quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

ANITA

ANITA – EPISÓDIO VIII

(Ficção baseada em factos reais)

Não podia esquecer que o filho de Vicente era praticamente da sua idade (dois anos mais velho do que ela) e tinha muito boa aparência, além de ser educado e bom conversador.

FIM DO.EPISÓDIO VII

EPISÓDIO VIII

Depois de ter feito os seus estudos na capital, Humberto aperfeiçoava agora os seus conhecimentos com explicadores, tendo em vista ir frequentar uma universidade na Inglaterra. Por isso passava grande parte do tempo em casa, o que implicava frequentes encontros com a madrasta, que ele, por graça mas em tom carinhoso, tratava às vezes por “mãezinha”.

Anita não mais voltara a perguntar a Vicente em que pé estava a casa para Humberto. Prometera a si mesma nunca mais tocar no assunto, e aguardar o tempo que fosse necessário até que o marido lhe desse a novidade de que a casa estava pronta.
Mas a cada dia que passava sem que Vicente mencionasse tal coisa, Anita sentia aumentar a decepção em relação ao marido, ao mesmo tempo que arrefecia a pouca afeição que chegara a sentir por ele.

De acordo com os princípios religiosos católicos com que fora educada, Anita continuava a frequentar a Igreja, mantendo o seu relacionamento de amizade com o velho pároco que a baptizara e lhe ministrara todos os outros sacramentos, e com quem conversava longamente.

Vicente não a acompanhava. Concordara em fazer o casamento católico, mas a tanto se resumia a sua ligação à Igreja.
Contudo, agradava-lhe bastante que Anita a frequentasse.
Contribuía com doações de certo vulto para as obras de caridade, mostrando-se receptivo todas as vezes que Anita sugeria convidar o pároco para almoçar ou jantar. Assim, o velho padre tornou-se frequentador assíduo da casa.

Conhecendo-a desde que nascera, o pároco cedo se apercebeu de que Anita não era feliz.
Tentava, disfarçadamente, e torneando o assunto, aflorar os aspectos de que, por vezes, se reveste o casamento.
Anita fingia não perceber, não se atrevendo a confessar-lhe que não era feliz, que nunca amara o marido, e que amava outro homem que jamais esqueceria – Arnaldo.

A amizade entre Anita e o velho pároco era tal que não é de estranhar que tenha sido ele, precisamente, a ouvir, pela primeira vez, Anita pronunciar:
- Padre, estou grávida!
Uma alegria enorme inundou a alma do velho e santo homem.
E só quando se preparava para dar um abraço à sua grande amiga, é que reparou no seu ar desesperado, e nos olhos marejados de lágrimas.

- Mas o que é isso, minha filha? Dás-me uma notícia tão maravilhosa com um ar tão infeliz? E com lágrimas? O que é que se passa?
- Padre, eu não queria um filho. (Não de Vicente…- acrescentou, em pensamento)
- Não digas uma coisa dessas! Nem sequer deves pensar, quanto mais dizer!
Um filho é uma dádiva de Deus.
Nem todas as mulheres recebem a graça de poder ter um filho.
Só tens é que agradecer a Deus por ter-te concedido uma bênção que não tem igual.
Lembra-te sempre disto, minha querida filha, e começa a amar o teu filho desde já.

As sensatas palavras do padre calaram fundo em Anita.
“Sim, um filho é uma bênção de Deus. Não posso esquecer-me disso. Fui muito injusta ao sentir-me triste. Pobre bebé, que não vai ter o pai que eu gostaria de lhe dar” – pensou Anita, recompondo-se.

Foi depois a vez de comunicar aos pais e demais familiares e amigas o seu estado “interessante”.
Todos manifestaram o seu contentamento. A mãe exultou de alegria.
Abraçando efusivamente a filha, já fazia mil e um projectos para o enxoval, o quarto do bebé, a escola que iria frequentar…

Anita conseguiu refrear-lhe um pouco o entusiasmo, lembrando:
-Mãe, faltam mais de sete meses para o meu filho nascer! - e nessa altura apercebeu-se de que sentira orgulho ao pronunciar “meu filho”.
Foi nesse preciso momento que começou a amar o pequenino ser que trazia no ventre.

FIM DO EPISÓDIO VIII

25 comentários:

Paula Raposo disse...

Estou a gostar de te ler. Este episódio emocionou-me. Beijos.

Giselle disse...

Má,
adorei esse capítulo, como sempre mal vejo a hora de ler o próximo, rs...
Beijos amiga

Fenix disse...

Amiga Mariazita,

Tenho prémios à tua espera lá no meu espaço.

Beijinhos

Mariazita disse...

Querida Paula
As tuas palavras fazem-me feliz!
Espero que continues a gostar...

Beijinhos
Mariazita

Mariazita disse...

Gi, queridita
Vais ter que esperar mais um pouco...
Mas também te digo que já não falta muito para acabar... p'raí uns 100 (cem) capítulos...ah, ah, ah, ah, ah.........

Beijinhos
Mariazita

Mariazita disse...

Querida Fénix
Obrigada!
Mais logo (ou amanhã) passo por lá.

Beijinhos
Mariazita

Ana Martins disse...

Querida amiga,
este foi sem dúvida o episódio que mais me tocou, vá-se lá saber porquê, talvez por falar de maternidade, de bébés, filhos, crianças, seres tão doceis e inocentes, o melhor do mundo simplesmente!

