quinta-feira, 15 de maio de 2008

A NUDEZ

Num dia chuvoso como o de hoje, que não favorece a imaginação de quem, como eu, ama o sol e dias luminosos, resolvi provocar a musa inspiradora, remexendo em velhos arquivos.
Foi assim que me deparei com um apontamento sobre o fotógrafo Spencer Tunic, americano, natural de Nova Iorque.
Depois de se formar em Belas Artes especializou-se em fotografar grandes grupos de pessoas nuas, a que dá o nome de «paisagens de corpos».
Realizou trabalhos em várias partes do mundo; mas foi em Barcelona que reuniu o maior número de pessoas que se despiram para o artista – 7.000 pessoas.
Em 18 de Agosto de 2007, no seu último trabalho, fotografou 600 pessoas nos Alpes suíços, a pedido do grupo ambientalista internacional Greenpeace, para uma campanha de consciencialização sobre o aquecimento global



Achei extraordinária esta ideia do Greenpeace de associar um grupo de pessoas nuas ao grave problema do aquecimento global, que exige tomada de medidas urgentes.

A utilização da nudez como forma de atingir um determinado objectivo não é inédita.
Já no século XI uma mulher usou a sua nudez com um intuito altruísta - ajudar o seu povo a livrar-se de insuportáveis impostos.
É o caso de Lady Godiva.

Mas…será verdade que existiu uma Lady Godiva?
E será verdade que cavalgou nua pelas ruas de Coventry?


Lady Godiva de John Collier, ca 1897

Existiu, sem margem para dúvidas, uma Lady Godiva, casada com Leofric, um barão que viveu durante os reinados de Canuto e Eduardo, o Confessor, no século XI.
Os corpos de Lady Godiva e de Leofric encontram-se sepultados na Igreja da Abadia de Coventry, na Grã-Bretanha.

Segundo dados históricos, Leofric lançou um pesado imposto à cidade, que até a própria esposa considerou elevado.
Resolvendo interceder pelo povo, ela pediu-lhe para o retirar.
Considerando a ideia absurda, Leofric gracejou, respondendo que o faria quando ela cavalgasse nua pelas ruas da cidade.
Lady Godiva aceitou o desafio.
Tendo tomado disto conhecimento, todos os habitantes da cidade se recolheram a suas casas, em sinal de respeito. Desse modo ninguém viu Lady Godiva no seu passeio.
Houve, contudo, uma excepção: um homem chamado Peeping Tom aguardou a p assagem de Lady Godiva.
Como consequência desse acto irreflectido, por intervenção celestial, ficou cego para o resto da vida.

Embora não existam fundamentos sólidos que confirmem esta história, também não h á bases que permitam negá-la.
A lenda foi contada, pela primeira vez, pelo Prior de Wendover, célebre cronista inglês, falecido em 1236.
Alguns historiadores defendem que o prior interpretou mal a história, e que a alusão à nudez de Lady Godiva se referia a ela ter-se despojado dos seus bens.
Outros, interpretam essa nudez como a falta de adereços e jóias preciosas, marca d a nobreza à qual pertencia.
Outros ainda pensam que quem estava nu era o cavalo que ela montava, que se teria apresentado desprovido de todos os panejamentos, atributos da classe a que ela pertencia, que assim se humilhava, levando-a a ganhar a aposta que Leofric lhe lançara.

Na história inicial não existe qualquer referência ao personagem Peeping Tom. Este só foi introduzido vários séculos mais tarde .

O certo é que ainda hoje há uma celebração em honra de Lady Godiva, que foi instituída no dia 31 de Maio de 1678.
De 1980 em diante, Pru Poretta, uma habitante de Coventry City, figura como Lady Godiva, para atrair turistas às festas do Município.
Desde 2005 Poretta mantém o status de “embaixadora não oficial” de Coventry, liderando uma marcha a favor da paz mundial e da união dos povos.




Estátua de Lady Godiva no centro de Coventry


Celebração em honra de Lady Godiva, em Coventry City

Lady Godiva foi imortalizada num poema de Lord Tennyson, cuja poesia, na sua grande parte, se reporta a temas mitológicos.

