicológica de uma droga qualquer, para sentirem qualquer prazer de viver.
Sim, é como dizes, um problema que para além de ter raízes na história é cada vez mais de díficil solução.

Prevenir, sempre foi e contnua a ser o melhor remédio.

Beijinhos, minha amiga!

M. Lourdes disse...

Mariazita
Este é um tema a que pais e educadores não podem ficar indiferentes. Temos que investir mais ana prevenção e na divulgação das trágicas consequências do consumo de drogas.
Estou completamente de acordo consigo.
Beijinhos
Lourdes

São disse...

As drogas são um flagelo tremendo!

Venho desejar-te um óptimo fim de semana e, imagina, eu também vou para Norte passar o fim de semana, rrrss

Um abraço amigo, neninha.

Livinha disse...

"Não há domínio ao mesmo tempo maior e mais humilde que o que exercemos sobre nós próprios." (Leonardo da Vinci)

Uma linda noite pra ti

Bjs

livinha

xistosa - (josé torres) disse...

Não sei se vou concordar.
A bebida ... o tabaco também é uma dependência e não se fala como qualquer opiáceo (na vertente de dependência, adormecimento).
Num mundo onde caminhamos para a mais elementar falta de uma necessidade, a água ... e talvez até os alimentos para milhões ... por que não deixar consumir à tripa forra?
Que se matem!!!
Quantos mais morrerem, mais espaço fica para os que escaparem.
O consumo já vem de tempos imemoriais e nós, pelo menos eu ... consegui passar ao lado desse flagelo.
E muitos milhões de milhões.
Bem vistas as coisas e bem analisadas, nem morrem assim tantos ... (rsss, rsss, rsss).

Não sei se interpretei o sentido do post, mas adaptei-o ás minhas necessidades mordazes.
É outra visão do problema.

Cumprimentos.

JADY*ALVES disse...

Olá Amiguita querida!
Infelizmente amiga, a curiosidade nunca foi boa compaheira pra ninguém, precisamos sim conversar até esgotar todos os argumentos e motivos porque a droga é realmente uma Droga!. Basta de mortes e mortes prematuras dos nossos jovens.
É muito triste ver essa juventude envolvida nessas porcarias que estragam e matam o futuro das nossas crianças e jovens. Amiga, o post hoje é um apelo, um desejo de vida de felicidade e não de sofrimento.
Estou contigo vamos continuar apostando que a droga um dia irá desaparecer, vamos dar as mãos nessa corrente.
Minha querida, ando também sem tempo pra postar e visitar os amigos, sinto falta de tí minha amiga, mas venho te visitar sempre que me sobrar um tempinho viu? Não esqueço de tí nunquinha, moras no meu coração e não pagas aluguel rss
Beijos, carinhos, abraços e venha quando puder ta?
Vou tentar postar algo pra não ficar sem graça, abrir a minha portinha e encontrar o meu bloguito às moscas rss.
Fica com Deus querida amiguita linda.
Carinhosamente, Jady

poetaeusou . . . disse...

*
bem-hajas,
,
até quando,amiga,
até quando . . .
,
puras maresias,
ficam,
*

Daniel Costa disse...

Mariazita

As drogas, antigamente eram apenas usadas em classes altas, creio que não seria o negócio que prolifera actualmente.
O flagelo da humanidade de hoje, as drogas, terá muito a ver com o alto rendimento adjacente, para muitos sem escrúpulos.
O poema é um sério aviso, mas qual quê, todos os alertas.
Tenho andado um pouco alheio, em virtude do falecimento de uma das minhas irmãs no dia dezasseis. Vou recuperado agora.
Beijos

lis disse...

Oi Mariazita
Visitando sua casinha num inicio de noite fria por aqui, aí ainda é verão as noites devem ser bem quentes, vivemos em hemisférios distantes que só difere nas estaçoes do ano porque os problemas sociais e exisenciais são os mesmos
Aqui em tempo de ditadura o Governo tratou bem em perseguir os jovens e poetas nas suas ideologias e deixou as droga invadir territórrios e tomar a cidade e o país.
Triste poema de Salaverry.
Vamos crer numa geração melhor dos pequeninos que hoje já nascem diante de um quadro aterrador.
gtsnde abraço, bom domingo

Irene Moreira disse...

Mariazita

Outro assunto que nos abala, nos afronta diariamnete e nossas mãos estão atadas.
Somos vítimas da vilolência e junto a ela estão as drogas. Postei uma vez falando sobre esse tema, ou melhor Meninos de Rua - na M@myrene e não sei se chegastes a ler.
Este é o link:
http://mamyrene.blogspot.com/2010/05/projeto-palavras-mil-11a-edicao-imagem.html

Muito bem contado o fato de que o uso das drogas já vem de tempos antigos.

O Poema de Salaverry já o conhecia e sua prosa é de total tristeza e impotência a esse vício na sua maioria sem volta.

Hoje aqui no Brasil temos o Crac que se olhares as crianças espalhadas pelas ruas, pela manhã, deitadas sem ação e a cada dia ficam mais magras , e vão se destruindo , ou melhor são destruídas por "àqueles" que os usam.

Muito triste amiga.

Beijos e uma boa semana