Mas não quero despedir-me sem antes te dizer que ler-te é bom, faz-me sentir bem.
Parabéns, gosto do que escreves!!

Beijinhos,
Ana Martins

stériuéré disse...

Muitos beijitos amiga! E claro! Adorei este bocadinho de leitura!
É só pa dizer que na net tb se aprende e se lê coisas boas. Certo?
Bom fds

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Você me deixa muito curiosa. Será o filho do enteado?
Mariazita:
Postei no Galeria. Gostaria muito que vc fosse apreciar o meu post. Se quiser, depois vá aos meus outros Blogs.
Um abraço,
Renata

Mariazita disse...

Querida amiga Ana Martins
Mulher que é mãe (o teu caso e o meu) sente estas coisas de maneira especial, não é?
Agrada-me que tenhas gostado, e agradeço as tuas palavras de apreço. És um amor. Obrigada!

Uma noite feliz

Beijinhos
Mariazita

Mariazita disse...

Querida Sté
Que bom, tu teres gostado.
Tens razão, na Net apanham-se coisas boas (não quer dizer que seja este o caso -:)))), mas às vezes também acontece o contrário...
Obrigada, amiga.

Boa noite, até breve.

Beijinhos
Mariazita

Mariazita disse...

Querida Renata
Quem é o pai, quem é o pai???
É o que saberemos em breve...
Fique atenta.

Boa noite, miga.

Beijinhos
Mariazita

Francisco Sobreira disse...

Cara Mariazita,
Depois de ouvir o vídeo e me deliciar com ele (mais uma vez obrigado pela gentileza), corri pra cá a fim de ler o mais novo capítulo de "Anita". Como ficou combinado entre nós, só vou dar uma opinião sobre o "folhetim" no seu final. No entanto, preciso dizer que achei uma boa sacada a foto da lágrima escorrendo pelo rosto da mulher, a imagem como que sublinhando as lágrimas de Anita. Um beijo carinhoso e lindos sonhos nesta noite.

Pena disse...

Estimada Amiga:
Um texto soberbo de significação imensa. Uma realidade muito feliz feminina, estar grávida! Uma narração que faz "prender" o leitor às palavras. Belo e profundo no domínio literário!
A Alma, imprescindível ao "sentir" e "ser" das pessoas. Uma sensível Alma que retrata uma realidade concreta e repleta de interesse. Que abrange nestes tempos modernos exigentes e inconstantes.
Uma narração "povoada" pela sua intensa beleza de uma pessoa de bem, fantástica e fabulosa que acarreta encanto, ternura e fascínio.
Registei a significação, a que anseio dar continuidade.
Beijinhos.
Sempre a respeitá-la e a estimá-la de forma gigante.
Com cordialidade e amizade...

pena


Bem-Haja, preciosa amiga!
OBRIGADO pela sua amizade e pela partilha deslumbrante de um sensível e gigante pensar e sentir.

Mariazita disse...

Meu caro Francisco
Agrada-me que tenha gostado da música. Eu acho-a lindíssima!

Pois...como já disse...você aguarda e eu aguardo = aguardamos os dois -:)))

Resto de bom sábado. Até amanhã,

Abtraço carinhoso e beijinhos
Mariazita

Mariazita disse...

Meu caro amigo Pena
Fico muito satisfeita por ter gostado de mais um capítulo de Anita.
Este tem a perticularidade de revelar a gravidez de Anita, o que, geralmente, é motivo de regozijo (infelizmente há excepções).
Obrigada por todo o seu carinho.

Bom fim de semana.

Beijinhos
Mariazita

Ema Pires disse...

Olá Mariazita,
Obrigada pela sua passagem pelo meu blogue. Também gostei dos seus, este em particular. Mas é terrível estar à espera do fim de histórias tao interessantes.
Gosto imenso desta música do seu blogue.
Bjos

Mariazita disse...

Olá, Ema
Fico muito contente por teres gostado dos meus blogs.
Tens que continuar a vir...para saber a continuação.
Obrigada por teres vindo.

Bom fim de semana.

Beijinhos
Mariazita

com senso disse...

Embora temporariamente ausente da blogosfera não resisto a, de vez em quando, dar aqui um pulinho para seguir a bela história da Anita.
Ainda náo tive oportunidade de o fazer, mas desejo-lhe no primeiro dia do segundo mês do ano, um excelente 2009.
Grato por me trazer belos momentos de leitura, que tanta falta me fazem para quebrar uma rotina complicada, envio-lhe um beijinho com amizade.

Mariazita disse...

Querido amigo com senso
A sua visita encheu-me de alegria, principalmente por saber que a sua disponibilidade é muito pouca.

Um Obrigada! especial por ter vindo.

Beijinhos com muita amizade
Mariazita

Desnuda disse...

Que lindo... Adorei este capítulo repleto de ternura.



Grande beijo e até o próximo!

Mariazita disse...

Querida Sam
Fico tão feliz por teres gostado!

Espero que a continuação também te agrade.

Beiijinhos
Mariazita

Táxi Pluvioso disse...

Meter um padre em casa nunca é uma boa ideia.

Mariazita disse...

Olá, Táxi
Você é muito mal dizente!!!
Coitado do padre, velhote como está nem pode com um gato pelo rabo...

Um abraço
Mariazita

Fenix disse...

Não há maior benção do que ter um filho no ventre!
Sem dúvida!
O filho não pode escolher o pai, nem Anita o pôde fazer, mas terá uma mãe que já o ama.

Beijinhos