13 comentários:

  1. Spencer Tunic, talvez nunca tenha sabido da existência da lady Godiva.
    É que os americanos em determinados assuntos, são mesmo estúpidos.
    Nós admiramo-nos por o pessoal não saber nada do 25 de Abril, mas os estudantes americanos, nem as origens da nação sabem.
    De história são "burros"
    O Colégio onde a minha mulher lecciona 12º de Química, tem um intercâmbio com a faculdade de Havard, sendo que um dos investidores na Universidade é um luso descendente, podre de rico, não me recordo o nome.
    É o maior construtor civil de Boston.
    Também para fazerem aquelas casas de "papel" que caiem com um sopro ...
    Ao abrigo desse intercâmbio, estiveram cá e ficaram em casas de quem os quis acolher.
    Tive uma aluna, num ano e dois alunos no seguinte.
    O meu inglês perdi-o nas calendas gregas ou romanas.
    Pouco sei e não dá para uma conversação, mes os meus filhos verificaram quão deficiente é a instrução deles.
    Têm química, mas não fazem experiências, mesmo na faculdade. Têm o conhecimento teórico. A prática é para os que quiserem seguir determinada área.

    Já agora, como não vi e-mail, lá vai sair uma "charutada" no governo, que a vou postar no meu "inséte"
    Boa noite.

    ResponderEliminar
  2. Crónicas, fábulas ou parábolas têm sempre uma intenção moral, mas além disso e da imaginação, é difícil descortinar factos reais.
    Ninguém viu a senhora. E a fantasia mostra que um distraído que olhou a suas «belezas» morreu por castigo divino!!!
    Mas é preciso os Alpes estarem muito quentes para tanta gente se despir!
    Essa a ideia que fica.
    Abraço
    A. João Soares, serve de link para quem queira fazer uma visita

    ResponderEliminar
  3. Olá Xistosa
    Peço desculpa pela falta do email. Estava convencida que constava do meu perfil...
    Agora já lá está, pode verificar.
    Quanto ao resto, não sei se viu um vídeo que circulou na Net onde se vê uma jovem americana, num concurso, mostrar total ignorância, pelo menos em Geografia. Não sabia que a França é um país, e por aí fora!
    Daqui a pouco vou ver a "charutada".
    Um abraço
    Mariazita

    ResponderEliminar
  4. Meu caro João
    Dizem que, nas lendas, há sempre um fundo de verdade.
    Verdede ou mentira, são, geralmente, histórias bonitas. Eu gosto!
    E esta aposta numa boa causa!
    Se a memória me não falha, a temperatura, nos Alpes, era de 12 ou 13 graus, na altura em que foram feitas as fotos. Para mim, um verdadeiro gelo...brbrbrbrrr.
    Gosto de calor.
    Mas foi também por uma boa causa!
    Obrigada por ter vindo.
    Beijinhos
    Mariazita

    ResponderEliminar
  5. O apelo "fácil" ao sensacionalismo, sendo feito por uma boa causa, pode mesmo resultar.
    Aliás, hoje em dia penso que todos os esforços vão sendo poucos para sensbilizar o mundo para os efeitos terríveis do aquecimento global.
    Entretanto, verdade ou lenda, o certo é que a história de Lady Godiva foi ficando, de geração para geração... e ainda bem que a publicou neste seu magnifico blog, pois ainda há uns meses ouvi uma jovem adolescente dizer com a maior candura do mundo que Lady Godiva devia ter sido dona de uma fábrica de chocolates...
    O adulto que estava com ela ficou tão espantado com a ignorância da moça, que lhe disse: "Exactamente, e Maria Tudor tinha uma fábrica de pilhas"... E não é que a jovem acreditou?

    ResponderEliminar
  6. A leitura desta história fez-me surgir uma ideia.
    Acompanha o meu raciocínio.
    À falta de cavalos suficientes, se todas as mulheres de Portugal decidissem desfilar nuas pelo Terreiro do Paço, ganhariam a aposta que fizeram os nossos governantes de nos extorquirem até ao último ceitil?
    Há que considerar a hipótese de alguns, ao assistirem ao espectáculo, poderem entregar a alma ao Criador, o que representaria parte da aposta ganha.
    Até já estou a imaginar um slogan muitaaaaaaaaa chamativo:
    Mulheres portuguesas, dispam-se de preconceitos, e principalmente de roupas!
    Garanto-te: ia ser um sucesso!!!
    PS - Adivinha quem te veio visitar.
    Nem passa por essa morena cabecinha!
    A partir de hoje está criada a lenda do «anónimo» ou «anónima», quem sabe???
    Beijos de
    Anónima lendária

    ResponderEliminar
  7. Com Senso
    É sempre muito agradável receber as suas visitas e ler os seus comentários.
    Desta vez foi mais que agradável, foi uma alegria! O que eu me ri com as cenas de Godiva e de Maria Tudor!!!
    E bem que estava precisando de dar umas boas gargalhadas.
    Mas numa coisa temos que concordar: a jovem sabe o que é bom, porque os chocolates Godiva são mesmo uma delícia!
    Carotes, mas de boa qualidade.
    O mesmo não podemos dizer dos conhecimentos da jovem...mas, infelizmente, ela não será excepção, já que a cultura dos jovens, hoje em dia, deixa muito a desejar.
    Há excepções, claro, mas são mesmo excepções, e isso é que é triste.
    Um resto de bom Domingo
    Um abraço
    Mariazita

    ResponderEliminar
  8. Esconder-se alguém atrás do anonimato não é coisa que eu aprove.
    Mas...cada um tem as suas razões, que eu respeito. Desde que esse anonimato não seja usado para o mal. Não me parece o caso.
    Vou tratar-te por tu, já que o fazes, o que pressupõe conhecimento (algum, pelo menos).
    Assim sendo, se me conheces, deves saber que não tenho jeito nenhum para decifrar enigmas. Nem gosto!
    Consequentemente...não faço ideia de quem sejas. Terás que dar-me uma pista, o que não fazes aqui neste comentário.
    O comentário, propriamente dito (deixou-me uma pulguinha, mas muito pequenina, atrás da orelha)
    tem a sua piada.
    Cavalos...havia os da Guarda Republicana. Agora não sei. A "parada" teria que ser a pé, ou, melhor ainda, de descapotável!
    Quem sabe se não surtiria efeito...
    E é tudo, ilustre desconhecida.
    Quando quiseres, se quiseres, mostra a cara!
    Beijos para ti também (porque não?)
    Mariazita

    ResponderEliminar
  9. Na verdade, prezada Mariquinhas, além da notoriedade ao fotógrafo, jamais consegui vislumbrar algo de útil nestes ensaios fotográficos coletivos.
    Um beijo!

    ResponderEliminar
  10. Olá Oliver
    É claro que se os modelos não estivessm nús, provavelmente Spencer Tunic não passaria de um ilustre desconhecido...
    Neste caso concreto, sendo encomenda feita pelo Greenpeace, foi por uma boa causa - a preservação da Natureza.
    Obrigada pela visita.
    Beijos
    Mariazita

    ResponderEliminar
  11. Soube bem recordar a história desta lady. E ver as magníficas fotos de Tunnick, desta vez ao serviço de uma causa urgente e justa.

    ResponderEliminar
  12. Huckleberry Friend
    A lenda de Lady Godiva é muito antiga, com mais de 700 anos...-:))
    Gosto muito de lendas, desta em particular, principalmente pela mensagem que transmite (ou como a interpreto...)- para prestar auxílio aos mais desfavorecidos valem todos os sacrifícios.
    Ainda bem que gostou das fotos.
    Obrigada pela visita.
    Beijos
    Mariazita

    ResponderEliminar
  13. Concordo com o amigo joão"Lady Godiva" exitiu para dar ensinamentos. Que caia a carapuça a quem convier.
    Muito interessante a estória.
    Beijinhos
    Vilma

    ResponderEliminar

A SI, QUE VEIO VISITAR-ME, UM GRANDE
BEM HAJA!

BEIJINHOS
MARIAZITA